Portal da Educao Adventista

*Educ' arte - Prof.ª Séulima*

14

set
2011

Você quer ser feliz ou ter razão?

Não há ser humano que não tenha complicações ou lutas em sua personalidade. Alguns têm dificuldades muito maiores que outros. Algumas pessoas são mais fáceis de relacionar-se do que outras. Algumas são realmente muito complicadas, seja por causa de um temperamento agressivo, excessiva dependência, muito fechada e defensiva, etc. As boas novas é que podemos ser mudados para melhor. Ainda que seja verdade que permaneceremos sempre com o mesmo temperamento básico com o qual nascemos. Existe uma flexibilidade possível e com isso a possibilidade de sermos feitos pessoas mais fáceis de conviver, mais amáveis (possíveis de ser amadas) e mais amoráveis (capazes de amar).

Um dos comportamentos rígidos que prejudica os relacionamentos com os outros tem que ver com aquele tipo de pessoa que o mais importante para ela é ter que ter razão, ter que estar certa o tempo todo, ter que não falhar, quer demasiadamente ser justa.

Interessante pensamento do sábio rei Salomão diz: "Não sejas demasiadamente justo, nem demasiadamente sábio; por que te destruirias a ti mesmo" Eclesiastes 7:16. O que ele está dizendo aqui é que uma pessoa pode destruir a si mesma por ser e permanecer rígida, mesmo tentando ser justa e sábia. É o tipo de pessoa super-racional que por ser tão racional, deixa de lado o aspecto emocional em seus relacionamentos sociais, causando até alguma desordem psicossomática em si mesmo, ou seja, a mente sofrendo faz o corpo sofrer.

Não ser demasiadamente justo ou sábio não significa comprometer-se com princípios que devem ser vividos pela pessoa. Não significa que ela irá transgredir valores importantes para sua vida. Significa que ela poderá permanecer dentro de seus princípios éticos e morais de vida sendo flexível. Isto é possível. E ela precisará descobrir isto, ao invés de permanecer dura demais consigo e com os outros.

Algumas destas pessoas gostam de discutir para provar que têm razão. Ter razão para elas é mais importante do que manter relacionamentos saudáveis, afetivos, amistosos. Elas podem perder boas amizades, bons negócios, e sua saúde (hipertensão arterial, dor de cabeça, dor nas costas, enxaqueca, etc.) por manterem esta postura de ter que ter razão.

Este tipo de problema comportamental é comum, por exemplo, em casamentos nos quais um cônjuge é mais desligado dos detalhes enquanto que o outro é super-detalhista. Exemplo: o casal foi a uma festa e dias depois, ao comentar com amigos sobre a mesma, o cônjuge não detalhista diz: ?A festa estava ótima! Tinha tanta gente! Tinha umas 80 pessoas! Adorei!?. Imediatamente o cônjuge detalhista corrige e diz: ?Não é assim! Não tinha 80 pessoas! No máximo deveria ter umas 35!?.

Imagine esta pessoa corrigindo toda hora a conversa para tentar ser justo! Vai criar, com isto, irritação e desprazer porque este tipo de pessoa está mais preocupado com os detalhes do que com a interação afetiva social.

Em várias coisas na vida precisamos pensar e decidir sobre o que é melhor: ser feliz ou ter razão? Abrir mão dos detalhes perfeccionistas permite valorizar o lado afetivo dos relacionamentos, inclusive consigo mesmo. É possível ser feliz, crer no que você crê, não abrir mão dos seus princípios, e não ter que provar que você está certo e com a razão.

Se a outra pessoa exagera em coisas fora da realidade, não tente corrigi-la, controlá-la, mudá-la. Deixe-a ser como ela é. Relaxe. Desfrute o que há de bom no relacionamento. Vale à pena brigar para ter razão? Vale à pena ter crise hipertensiva, dor de cabeça, ou outro sintoma como conseqüência da irritação porque a outra pessoa não é exata? Você quer ser feliz ou ter razão?

 

Fonte: portalnatural.com.

comentários[0]

14

set
2011

Será que meu namoro é da vontade de Deus?

Muitas pessoas carregam no coração uma grande dúvida com relação à vida sentimental. Como saber se esta ou aquela pessoa é a que Deus separou para mim? Como saber se este namoro é de Deus?  Veja algumas dicas baseadas em experiências e orientações da Palavra de Deus.

1ª dica - Os Frutos - Como disse Jesus, uma boa árvore se conhece pelos frutos, "Portanto, pelos seus frutos o conhecereis" (Mateus 7:20). Assim, veja se o rapaz ou a moça é um servo de Deus, analise o seu comportamento, a sua vida com o Senhor. Cuidado, pois existem muitos lobos vestidos de ovelhas. Ao namorar alguém precisamos verificar com atenção os seus frutos. É preciso tomar cuidado quanto a isto, pois muitas vezes, por estarmos envolvidos sentimentalmente, não prestamos a atenção neste aspecto. Criamos uma certa ilusão e nos esquecemos de analisar os frutos da pessoa. Por este motivo, analise friamente o comportamento da pessoa que está se envolvendo. Veja a sua vida na igreja e especialmente em casa, se é um bom filho ou boa filha, analise também o seu comportamento profissional, etc. É muito fácil ser cristão na igreja, os verdadeiros frutos são revelados no dia a dia, nos bastidores.

2ª Dica - A paz - A Palavra de Deus diz que a "paz" deve ser o árbitro em nossos corações "Seja paz de Cristo o árbitro em vosso coração" (Col. 3:15). O árbitro é aquele que resolve uma questão, que direciona. Ou seja, a paz deve ser o indicativo se o relacionamento é ou não da vontade de Deus. Assim, se o namoro é algo que rouba paz, que leva a pessoa a ficar distante de Deus, que traz inquietação, perturbação, cuidado, pois há algo de errado. Lutas e obstáculos sempre existirão, enfim, lutas externas e até desentendimentos esporádicos causados por diferenças de opiniões. Todavia, se o relacionamento rouba a sua paz interior, especialmente a sua comunhão com Deus é um grande indício que de o Senhor não está nesse relacionamento.

3ª dica - É paixão ou amor? - Outro aspecto relevante é a questão da diferença entre amor e paixão. Às vezes nos envolvemos numa paixão e nos machucamos achando que é amor. Paixão é algo avassalador, que nos leva a perder a razão, a lógica e até o temor de Deus. O amor, ao contrário, é um sentimento maduro, consciente, nasce aos poucos, se desenvolve com o tempo e vai se fortalecendo diante das dificuldades. A paixão á algo passageiro, não resiste à distância, esfria, não espera. O amor, ao contrário, permanece "o amor tudo sofre, tudo crê, tudo espera e tudo suporta" (I Cor. 13:07). O amor sabe esperar o momento certo para o sexo (o casamento). A paixão não, pois é pura emoção. Para exemplificar esta questão, veja o exemplo de Amnon por Tamar (II Samuel 13) e o sentimento de Jacó por Raquel (Gênesis 29). Amnon se apaixonou por Tamar, sua irmã. Após ter tido relações s com ela, a deixou friamente. Quantos jovens abandonam moças após satisfazer os seus desejos sexuais? Jacó, por sua vez, amou a Raquel e o seu amor o fez esperar 7 anos até finalmente tê-la em seus braços. Além disso, trabalhou mais 7 anos para poder estar ao lado de sua amada definitivamente.

4ª dica - Enriquecimento - A Palavra de Deus afirma que a benção do Senhor enriquece e não acrescenta dores (Prov. 10:22). O namoro que é da vontade de Deus traz um enriquecimento mútuo. Ou seja, traz um enriquecimento na área espiritual, profissional, familiar, etc. Deus que ama e cuida de nós certamente colocará alguém em nosso caminho que nos abençoe, que tenha algo de bom a acrescentar em nossa vida, que nos ajude a dar continuidade aos nossos sonhos. É lamentável ver jovens se envolvendo sentimentalmente com pessoas que nada têm a acrescentar em suas vidas. Ao contrário, são pessoas que surgem para roubar a paz, o futuro e para trazer dor e destruição. O namoro, em caso como estes, se torna um verdadeiro sofrimento.

5ª dica - Convicção - Jesus certa vez disse que a palavra do cristão tem de ser sim, sim ou não, não e que tudo o que passar disso é de procedência do maligno (Mateus 5:37). Neste caso, o namoro aprovado por Deus é algo certo, definido e não indeciso. Quando o relacionamento é envolto por inseguranças e incertezas, algo está errado e precisa ser revisto, pois a dúvida não procede de Deus. Por isso, ao relacionar-se sentimentalmente com alguém é preciso pedir ao Senhor a confirmação sobre o namoro. Se não houver certeza, ore bastante e busque a direção de Deus. Jamais se relacione com alguém sem que haja essa confirmação, essa convicção sobre os seus sentimentos. Entenda que um casamento é para toda vida. Afinal de contas, você está namorando pensando no futuro, fazendo planos para formar uma família. Se a sua visão é apenas ficar, passar o tempo, reavalie profundamente os seus conceitos, pois este não é o plano de Deus.

Aos solteiros, o conselho é para que não se atemorizem com o tempo, pois vale a pena esperar em Deus. E como descrito em Eclesiastes 3, existe um tempo determinado para todo propósito debaixo do céu. Assim, o melhor a fazer é buscar a Deus, crescer espiritualmente e profissionalmente. Enfim, adquirir maturidade em todos os aspectos para que quando chegar o tempo de construir uma família, você possa ter uma estabilidade espiritual, emocional e material.

Fonte: Guiame.

comentários[0]

4

set
2011

22 tipos de amor

Vida - é o Amor existencial.

Razão - é o Amor que pondera.

Estudo - é o Amor que analisa.

Ciência - é o Amor que investiga.

Filosofia - é o Amor que pensa.

Religião - é o Amor que busca Deus.

Verdade - é o Amor que se eterniza.

Ideal - é o Amor que se eleva.

- é o Amor que se transcende.

Esperança - é o Amor que sonha.

Caridade - é o Amor que auxilia.

Fraternidade - é o Amor que se expande.

Sacrifício - é o Amor que se esforça.

Renúncia - é o Amor que se depura.

Simpatia - é o Amor que sorri.

Altruísmo - é o Amor que se engrandece.

Trabalho - é o Amor que constrói.

Indiferença - é o Amor que se esconde.

Desespero - é o Amor que se desgoverna.

Paixão - é o Amor que se desequilibra.

Ciúme - é o Amor que se desvaira.

Egoísmo - é o Amor que se animaliza.

comentários[1]

2

set
2011

Como se tornar uma mulher irresistível

Publiquei aqui uma síntese de um dos capítulos do livro "Ela precisa, ele deseja", de Willard F. Harley, sobre o homem irresistível. Hoje, conforme prometido, como uma mulher pode tornar-se irresistível para o marido, satisfazendo as suas cinco necessidades emocionais básicas mais importantes. Vamos lá, então?

1 - Realização sexual. A esposa satisfaz esta necessidade quando se torna uma parceira sexual extraordinária. Ela estuda suas próprias reações sexuais, a fim de conhecer e entender o que melhor se apresenta nela e, em seguida, compartilha com o marido essa informação. Juntos, eles passam a ter um relacionamento sexual em que ambos encontram repetidos momentos de prazer e realização.

2 - Companheirismo. Ela se interessa pelas atividades de lazer que ele aprecia e tenta ser eficiente nessas atividades. Se ela conclui que não consegue sentir prazer nessas atividades, pede ao marido que considere outras atividades em que eles possam participar juntos com satisfação. Ela se torna a sua companhia favorita nas atividades de lazer e ele a associa a seus mais prazerosos momentos de relaxamento.

3 - Atração física. Ela procura manter-se em forma com dietas e exercícios, cuida do cabelo, da maquiagem e se veste de um modo que o marido possa achar atraente e de bom gosto. Ele sente atração por ela nos momentos de privacidade, e orgulho da esposa quanto estão em público.

4 - Apoio doméstico. Ela proporciona em sua casa um ambiente que representa um refúgio para o marido diante dos momentos estressantes da vida diária. Ela administra as responsabilidades da casa de um modo que o incentiva a passar mais tempo no lar junto com a família.

5 - Admiração. Ela compreende e aprecia o marido mais do que qualquer pessoa. Sempre conversa com ele sobre o seu valor e suas realizações, e o ajuda a manter a autoconfiança. Evita criticá-lo e se orgulha dele, não por submissão, mas por um profundo respeito pelo homem que escolheu como seu marido.

Quando um homem encontra uma mulher que demonstra todas as cinco qualidades, ele a achará irresistível. Mas, novamente, cuidado: se uma mulher supre apenas quatro das cinco necessidades básicas de seu marido, ele experimentará um vazio que poderá gerar problemas. Como deve acontecer com o homem, a mulher precisa tentar satisfazer as cinco necessidades básicas de seu marido. Sentir-se realizada ao suprir apenas três ou quatro dessas necessidades não fará de você uma mulher totalmente irresistível.

(Ela Precisa, Ele Deseja - Willard F. Harley, Jr. - Editora Candeia)

comentários[0]

2

set
2011

Está faltando diálogo?

O Dr. Willard Harley é o autor das dicas que postei esta semana sobre como ser um homem e uma mulher "irresistíveis". Transcrevo aqui uma lista que ele criou com sugestões para que os cônjuges melhorem o relacionamento através do diálogo. Veja como são importantes:

1 - Lembrem-se de como as coisas eram quando vocês namoravam. Vocês dois ainda precisam demonstrar o mesmo grau de interesse um pelo outro e pelas coisas que cada um tem para dizer, especialmente sobre os seus sentimentos.

2 - A mulher tem grande necessidade de conversar sobre suas preocupações e seus interesses com alguém que, na sua percepção, se importa muito com ela.

3 - Homem, se o seu trabalho exige que você fique fora de casa à noite ou durante dias, pense na possibilidade de mudar de emprego. Se não for possível,  descubra formas de restaurar a intimidade do seu casamento cada vez que você retornar depois de um período de ausência, de modo que sua esposa se sinta à vontade com você novamente (se é a esposa que passa mais tempo viajando, o mesmo princípio deve ser usado).

4 - Adquira o hábito de passar quinze horas por semana a sós com o seu cônjuge, dando a ele atenção exclusiva. Use a maior parte desse tempo para uma conversa natural, mas significativa.

5 - Lembre-se de que a maioria das mulheres se apaixona por homens que reservam um tempo para conversar e trocar afeto com elas. E elas permanecem apaixonadas por homens que continuam a satisfazer estas suas necessidades.

6 - As preocupações financeiras não devem interferir na hora do diálogo. Se vocês não têm um tempo para estar a sós e conversar, as suas prioridades não estão sendo planejadas corretamente.

7 - Nunca usem a conversa como forma de ferir (ridicularizar, xingar, blasfemar ou ironizar). A conversa deve ser construtiva, não destrutiva.

8 - Nunca use a conversa para forçar seu cônjuge a concordar com o seu modo de pensar. Respeite os sentimentos e opiniões do outro, especialmente quando forem diferentes.

9 - Nunca usem a conversa para ficar relembrando os erros que o cônjuge cometeu no passado. Do mesmo modo, evitem persistir nos erros do presente.

10 - Procurem interessar-se pelos assuntos favoritos um do outro.

11 - Aprendam a equilibrar a sua conversa. Evitem interrupções e tentem dar um ao outro o mesmo tempo para falar.

12 - Usem a conversa para informar, descobrir e compreender um ao outro.

Quando você atende à necessidade de sua esposa pelo diálogo, vocês compreendem-se mutuamente de forma mais clara e aprendem o que fazer para atender às necessidades um do outro. Isso possibilita que ambos façam depósitos no Banco do Amor, o que cria e sustenta o amor romântico. O diálogo é uma habilidade necessária se vocês querem ser irresistíveis um para o outro.

(Do livro "Ela precisa Ele deseja" - Editora Candeia)

comentários[1]
Assinar RSS

mais buscadas

2004-2011 Educação Adventista Todos os direitos reservados.