Portal da Educao Adventista

*Ciências da Natureza*

4

nov
2012

O que é saneamento?

Saneamento é o conjunto de medidas, visando preservar ou modificar as condições do meio ambiente, com a finalidade de prevenir doenças e promover a saúde. Saneamento básico se restringe ao abastecimento de água e disposição de esgotos, mas há quem inclua o lixo nesta categoria. Outras atividades de saneamento são: controle de animais e insetos, saneamento de alimentos, escolas, locais de trabalho e de lazer e habitações.

Normalmente, qualquer atividade de saneamento tem os seguintes objetivos:controle e prevenção de doenças, melhoria da qualidade de vida da população, melhorar a produtividade do indivíduo e facilitar a atividade econômica.

Sistema de Esgoto

Despejos são compostos de materiais rejeitados ou eliminados devido à atividade normal de uma comunidade. O sistema de esgotos existe para afastar a possibilidade de contato de despejos, esgoto e dejetos humanos com a população, águas de abastecimento, vetores de doenças e alimentos. O sistema de esgotos ajuda a reduzir despesas com o tratamento tanto da água de abastecimento quanto das doenças provocadas pelo contato humano com os dejetos, além de controlar a poluição das praias.

O esgoto pode ser de vários tipos: sanitário (água usada para fins higiênicos e industriais), sépticos (em fase de putrefação), pluviais (águas pluviais), combinado (sanitário pluvial), cru (sem tratamento), fresco (recente, ainda com oxigênio livre).

Existem três tipos de sistemas de esgotos: Sistema unitário: é a coleta dos esgotos pluviais, domésticos e industriais em um único coletor. Tem custo de implantação elevado, assim como o tratamento também é caro. Sistema separador: os esgotos doméstico e industrial ficam separados do esgoto pluvial. É o usado no Brasil. O custo de implantação é menor, pois as águas pluviais não são tão prejudiciais quanto o esgoto doméstico, que tem prioridade por necessitar tratamento.

Assim como o esgoto industrial nem sempre pode se juntar ao esgoto sanitário sem tratamento especial prévio. Sistema misto: a rede recebe o esgoto sanitário e uma parte de águas pluviais.       

Abastecimento de água

A água própria para o consumo humano chama-se água potável. Para ser considerada como tal ela deve obedecer a padrões de potabilidade. Se ela tem substâncias que modificam estes padrões ela é considerada poluída.

As substâncias que indicam poluição por matéria orgânica são: compostos nitrogenados, oxigênio consumido e cloretos.

Para o abastecimento de água, a melhor saída é a solução coletiva, excetuando-se comunidades rurais muito afastadas. As partes do Sistema Público de Água são: Manancial; Captação; Adução; Tratamento; Reservação; Reservatório de montante ou  de jusante; Distribuição.

A água necessita de tratamento para se adequar ao consumo. Mas todos os métodos têm suas limitações, por isso não é possível tratar água de esgoto para torná-la potável. Os métodos vão desde a simples fervura até correção de dureza e corrosão. As estações de tratamento se utilizam de várias fases de decantação e filtração, além de cloração.

Disposição do lixo

O lixo é o conjunto de resíduos sólidos resultantes da atividade humana. Ele é constituído de substâncias putrescíveis, combustíveis e incombustíveis. O problema do lixo tem objetivo comum a outras medidas, mais uma de ordem psicológica: o efeito da limpeza da comunidade sobre o povo.

O lixo tem que ser bem acondicionado para facilitar sua remoção. Às vezes, a parte orgânica do lixo é triturada e jogada na rede de esgoto. Se isso facilita a remoção do lixo e sua possível coleta seletiva, também representa mais uma carga para o sistema de esgotos. Enquanto a parte inorgânica do lixo vai para a possível reciclagem, a orgânica pode ir para a alimentação dos porcos. O sistema de coleta tem que ter periodicidade regular, intervalos curtos, e a coleta noturna ainda é a melhor, apesar dos ruídos.

O mais indicado é encaminhar o lixo para um aterro sanitário ou incinerá-lo. Também pode ter suas graxas e gorduras recuperadas, ser fermentado ou passar pelo processo Indore.

comentários[0]

19

ago
2011

Fumar ou não, eis a questão

(fonte: LOPES, Sonia. Bio: Volume 2. Sao Paulo: Saraiva, 2006.)

Apresentamos aqui algumas informações a respeito das conseqüências do ato de fumar.

 

Leia, pense, discuta e tire suas conclusões.

%u2022 A vida de uma pessoa que fuma quinze cigarros por dia é reduzida, em média, em cinco anos.

%u2022 Uma pessoa que fuma um maço de cigarros por dia tem probabilidade vinte vezes maior de desenvolver câncer de pulmão do que uma pessoa que não fuma.

%u2022 Uma pessoa que fuma tem o dobro de chance de vir a ter doenças cardiovasculares do que uma pessoa que não fuma.

%u2022 Uma pessoa que fuma tem vinte vezes mais chances de desenvolver bronquite crônica (os brônquios secretam excesso de muco e os cílios responsáveis pela eliminação desse muco passam a funcionar mal; o muco fica assim acumulado nos brônquios e bronquíolos, que inflamam, e a pessoa passa a tossir muito e a ter dificuldade em respirar) e enfisema pulmonar (rompimento dos alvéolos, com redução da área para as trocas gasosas) do que uma pessoa que não fuma.

%u2022 O fumante tem sete vezes mais chances de desenvolver úlceras e câncer de estômago do que os não fumantes.

%u2022 Na circulação do fumante existe 5% menos oxigênio do que na circulação do não-fumante.

%u2022 Fumar na gravidez representa perigo para o feto: há o dobro de risco de aborto, de nascimentos prematuros e de morte de fetos; quando isso não ocorre, o bebê de uma gestante fumante terá menor peso no nascimento.

%u2022 Os fumantes obrigam os não-fumantes a fumar, pois os não-fumantes confinados em ambientes fechados, como carros, escritórios, salas de espera, bares, restaurantes e outros recintos, são afetados pela fumaça do cigarro dos fumantes;  respirando  passivamente  essa fumaça,  os não-fumantes podem, ao longo do tempo, desenvolver os mesmos problemas circulatórios e respiratórios que os fumantes. Filhos de pais fumantes, por exemplo, têm o dobro de chance de contrair pneumonia ou bronquite no primeiro ano de vida.

comentários[2]

4

ago
2011

Filtro Solar - 6o.EF

Assista duas vezes, ou mais. Preste atenção na letra.

comentários[43]

24

mai
2011

Água e vida... em Marte?

Roberta Jansen escreve para "O Globo":

A mais ambiciosa missão jamais realizada em solo marciano já contabiliza a geração de mais de 200 mil imagens, um total de 30 gigabaites de informação e uma certeza agora incontestável: houve água em abundância no passado de Marte e pode ter havido formas microbiológicas de vida.

O balanço dos quatro anos da missão dos robôs Spirit e Opportunity no planeta vermelho é bastante positivo.

A missão, lançada em janeiro de 2004, tinha como objetivo principal buscar evidências geológicas e climáticas da presença de água no planeta. Até então, havia uma discussão incessante sobre o tema, com diversos estudos contraditórios publicados.

Buscar comprovação da presença de água era apontado como o ponto de partida para estudar a existência de formas de vida.

Presença de água no subsolo ainda é mistério, a missão foi muito bem sucedida ao atestar, por meio da composição química das rochas encontradas e analisadas pelos robôs, que houve muita água em estado líquido no passado do planeta.

%u2014 Marte teve vários tipos de água: sistemas hidrotermais, gêisers, oceanos.

%u2014 Tivemos água aparecendo com uma diversidade muito interessante, como acontece na Terra.

Uma outra certeza obtida com os dados enviados pelos robôs é que, hoje, não há água em estado líquido na superfície do planeta. Há fortes indícios de que existe gelo nos pólos e a missão Phoenix está a caminho com o objetivo de testar essa hipótese.

Missões anteriores já atestavam a presença, em Marte, de outros nutrientes que sustentam a vida, como nitrogênio, fósforo, carbono e energia, tanto a do Sol quanto a proveniente de processos térmicos. O que faltava na equação era a água.

Mas que ninguém espere por homenzinhos esverdeados. O consenso hoje na comunidade científica é que, se houve vida no planeta vermelho, ela ocorreu na forma microbiológica, como vírus e bactérias. Uma informação chave nessa equação da qual os especialistas ainda não dispõem é saber por quanto tempo houve água em Marte. Esse dado é crucial para que se possa inferir que tipo de vida teria tido tempo de existir.

A primeira missão a pousar em Marte foi a Viking, em 1976. Na época, foram obtidas análises de rochas e gases. Mas como não havia a possibilidade de deslocamento pelo solo, a nave ficou restrita ao seu local de pouso. Mais de dez anos depois, em 1997, a Pathfinder avançou em relação à primeira missão, percorrendo 104 metros.

Quase nada se comparado aos 12 quilômetros já percorridos pelo Opportunity e os 7,5 avançados pelo Spirit.

Além disso, os robôs estão em áreas opostas do planeta, separados por 4 mil quilômetros de distância, o que dá uma diversidade maior aos dados enviados. Ao todo, os robozinhos já trabalharam o equivalente a 1.400 dias marcianos (o dia em Marte é um pouco mais longo que o da Terra, com 24 horas e 40 minutos) e devem trabalhar ainda por um tempo indefinido.

Inicialmente programada para durar apenas três meses, a missão se estenderá enquanto houver verbas e os robôs se mantiverem em funcionamento.
(O Globo, 24/1)

1- Por que a existência de água líquida é fundamental para os seres vivos?

2- A energia do sol é também fundamental para a existência da vida na Terra. Explique o porquê, nomeando o processo que utiliza essa energia e que tipos de organismos são capazes de realizá-lo.

comentários[15]

16

mai
2011

Lições do passado

Esta carta foi enviada em 1854 ao presidente dos Estados Unidos. Na ocasião, o presidente queria comprar as terras de uma tribo indígena. A carta alerta para problemas atuais, seus ensinamentos são válidos até hoje.

A carta do chefe indígena

Como é que se pode comprar ou vender o céu, o calor da terra? Essa idéia nos parece estranha. Se não possuímos o frescor do ar e o brilho da água, como é possível comprá-los?

Cada pedaço desta terra é sagrado para meu povo. Cada ramo brilhante de um pinheiro, cada punhado de areia das praias, a penumbra na floresta densa, cada clareira e inseto a zumbir são sagrados na memória e experiência de meu povo. A seiva que percorre o corpo das árvores carrega consigo as lembranças do homem vermelho.

Os mortos do homem branco esquecem sua terra de origem quando vão caminhar entre as estrelas. Nossos mortos jamais esquecem esta bela terra, pois ela é a mãe do homem vermelho. Somos parte da terra e ela faz parte de nós. As flores perfumadas são nossas irmãs; o cervo, o cavalo, a grande águia, são nossos irmãos. Os picos rochosos, os sulcos úmidos nas campinas, o calor do corpo do potro, e o homem -todos pertencem à mesma família.

Por isso, quando o Grande Chefe em Washington manda dizer que deseja comprar nossa terra, pede muito de nós. O Grande Chefe diz que nos reservará um lugar onde possamos viver satisfeitos. Ele será nosso pai e nós seremos seus filhos. Portanto, nós vamos considerar sua oferta de comprar nossa terra. Mas isso não será fácil. Esta terra é sagrada para nós.

Essa água brilhante que escorre nos riachos e rios não é apenas água, mas o sangue de nossos antepassados. Se lhes vendermos a terra, vocês devem lembrar-se de que ela é sagrada, e devem ensinar as suas crianças que ela é sagrada e que cada reflexo nas águas límpidas dos lagos fala de acontecimentos e lembranças da vida do meu povo. O murmúrio das águas é a voz de meus ancestrais.Os rios são nossos irmãos, saciam nossa sede. Os rios carregam nossas canoas e alimentam nossas crianças. Se lhes vendermos nossa terra, vocês devem lembrar e ensinar a seus filhos que os rios são nossos irmãos e seus também. E, portanto, vocês devem dar aos rios a bondade que dedicariam a qualquer irmão.

Sabemos que o homem branco não compreende nossos costumes. Uma porção da terra, para ele, tem o mesmo significado que qualquer outra, pois é um forasteiro que vem à noite e extrai da terra aquilo de que necessita. A terra não é sua irmã, mas sua inimiga, e quando ele a conquista, prossegue seu caminho. Deixa para trás os túmulos de seus antepassados e não se incomoda. Rapta da terra aquilo que seria de seus filhos e não se importa. A sepultura de seu pai e os direitos de seus filhos são esquecidos. Trata sua mãe, a terra, e seu irmão, o céu, como coisas, que possam ser compradas, saqueadas, vendidas como carneiros ou enfeites coloridos. Seu apetite devorará a terra, deixando somente um deserto.

Eu não sei, nossos costumes são diferentes dos seus. A visão de suas cidades fere os olhos do homem vermelho. Talvez seja porque o homem vermelho é um selvagem e não compreenda.

Não há um lugar quieto nas cidades do homem branco. Nenhum lugar onde se possa ouvir o desabrochar de folhas na primavera ou o bater das asas de um inseto. Mas talvez seja porque eu sou um selvagem e não compreendo. O ruído parece somente insultar os ouvidos.

E o que resta da vida se um homem não pode ouvir o choro solitário de uma ave ou o debate dos sapos ao redor de uma lagoa, à noite? Eu sou um homem vermelho e não compreendo. O índio prefere o suave murmúrio do vento encrespando a face do lago, e o próprio vento, limpo por uma chuva diurna ou perfumado pelos pinheiros.

O ar é precioso para o homem vermelho, pois todas as coisas compartilham o mesmo sopro -o animal, a árvore, o homem compartilham o mesmo sopro. Parece que o homem branco não sente o ar que respira. Como um homem agonizante há vários dias, é insensível ao mau cheiro. Mas se vendermos nossa terra ao homem branco, ele deve lembrar que o ar é precioso para nós, que o ar compartilha seu espírito com toda a vida que mantém. O vento que deu a nosso avô seu primeiro inspirar também recebe seu último suspiro. Se lhes vendermos nossa terra, vocês devem mantê-la intacta e sagrada, como um lugar onde até mesmo o homem branco possa ir saborear o vento açucarado pelas flores dos prados.

Portanto, vamos meditar sobre sua oferta de comprar nossa terra. Se decidirmos aceitar, imporei uma condição: o homem branco deve tratar os animais desta terra como seus irmãos.

Sou um selvagem e não compreendo qualquer outra forma de agir. Vi um milhar de búfalos apodrecendo na planície, abandonados pelo homem branco que os alvejou de um trem ao passar. Eu sou um selvagem e não compreendo como é que o fumegante cavalo de ferro pode ser mais importante que o búfalo, que sacrificamos somente para permanecer vivos.

O que é o homem sem os animais? Se todos os animais se fossem o homem morreria de uma grande solidão de espírito. Pois o que ocorre com os animais, breve acontece com o homem. Há uma ligação em tudo.

Vocês devem ensinar às suas crianças que o solo a seus pés é a cinza de nossos avós. Para que respeitem a terra, digam a seus filhos que ela foi enriquecida com as vidas de nosso povo. Ensinem as suas crianças o que ensinamos as nossas, que a terra é nossa mãe. Tudo o que acontecer à terra, acontecerá aos filhos da terra. Se os homens cospem no solo, estão cuspindo em si mesmos.

Isto sabemos: a terra não pertence ao homem; o homem pertence à terra. Isto sabemos: todas as coisas estão ligadas como o sangue que une uma família. Há uma ligação em tudo.

O que ocorrer com a terra recairá sobre os filhos da terra. O homem não tramou o tecido da vida; ele é simplesmente um de seus fios. Tudo o que fizer ao tecido, fará a si mesmo.

Mesmo o homem branco, cujo Deus caminha e fala com ele de amigo para amigo, não pode estar isento do destino comum. É possível que sejamos irmãos, apesar de tudo. Veremos. De uma coisa estamos certos - e o homem branco poderá vir a descobrir um dia: nosso Deus é o mesmo Deus. Vocês podem pensar que O possuem, como desejam possuir nossa terra; mas não é possível. Ele é o Deus do homem, e Sua compaixão é igual para o homem vermelho e para o homem branco. A terra lhe é preciosa, e ferí-la, é desprezar seu criador. Os brancos também passarão; talvez mais cedo que todas as outras tribos. Contaminem suas camas, e uma noite serão sufocados pelos próprios dejetos.

Mas quando de sua desaparição, vocês brilharão intensamente, iluminados pela força do Deus que os trouxe a esta terra e por alguma razão especial lhes deu o domínio sobre a terra e sobre o homem vermelho. Esse destino é um mistério para nós, pois não compreendemos que todos os búfalos sejam exterminados, os cavalos bravios sejam todos domados, os recantos secretos da floresta densa, impregnados pelo cheiro de muitos homens, e a visão dos morros obstruída por fios que falam.

Onde está o arvoredo? Desapareceu.

Onde está a águia? Desapareceu

É o final da vida e o início da sobrevivência.

 

Tarefa: O que você acha que a carta tem para nos ensinar ainda hoje?

comentários[0]

15

mai
2011

Bendita água

Nossas células precisam desse precioso líquido para realizar funções vitais - disso todos sabemos. Mas fica mais fácil entender por que não dá para viver sem ele acompanhando sua viagem dentro do corpo, desde o primeiro gole até a eliminação
Por Angelo Massaine* (fonte: Planeta Sustentável)

Atenção, preparar... água!" Essa é a ordem do comandante cérebro depois de soar o alarme da sede.
E então você leva um copo ou uma garrafa aos lábios e deixa escoar seu conteúdo.
A água inunda a boca e segue goela abaixo. Que alívio! As moléculas de H2O, como uma cascata, descem pelo esôfago e deságuam no estômago. Literalmente. Até aqui poucas delas já se infiltraram no sangue. Só vão ser absorvidas mesmo no próximo estágio dessa jornada, o intestino delgado. É por meio da mucosa que reveste esse órgão que o líquido penetra para seguir o fluxo da correnteza.
A partir daí, as moléculas de H2O pegam carona no sangue que, por sinal, tem 83% do líquido em sua composição e podem chegar a cada célula. "A água se difunde pelo corpo e não há fronteiras que barrem esse percurso", conta o nefrologista Paulo Ayroza, do Hospital Sírio Libanês, em São Paulo.
"As células vivem num meio composto basicamente por água e sais", acrescenta Gehrard Malnic, professor de fisiologia e biofísica do Instituto de Ciências Biomédicas da Universidade de São Paulo. Mas dois terços da água do nosso organismo estão dentro delas. Só o restante fica no chamado compartimento extracelular, ou seja, no plasma sangüíneo e no líquido intersticial. "O interstício é o arcabouço de sustentação das células, que é preenchido por uma substância aquosa", define o biólogo Odair Aguiar Júnior, da Universidade Federal de São Paulo, campus Baixada Santista.

Suponhamos que um grupo de moléculas de água navegue rumo às células da pele, que, segundo o dermatologista Paulo Notaroberto, do Rio de Janeiro, é composta por 70% do líquido. Para chegar lá ele entra nos capilares, vasos extremamente finos que o conduzem até o tal espaço intersticial. Dentro de instantes, graças a um processo químico denominado osmose, cada célula da derme receberá o gole
necessário às suas funções. Como isso acontece?
É a famosa passagem da água de um meio com menor concentração de sais para outro mais concentrado. Livres, as moléculas transpõem a membrana e... tchibum entram no citoplasma, uma espécie de recheio celular. "As reações que acontecem nas organelas, estruturas dentro das células, dependem da presença do líquido", afirma Aguiar.
"Nosso corpo não é capaz de armazenar a água", explica o clínico geral Jacob Faintuch, da Universidade de São Paulo. Por isso um número incontável de moléculas de H2O ganha o organismo e depois vai embora. O excedente se une às substâncias produzidas pelo nosso metabolismo que não são aproveitadas, como a uréia e a creatinina, e desemboca novamente na corrente sanguínea.
Então uma dupla poderosa entra em ação os rins, que filtram diariamente o equivalente a 180 litros de sangue. Eles capturam o excedente de H2O e também os resíduos resultantes do trabalho das células. "Esse par de órgãos é responsável ainda pelo equilíbrio de sódio e potássio do nosso corpo", salienta Ayroza.
Quase todo esse volume filtrado, é claro, retorna à circulação. O que é retido se transforma em matéria-prima da urina. Quanto às moléculas de água que se dirigiram para a pele, elas não podem ficar lá para sempre. O líquido está sempre sendo absorvido, mas chega uma hora em que precisa dar adeus ao corpo. Isso pode acontecer de três maneiras: pelo suor, pela evaporação ou, retomando a corrente sangüínea, pela urina, como você já viu.
 
Dos cálices renais a urina segue para o ureter, um tubo de 25 cm que a leva até a bexiga. Lá o líquido é armazenado até receber a mensagem de que precisa ser eliminado. E então é empurrado para a uretra, canal por onde será mandado para fora do corpo. Algum tempo depois, quando a boca secar de novo e o alerta for dado, o comandante não vai hesitar em cobrar outros goles.
"A água é a molécula mais importante do corpo humano. Ela regula a temperatura e transporta os nutrientes", afirma a nutricionista Anna Castilho, do Instituto de Metabolismo e Nutrição, em São Paulo. Os resultados de uma boa hidratação também ficam à flor da pele. E aí podemos dizer que o grupo de moléculas de H2O que acompanhamos cumpriu mais uma missão. "Quando bem suprida de líquido, a pele fica menos propensa a alergias e infecções", ressalta o dermatologista Notaroberto. O recado, portanto, é simples como beber um copo d'água: garanta que muito líquido continue banhando seu organismo por dentro. E muito importante faça o que estiver ao seu alcance para preservar as reservas naturais do planeta.

Responda, após ler o texto, nos comentários: qual sua atitude concreta para preservar estas reservas?

comentários[21]

9

abr
2011

Experimentos

olá pessoal do 6o.EF

os experimentos que fizemos nesta sexta-feira estão disponíveis nos endereços abaixo.

Bexiga: http://www.pontociencia.org.br/experimentos-interna.php?experimento=741&PROVANDO QUE O AR OCUPA LUGAR NO ESPACO.

Canudinho: http://www.pontociencia.org.br/experimentos-interna.php?experimento=744&CANUDINHO MAGICO

vá passando pelos passos do experimento até chegar ao vídeo.

até mais

Prof. Gustavo

comentários[0]

Você está aqui

Twitter

Assinar RSS

mais buscadas

2004-2011 Educação Adventista Todos os direitos reservados.