Portal da Educao Adventista

*Professor Genivaldo *

14

jul
2015

O 14 de julho não comemora a queda da Bastilha. Como assim?

 

Faz parte do senso comum afirmar que no dia 14 de julho é comemorada a queda da Bastilha, ato que marcou o início da Revolução Francesa em 1789. Pouca gente sabe, no entanto, que a data entrou para o calendário cívico daquele país como a celebração de outro evento: a Festa da Federação, realizada em 14 de julho de 1790.

A escolha do evento a ser celebrado foi feita no fim do século XIX, quando a Terceira República da França buscava consolidar o novo regime e construir um imaginário nacional próprio. Em 1880, o deputado Benjamin Raspail propôs o dia da tomada da Bastilha como data da festa nacional. Alguns parlamentares, no entanto, lembraram a violência que havia marcado aquela jornada revolucionária, quando o povo de Paris cortou a cabeça do governador da prisão e linchou os veteranos encarregados de vigiar os prisioneiros.

Por conta do caráter polêmico da tomada da Bastilha, os deputados preferiram escolher a manifestação de 1790, por ser mais consensual. A Festa da Federação marcou o momento em que, após os enfrentamentos do ano anterior, o povo francês se reconciliou.

A partir do dia 1º de junho de 1790, operários trabalharam ao lado de burgueses para transformar o Campo de Marte, em Paris, em um imenso circo com capacidade para 100 mil pessoas, no centro do qual se erguia o Altar da Pátria. A reforma, para a qual se recorreu à boa vontade dos parisienses, foi realizada em um clima de fraternidade e entusiasmo. Até mesmo o rei Luís XVI foi visto empunhando uma enxada, assim como o marquês de La Fayette, nobre que apoiava a revolução, apareceu em mangas de camisa.

Naquele momento a França ainda não era uma República. A agitação social do ano anterior havia levado a monarquia a aceitar uma Constituição. Até ali, os franceses ainda respeitavam seu rei, contanto que ele observasse as leis e a autoridade emanadas do povo. A Festa da Federação foi organizada justamente para celebrar uma decisão da Assembleia Constituinte de 7 de junho de 1790, que reunia as diversas milícias de cidadãos formadas nas províncias.

Assim, no dia 14 de julho de 1790, cerca de 100 mil soldados federados entraram em Paris e desfilaram da Bastilha ao Campo de Marte. Luís XVI, a rainha Maria Antonieta e o delfim (príncipe herdeiro) instalaram-se no pavilhão montado em frente à Escola Militar. Do outro lado, haviam erigido um arco triunfal. Nas tribunas, acotovelavam-se 260 mil parisienses.

Por fim, no ponto alto da celebração, La Fayette jurou fidelidade à nação, ao rei e à lei, juramento repetido pela multidão. Luís XVI jurou fidelidade à Constituição. Um Te Deum (hino litúrgico) encerrou a jornada, que terminou em vivas e abraços.

Não se contestou a monarquia, ratificou-se a revolução e se celebrou a união nacional. Foi esse espírito que os deputados do século XIX quiseram associar ao 14 de julho. Na memória coletiva, porém, a data sempre será lembrada como o dia em que o povo tomou a Bastilha, o maior símbolo do absolutismo francês.

 

Fonte: História Viva - UOL

comentários[7]

14

jul
2015

Coco: fruta promete contribuir para a perda de peso

O coco possui muito mais benefícios do que você imagina! Confira dicas de especialistas para aproveitar todos os nutrientes que a fruta oferece:
 
Segundo a nutricionista Vania Mattoso da Clínica Juliana Neiva, os componentes nutricionais presentes no coco atuam como antivirais que combatem fungos e bactérias, melhoram a resposta imunológica, aumentam o colesterol bom, reduzem o apetite e protegem o coração.
 
E você sabia que a fruta também contribui para o emagrecimento? O ácido láurico e o ácido monolauril presentes no coco, ajudam a reduzir o percentual de gordura corporal, pois contribuem para que as gorduras utilizadas como fonte de energia. O coco também é rico em substâncias anti-infamatórias, facilitando a perda de peso, uma vez que o sobrepeso e obesidade são decorrentes de desequilíbrios inflamatórios. "O ideal é consumir a carne do coco seco, leite de coco ou coco em flocos", indica a nutricionista.
 
Para incluí-lo no cardápio aposte em óleo de coco e o coco em flocos para fazer bolos ou panquecas. Os smoothies podem levar o leite de coco em sua composição e também é possível consumir o coco seco como lanche. 
 
Além de ser um ótimo aliado na alimentação, o óleo de coco também ajuda a hidratar peles e cabelos secos. Ele pode ser usado como um pré-xampu por ser um ótimo hidratante. "Aplica-se o óleo de coco nos fios do cabelo por 15 minutos antes de tomar o banho. Isso vai deixar o cabelo mais luminoso. Também pode ser usado para aliviar os sintomas da caspa", conta a dermatologista Juliana Neiva. No inverno, também é indicado usar o óleo de coco nas áreas mais secas do corpo antes de entrar no banho para manter a pele hidratada. 
 
Fonte : Corpo a Corpo / UOL - Via Lake Villas

comentários[16]

5

jul
2015

Qual é a diferença entre gripe e resfriado?

 

 

80267384

 

A diferença principal é que a gripe pode matar e o resfriado, no máximo, pode te deixar meio caidão. A sabedoria popular costuma dizer que a gripe é um estágio avançado do resfriado, mas isso é um tremendo engano. Gripe e resfriado são infecções distintas, causadas por tipos de vírus bem diferentes: a gripe é causada por um tipo específico de vírus (o influenza), enquanto o resfriado pode ser desencadeado por vários tipos de vírus.

 

Os sintomas iniciais são bem parecidos - nariz entupido e dores no corpo, principalmente -, mas a gripe logo se diferencia: além de produzir dores mais intensas, gera náuseas, febre, congestionamento das vias respiratórias e comprometimento do sistema imunológico, o que pode abrir espaço para problemas mais graves, como a pneumonia. O resfriado, pelo contrário, não costuma ir além de dores leves, tosse, espirros e coriza no nariz. Muitas vezes, inclusive, resfriado é confundido com crise de rinite alérgica. "Ninguém perde uma festa ou um dia de trabalho por causa de um resfriado. Se você tiver que ficar de cama, é gripe!", diz o pneumologista Clystenes Soares, da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp).

 

Não há um exame que consiga detectar se você está gripado ou resfriado, mas, depois de 24 horas, os sintomas já deixam claro a gravidade do problema. Nos dois casos, repouso é uma ótima dica, tanto para evitar que a infecção fique mais forte, quanto para poupar seus colegas, já que tanto gripe quanto resfriado são transmitidos pelo ar e pelo contato.

 

Fonte: Mundo Estranho

comentários[27]

Clima Tempo