Portal da Educao Adventista

*Professor Genivaldo *

30

abr
2013

Trocas alimentares para quem tem colesterol alto

Quer botar o colesterol alto para escanteio? Então a dica de hoje é simples e bastante eficaz: faça trocas alimentares.
 
Substitua alimentos altamente ricos em gordura por opções mais nutritivas e vantajosas para a saúde.
 
Alguns estudos apontam o benefício das fibras no combate ao LDL (colesterol ruim) e também que peixes, nozes e castanhas ajudam a controlar as taxas de colesterol no sangue. Então que tal reunir esse arsenal alimentar e combater o colesterol ruim?
 
Nós trouxemos algumas sugestões de trocas para você colocar em prática no dia a dia. O melhor de tudo é que essas substituições não são tão drásticas no cotidiano, mas vão fazer uma diferença enorme para quem procura uma vida mais saudável e livre dos perigos que o alto colesterol pode provocar. Confira abaixo!
 
Leite integral por leite desnatado - a bebida desnatada tem o mesmo teor do integral, com a vantagem de ter menos ácidos graxos saturados, gorduras que elevam os níveis de LDL, o colesterol considerado ruim.
 
Pão francês por pão integral - a massa integral é rica em fibras. Esse ingrediente serve de alimento a bactérias aliadas que moram no intestino, que fabricam então mais propionato, substância relacionada aos níveis de gordura na circulação. Ao chegar ao fígado, ela diminui a produção de colesterol.
 
Salgadinhos por castanhas - troque a gordura trans do salgadinhos pelas castanhas ou nozes, ricas de gordura monoinsaturada, benfeitora do colesterol.
 
Manteiga por margarina - na disputa a margarina leva vantagem porque não conta com a famigerada gordura de origem animal e o colesterol.
 
Sal por ervas - ao invés de exagerar no sal troque por ervas aromáticas, como o alecrim, o orégano, além de usar alho. Eles possuem compostos capazes de controlar o colesterol.
 
Cereais com açúcar por aveia - A aveia é rica em betaglucanas, fibras fermentadas no intestino e capazes de regular a síntese do colesterol.
 
Molho branco por molho de tomate - o molho branco é bem mais "gordo" que o de tomate, já que o preparo exige creme de leite e queijo, cheio de ácidos graxos saturados.
 
Óleo de soja ou outros por azeite - O óleo de oliva tem como uma de suas vantagens fornecer doses generosas de ácidos graxos monoinsaturados, que não aumentam os níveis de LDL e ainda ajudam a erguer um pouco as taxas de HDL, a fração boa do colesterol.
 
Queijo por tofu - O tofu é feito de soja, e sua proteína aumenta a atividade de receptores que colocam o LDL para dentro das células, inibindo a principal enzima responsável pela produção de colesterol.
 
Chocolate ao leite por chocolate amargo - o chocolate amargo possui menos gorduras saturadas que o branco e a versão ao leite, além de contar com catequinas, substâncias que ajudam a combater o colesterol ruim.
 
 
Fonte: Vila Mulher - via Lake Villas

comentários[0]

30

abr
2013

Por que os buracos da camada de ozônio ficam nos pólos?

Por que os buracos da camada de ozônio ficam nos pólos?

 
 

Essa dúvida faz sentido: se os maiores lançadores de gases que detonam a camada de ozônio são os países do hemisfério norte, por que o rombo maior fica sobre a Antártida? Simples: as moléculas desses gases maléficos são carregadas para os pólos por correntes de ar poderosas, que viajam do Equador em direção aos extremos do globo. Por causa desse fenômeno natural, os pólos se tornam depósitos naturais de gases que têm vida longa - como o CFC, o clorofluorocarboneto, principal destruidor da camada de ozônio (você confere o efeito maléfico do CFC no infográfico ao lado).

 

Sem a camada de ozônio na alta atmosfera, entre 20 e 35 quilômetros de altitude, o ser humano fica vulnerável aos efeitos nocivos dos raios ultravioleta que vêm do Sol. Eles podem causar, por exemplo, um aumento na incidência dos casos de câncer de pele. Os cientistas detectaram pela primeira vez um buraco na camada de ozônio na década de 1980. Hoje, há um buraquinho sobre o Pólo Norte e um buracão de 28 milhões de km2 (mais de 3 vezes o tamanho do Brasil!) sobre o Pólo Sul. Para diminuir o problema, 180 países já aderiram ao Protocolo de Montreal, um acordo para reduzir a fabricação de produtos que tenham CFC e outros gases destruidores da camada de ozônio. O esforço tem dado certo: nos últimos 10 anos, a velocidade de destruição da camada vem diminuindo. Mas os cientistas calculam que serão precisos 50 anos para a camada se regenerar por completo.

 

O buraco é mais embaixo Correntes de ar fazem o rombo se concentrar no Pólo Sul

1. A camada de ozônio (O3) nasce de uma reação dos raios ultravioleta do Sol com o oxigênio (O2) da atmosfera. Em contato com o UV, os átomos de oxigênio se rearranjam, formando moléculas de O3 que funcionam como escudo contra os raios UV do Sol.

 

2. Os raios UV também modificam os gases CFC (clorofluorocarbonetos), emitidos por produtos como geladeiras, sprays e ares-condicionados. A ação do ultravioleta decompõe as moléculas de CFC em seus elementos básicos: cloro, flúor e carbono.

 

3. Liberado no ar, o cloro (Cl) reage com o ozônio (O3), formando uma mólecula de oxigênio (O2) e outra de óxido de cloro (ClO). Como o cloro pode existir por até 80 anos, um único átomo destrói milhares de moléculas de ozônio.

 

4. Os maiores emissores de CFC são os países do hemisfério norte. Mas a sujeira não fica por lá porque poderosas correntes de ar levam os gases tóxicos para os extremos norte e sul do globo. Por isso, os buracos da camada de ozônio aparecem apenas nos pólos.

 

5. O buraco no sul é bem maior que no norte porque no Pólo Sul a temperatura é mais fria e a circulação atmosférica é pequena. Com isso o CFC se concentra em enormes quantidades nas nuvens. Quando chegam os meses de sol, os raios UV dissolvem essas nuvens de uma só vez, liberando uma quantidade muito maior de cloro para detonar o ozônio.

 

Fonte: Mundo Estranho

comentários[1]

30

abr
2013

Chá gelado com gengibre, limão e canela evita gripes e resfr

Nem sempre tomar gelado vai te deixar doente. Isso depende muito da sua imunidade, que se estiver baixa, pode estar suscetível a gripes e resfriados. Contudo, se alimentando bem, seu corpo pode ficar mais resistente e se manter longe desses problemas.
 
Entre os ingredientes que não podem faltar na dieta estão o gengibre e a canela. "O gengibre é um excelente expectorante e atuante na formação de agentes que estimulam funções vitais do organismo. Já a canela tem ação termogênica capaz de manter o corpo aquecido", afirma a nutricionista Valéria Carvalho, da Tutti Frutti.
 
A especialista ensina uma receita fácil que leva esses dois ingredientes, combinados com limão e frozen, para um chá gelado gostoso e muito benéfico. Confira!
 
Chá gelado de gengibre, limão e canela
 
Ingredientes
 
1 pedaço de gengibre
1 pau de canela
200 grs de frozen yogurt original
Suco de meio limão
1 copo e meio de água
 
Modo de fazer
Higienize e descasque o gengibre. Depois, leve ao fogo junto com o copo e meio de água e a canela. Após ferver, leve-o à geladeira e, quando resfriar, bata-o no liquidificador com o suco de limão e o frozen yogurt sabor original. Sirva ainda gelado. Rende duas taças.
 
 
Fonte: iTodas - via Lake Villas

comentários[0]

29

abr
2013

O que são sambaquis?

o-que-sao-sambaquis

 

São enormes montanhas erguidas em baías, praias ou na foz de grandes rios por povos que habitaram o litoral do Brasil na Pré-História. Eles são formados principalmente por cascas de moluscos - a própria origem tupi da palavra sambaqui significa "amontoado de conchas". Mas essas elevações também contêm ossos de mamíferos, equipamentos primitivos de pesca e até objetos de arte, num verdadeiro arquivo pré-histórico. Os arqueólogos calculam que existam milhares de sambaquis espalhados pela costa do país. Os mais antigos nasceram há cerca de 6 500 anos. Não se sabe ao certo o que levou nossos ancestrais a construírem essas curiosas montanhas. Durante muito tempo, pensou-se que elas eram formadas apenas por restos de alimentos, uma espécie de lata de lixo da pré-história. Mas uma investigação mais detalhada revelou que, além de vestígios de comida, havia muitos esqueletos nos sambaquis, levando especialistas a acreditarem que boa parte deles era também cemitério.

 

O tamanho das elevações mostra ainda que os sambaquis serviam como monumentos para identificar o grupo que habitava uma determinada região. Estudando essas construções, os pesquisadores conseguem montar um retrato dos homens pré-históricos do litoral brasileiro. "Os restos de peixes e moluscos indicam que eles eram pescadores e coletores. E, como certos sambaquis eram erguidos ao longo de mil anos, descobrimos que a maioria dos grupos era sedentária e não nômade, como se pensava antes", diz o arqueólogo Paulo DeBlasis, da Universidade de São Paulo (USP). Decifrar o destino dessas comunidades ainda é um desafio. Provavelmente, elas foram eliminadas ou se misturaram às culturas tupi-guaranis que avançaram do norte e do sul do país rumo ao litoral, por volta do início da era cristã. As incertezas continuam, em grande parte, porque muitos sambaquis foram destruídos ou estão em péssimo estado de conservação.

 

"Desde o século 16, as camadas de conchas são removidas para a fabricação de cal. A devastação piorou com a abertura de estradas e o crescimento das cidades litorâneas a partir da década de 1960", afirma Paulo.

 

Montanha com história Local guarda vestígios arqueológicos de 6 500 anos

BANQUETE E CÁRIES


Restos de fogueira e de alimentos indicam que a dieta dos sambaquieiros vinha principalmente do mar. Algumas comunidades já cultivavam vegetais, o que trazia um problema inesperado: em cadáveres de sambaquis do Rio de Janeiro, a alta incidência de cáries pode estar relacionada ao consumo excessivo de mandioca.

 

ADUBO ORGÂNICO


Hoje, a maioria dos sambaquis aparece coberta por uma camada de plantas. O cálcio das conchas enterradas por milhares de anos serve como um importante nutriente para os vegetais, favorecendo sua fixação no local.

 

HABILIDADE ANCESTRAL


A destreza dos sambaquieiros ficou registrada nos zoólitos, esculturas de pedra que representam mais de duas centenas de animais e de figuras geométricas. Em alguns casos, os artesãos caprichavam tanto nas imagens de peixes que é possível até reconhecer a espécie representada.

 

OSSOS DO OFÍCIO


Os ossos robustos dos esqueletos encontrados revelam alguma atividade física constante - provavelmente, a pesca. Entre os corpos sepultados, certos esqueletos aparecem cobertos com corante vermelho ou com várias esculturas ao lado. Podiam ser os chefes do bando, já que esse ritual especial indica algum tipo de hierarquia.

 

ARSENAL PESQUEIRO


Espinhos de peixe, esporões de raia, ossos de macaco e de porcos-do-mato eram afiados para virarem arpões e lanças de pesca. A presença de ossos de predadores ferozes, como tubarões,mostra que os homens pré-históricos eram exímios e corajosos pescadores.

 

Cemitério vertical Mais de 40 mil corpos já foram encontrados num sambaqui

1. Os sambaquis que guardam restos de mortos começavam a crescer quando as primeiras covas eram cavadas na areia da praia. Vestígios de oferendas, restos de fogueira e de comida indicam que algum tipo de ritual precedia o sepultamento.

 

2. Em volta das covas, arqueólogos encontraram uma grande quantidade de buracos de estacas. São pistas de que uma estrutura de madeira, hoje já decomposta, demarcava o local onde estava o morto, numa espécie de túmulo.

 

3. Após algumas décadas, quando as novas gerações de sambaquieiros não tinham mais ligação sentimental com o morto enterrado dezenas de anos antes, conchas e ossos de peixe eram lançados sobre as sepulturas. Essa grossa capa de até 60 centímetros de espessura servia de base para uma nova leva de sepultamentos.

 

4. O sambaqui crescia com a repetição de cerimônias fúnebres por até mil anos. Hoje, algumas montanhas ultrapassam 30 metros de altura, com centenas de camadas de esqueletos e conchas. Num sambaqui no sul de Santa Catarina há mais de 43 mil cadáveres.

 

Rodrigo Ratier - Mundo Estranho

comentários[2]

29

abr
2013

Veja lista dos 12 alimentos mais contaminados com pesticidas

Todos sabem que frutas, legumes e vegetais em geral precisam receber produtos que combatem pragas no seu cultivo. O que muitos podem desconhecer são quais alimentos recebem as maiores quantidades de agrotóxicos, substâncias que chegam ao corpo quando ingerimos tais itens.
 
%u200BO site The Huffington Post publicou a lista dos 12 alimentos mais contaminados nos Estados Unidos, examinados pela entidade sem fins lucrativos Environmental Working Group (EWG). A lista é conhecida como Dirty Dozen, algo como os 12 sujos.
 
A maçã lidera o ranking há nove anos seguidos. A lista é feita com a análise de 48 alimentos e, segundo a entidade, 67% deles ainda carregam pesticidas mesmo depois de lavados.
 
Segundo estudos, agrotóxicos estão associados a problemas de saúde, principalmente em crianças. Também podem ser carcinogênicos, bem como alterar a produção hormonal do organismo.
 
Confira a lista:
 
Maçãs
99% das amostras testadas demonstraram a presença de pelo menos um tipo de agrotóxico
 
Morangos
Trata-se do segundo alimento mais contaminado segundo análise de organização sem fins lucrativos
 
Uvas
As amostras verificadas pela Environmental Working Group (EWG) identificaram 15 tipos de substâncias tóxicas na fruta
 
Salsão
Foram identificados 13 diferentes tipos de agrotóxicos no alimento
 
Pêssegos
As frutas ficaram em quinto lugar entre os alimentos mais contaminados com pesticidas
 
Espinafre
Entre os vegetais, é o segundo mais contaminado segundo análise feita por entidade que verifica nível de agrotóxicos em alimentos
 
Pimentões
Foram encontrados resíduos de 15 pesticidas no alimento
 
Nectarinas
Em todas as amostras testadas da fruta foram identificados agrotóxicos
 
Pepinos
Ocupa o nono lugar na lista dos alimentos mais contaminados
 
Batatas
Segundo análise da Environmental Working Group (EWG), os alimentos também estão repletos de agrotóxicos
 
Tomates-cereja
Contém 13 tipos diferentes de pesticidas
 
Pimentas
Ocupam a 12ª posição entre os alimentos mais contaminados com agrotóxicos
 
 
Fonte: Ponto a Ponto Ideias / Terra - via Lake Villas

comentários[2]

28

abr
2013

Formigas dormem?

 
 
 

MUNDOESTRANHO-131-37B

 

Sim. Especialistas concordam que, como a maioria dos animais, elas dividem seu tempo entre atividade e descanso - quando a ação metabólica diminui. Mas isso não seria bem o que chamamos de sono. "Há registros de formigas vistas 'deitadas de lado', que, quando instigadas, retomaram a posição normal. Eu hesitaria em dizer que elas 'acordaram', mas a analogia é possível", explica o mirmecologista (especialista em formiga) Carlos Brandão. Uma pesquisa norte-americana de 2009 indicava que ao menos as formigas-de-fogo (Solenopsis Invicta) dormem sim - em pequenos cochilos.

 

- As operárias "dormem" em turnos, mantendo sempre 80% da força de trabalho acordada.

 

CONSULTORIA Carlos Brandão, pesquisador do Museu de Zoologia da Universidade da USP, e Ana Eugênia de Carvalho, pesquisadora do Instituto Biológico de São Paulo FONTES Journal of Insect Behavior Vol. 22 - via Mundo Estranho

comentários[1]

28

abr
2013

Como o rio Tietê ficou poluído?

 

image

 
 
 

O estrago no rio mais importante do estado de São Paulo, com 1.150 quilômetros de extensão, começou na década de 1920. "Com as obras para tornar as margens retas na capital para construir pistas, as pessoas pararam de frequentar o rio e ele foi virando um depósito de lixo", diz Malu Ribeiro, coordenadora da Rede das Águas da Fundação SOS Mata Atlântica. Desde então, esgoto, resíduos industriais e todo tipo de porcaria contribuíram para tornar o Tietê um dos mais nojentos do mundo. Hoje, o maior vilão é o esgoto doméstico: só 44% dos moradores da bacia do Alto Tietê têm esgoto tratado. Ainda bem que o rio é um morto vivo: depois de apodrecer, renasce à medida que se afasta da capital. :-F

 

OPERAÇÃO LIMPEZA


Esgoto tratado pode ajudar a despoluir o rio


Todo o esgoto doméstico, tratado ou não, em algum momento vai parar nos rios. Já que isso não dá para mudar, o projeto de despoluição do Tietê comandado pela Sabesp (empresa de saneamento do estado de São Paulo) quer ampliar a rede de tratamento de esgotos para a população que vive em torno do rio. Em 1990, apenas 24% do esgoto em São Paulo era tratado. Hoje, já são 68%. Nesse período, a extensão da faixa de rio completamente poluído diminuiu mais de 200 quilômetro.

 

LAVANDO A ROUPA SUJA


Como o rio que nasce limpo fica imundo, morre e renasce


NASCENTE EM SALESÓPOLIS


Nesta cidade no interior paulista, a água brota limpa e transparente por entre pedras, dentro da reserva ambiental Parque Nascentes do Rio Tietê. Em plena serra do Mar, a nascente fica a 1 027 metros de altitude. Dá para encontrar peixes, plantas e vários animais vivendo no rio ou ao redor dele. Quem for mais corajoso pode até beber a água...

 

BIRITIBA MIRIM


Neste trecho já há vestígios de poluição, mas a maior parte dela ainda é orgânica. O maior estrago aqui é feito por agrotóxicos e fertilizantes jogados na água por fazendeiros da região. Eles literalmente fertilizam a água (principalmente quando contém fosfato) e fazem as plantas aquáticas proliferar e competir com os peixes e outros seres vivos por oxigênio.

 

MOGI DAS CRUZES


Aqui a casa começa a cair: o rio começa a receber esgotos domésticos das cidades da região. Os dejetos chegam à água sem tratamento nenhum, fator que mais contribui para a poluição. Imagine a descarga dos 362 mil moradores de Mogi indo parar direto no rio. Resultado: neste pedaço, são despejadas cerca de 60 toneladas de esgoto por dia.

 

GUARULHOS


Na Grande São Paulo, são 680 toneladas de esgoto (medidas em oxigênio necessário para consumir a poluição) diárias. A partir daqui, são 100 quilômetros de rio morto: com a sujeira, nenhum peixe ou planta sobrevive - sobram apenas bactérias anaeróbias. Neste trecho, o rio também fica paradão. Como sua largura e profundidade foram diminuídas, a vazão é de 114 mil litros por segundo, pouco para um rio desse porte.

 

PIRAPORA DO BOM JESUS


Neste trecho, há espumas brancas que se formam quando restos de detergente são agitados pelas cachoeiras. Essas quedas auxiliam o rio a recuperar vida: ajudam a barrar naturalmente a poluição e a movimentar e oxigenar a água, em um processo natural chamado autodepuração. Além disso, novos afluentes jogam um balde de água fria, mas limpa, no Tietê.

 

CONCHAS


Com mais oxigênio, voltam a surgir peixes, plantas, algas e micro-organismos. Antes de chegar aqui, o rio ainda recebe água de boa qualidade de afluentes como o rio Sorocaba e o rio Capivari, ganhando cara de rio "normal" novamente. Apesar da poluição remanescente, aqui já há barcos navegando e até quem arrisque nadar nele.

 

BARRA BONITA


Quando chega por aqui, o Tietê já se recuperou do passado negro e virou um belo rio. A qualidade das águas ainda não é ideal, mas, com um bom tratamento, já serve até para abastecer algumas cidades. Mas nada é perfeito. Daqui até chegar à sua foz, no rio Paraná, na bacia do Baixo Tietê, em mais 600 quilômetros de curso, não há medição sistemática da poluição, apenas controles esporádicos.

 

Fonte: Mundo Estranho

comentários[2]

28

abr
2013

Qual é a origem da uva sem caroço?

 

 

 O surgimento das uvas sem caroços ocorreu há séculos, por meio de mutação genética, conforme explica o pesquisador João Dimas Garcia Maia, um dos coordenadores do Programa de Melhoramento Genético de Uva da Embrapa.

 

Tecnicamente chamadas de "apirênicas", as uvas sem sementes podem ser obtidas de duas formas: ou por partenocarpia, espécie de fruto imaculado, quando ele se desenvolve sem que haja fecundação, ou por (pausa para respirar) estenoespermocarpia, situação em que ocorre a fecundação, mas os embriões são abortados. No segundo caso, há vestígios de sementes rudimentares. As variedades de uvas apirênicas mais antigas são a Black Corinto e a Sultanina. Segundo o pesquisador, atualmente existem mais de 100 cultivares de uvas sem caroços.

 

Fonte: Super Interessante

comentários[1]

22

abr
2013

Fast-food tem efeito similar ao da hepatite

 

 

Consumido regularmente fast-food tem efeito similar ao da hepatite

 

 Os danos que essa alimentação causa ao fígado são similares ao da doença.

 
Fast-food e hepatite são sinônimos, você sabia? Quem garante é o médico Drew Ordon, que no programa de TV "The Doctors" revelou que o efeito do consumo deste tipo de alimento, quando feito de forma regular, pode vir a causar danos ao fígado similares ao da doença. 
 
O dano ocorre, segundo o especialista, porque o açúcar é adicionado aos alimentos, além do sal e da gordura para fritar. O açúcar é inserido para ajudar as frituras a se tornarem douradas e crocantes. Com o tempo, a quantidade de gordura saturada vai engordando o fígado, causando o mesmo efeito da hepatite. Assim como a doença, essa alimentação errônea pode causar a falência do órgão. 
 
E para quem tem dúvidas sobre as opções saudáveis de alimentação que existem nessas lanchonetes, elas também são condenadas por especialistas. As substâncias químicas usadas na conservação destes alimentos ditos saudáveis também prejudicam o organismo. 
 
 
Fonte: Bem Star - via Lake Villas

comentários[1]

21

abr
2013

Os cristãos e as pirâmides de lucro fácil

 

Ontem, recebi e-mail de um leitor preocupado com um assunto que tem incomodado. Eu mesmo já recebi alguns e-mails inconvenientes que prometem ganho fácil. Por isso, resolvi publicar este texto, com informações do leitor e algumas "garimpagens" minhas.

 

Ultimamente, tem-se visto em várias igrejas pessoas que convidam outras a aderir a esquemas de alta e rápida lucratividade, do tipo Mister Colibri eTelexfree (leia também isto), planos que têm o potencial de virar verdadeiras "febres" por algum tempo. Apesar de a propaganda denominá-los de empresas de "marketing multinível" e de envolverem pequenas atividades que disfarçam sua real natureza, negócios como esses configuram verdadeiros esquemas ponzi ou pirâmides financeiras.



Em pirâmides financeiras, o investimento de adesão dos novos associados, geralmente alto, gera renda para seus recrutadores, bem como para os que estão acima na pirâmide, até certo nível. E, o principal, para também obter lucro, o associado precisa, ele também, recrutar outras pessoas. Nesses esquemas, os associados precisam periodicamente fazer novos investimentos.


A Economia e a História já provaram que pirâmides financeiras tendem a saturar, colapsar e, por fim, quebrar, provocando graves prejuízos aos participantes, especialmente aos que entraram por último e estão na base da pirâmide.



A legislação brasileira considera ilegais atividades desse gênero. Conforme preceitua a Lei 1521/51, que dispõe os crimes contra a economia popular: "Art. 2º. São crimes desta natureza: IX - obter ou tentar obter ganhos ilícitos em detrimento do povo ou de número indeterminado de pessoas mediante especulações ou processos fraudulentos ('bola de neve', 'cadeias', 'pichardismo' e quaisquer outros equivalentes)."



Cristãos deveriam se preocupar com essa prática notadamente exploratória e gananciosa, impedindo que ela seja disseminada nos templos, inclusive sob a alegação de ser "uma bênção de Deus para os participantes".



É preocupante também a forma como os participantes buscam recrutar novos membros para seu esquema, com muito mais interesse e afinco do que tentam atrair ovelhas para o caminho de Deus. De igual modo, também causa incômodo ver o quanto as pessoas estão agindo inconsequentemente em busca de dinheiro, aplicando recursos (muitos até fazendo empréstimos) em negócios obscuros e ilícitos, mas que proporcionam alto lucro em pouquíssimo tempo.

 

Evidentemente que para que as "pirâmides" possam ser caracterizadas como crimes contra a economia popular, toda a questão girará em torno da existência ou não de dolo por parte daqueles que promovem essas atividades, isto é, se existe ou não vontade consciente de ludibriar, fraudar e/ou ganhar dinheiro fácil às custas da coletividade (algo que dificilmente se pode saber, de início). Como geralmente esses tipos de "correntes" ou "pirâmides" funcionam à margem da lei, tornam-se  instrumento fácil de sonegação de impostos e demais práticas irregulares, dentre as quais o próprio financiamento do tráfico de drogas, já que são atividades que por sua própria natureza informal não sofrem a fiscalização do poder público. Justamente a falta de fiscalização é que torna essas atividades extremamente perigosas.

 

A propósito, segue abaixo ementa de uma decisão do Tribunal de Justiça de SP, que analisando um caso concreto, concluiu pela ilegalidade da situação:

 

"Ementa: ...conhecida por corrente ou pirâmide fraudulenta (obrigar o contratante a arregimentar novos subscritores para receber bonificações compensatórias do valor pago para ingresso na cadeia que favorece exclusivamente quem vende a ilusão do lucro fácil) - Prática condenada (art. 2º, IX, da Lei 1521/51) e [...] Ementa: Negócio realizado com a falsa aparência de marketing multinível e que encerra verdadeira ilicitude conhecida por corrente ou pirâmide fraudulenta (obrigar o contratante a arregimentar novos subscritores para receber bonificações compensatórias do valor pago para ingresso na cadeia que favorece exclusivamente quem vende a ilusão do lucro fácil) - Prática condenada (art. 2º, IX, da Lei 1521/51) e que não sobrevive com a cumplicidade da internet, por falta de boa-fé objetiva quanto ao dever post factum finitum - Provimento, em parte, rescindindo o contrato (art. 166, II, do CC), obrigando a devolução da quantia paga atualizada, excluído o dano moral (9088484-23.2009.8.26.0000. Apelação / Perdas e Danos. Data do julgamento: 07/10/2010; TJSP)."

 

Além do crime contra a economia popular, esse tipo de "esquema" pode também, dependendo do caso, configurar estelionato, tipificado no art. 171 do CP:

 

"Art. 171 - Obter, para si ou para outrem, vantagem ilícita, em prejuízo alheio, induzindo ou mantendo alguém em erro, mediante artifício, ardil, ou qualquer outro meio fraudulento: Pena - reclusão, de um a cinco anos, e multa, de quinhentos mil réis a dez contos de réis."

 

E é bom lembrar que sonegação de impostos também é crime.

 

Um dos e-mails que recebi me convidando para uma dessas "correntes" chegou ao extremo de citar o Salmo 112:3: "Prosperidade e riquezas haverá na sua casa, e a sua justiça permanece para sempre." Sim, prosperidade e riquezas (que nem sempre têm que ver apenas com dinheiro) haverá na casa do justo (se Deus assim o quiser). Mas e o que dizer dajustiça, também mencionada no verso? Será que esquemas obscuros de lucro fácil passam no crivo da justiça?

 

À luz da Bíblia e do Espírito de Profecia, não há dúvidas de que tudo que represente aparência do mal deve ser evitado pelo cristão. Devemos, por precaução, ficar longe desse tipo de "investimento". Dinheiro nunca é ganho de maneira fácil, senão com o "suor do rosto". Toda e qualquer atividade que desvie o foco do cristão dos "tesouros do Céu" e o faça focalizar apenas o ganho fácil, torna-se perigosa e deve ser vista com cautela.

 

Fonte: http://www.criacionismo.com.br/

comentários[0]

20

abr
2013

Boston: o perfil de um terrorista

 

Um dos suspeitos do ataque terrorista em Boston, o jovem de origem tchetchena Tamerlan Tsarnaev, disse que não tinha "um único amigo" nos Estados Unidos. Ele morreu durante uma troca de tiros com a polícia na manhã desta sexta (19). O outro suspeito do atentado é o irmão mais novo de Tamerlan, Dzhokhar Tsaenaev, 19, que continua foragido. A ação, realizada na tarde de segunda (15), deixou um saldo de três mortos e 176 feridos. Tamerlan era apaixonado por boxe. Em um perfil publicado em uma revista local em 2008, o jovem estudante de engenharia da faculdade comunitária de Bunker Hill, em Boston, afirma que deixou os estudos por um semestre para se dedicar a campeonatos estudantis do esporte. "Se eu ganhar um monte de lutas poderia me tornar cidadão dos Estados Unidos para competir na Olimpíada", disse Tamerlan Tsarnaev. Ele e sua família deixaram a Tchetchênia no início dos anos 1990, devido ao conflito armado na região, e chegaram a viver por alguns anos no Cazaquistão, antes de se mudarem para os Estados Unidos.

 

Segundo conta reportagem da revista Slate, Tamerlan dizia se sentir isolado por manter um estilo de vida diferente da maioria dos jovens norte-americanos, por não fumar nem consumir álcool. "Eu sou muito religioso. Deus diz 'não' ao álcool', disse ele. "Mas não há mais valores e as pessoas não se preocupam mais em se portar bem."
Após o anúncio dos ataques, o pai dos suspeitos, Anzor Tsarnaev, disse não acreditar que seus filhos estejam envolvidos no ataque. Ele defendeu o filho mais novo, que disse se tratar de um jovem inteligente e talentoso. "Meu filho é um verdadeiro anjo. Dzhokhar é estudante do segundo ano de medicina nos Estados Unidos. Ele é um garoto muito inteligente. Nós esperávamos ele para as férias." [...]

Nota: Conforme destacou o amigo jornalista Ruben Holdorf, chama atenção o perfil do suspeito construído pelas autoridades norte-americanas e reproduzido pelas mídias subservientes. Tamerlan e a família dele deixaram a Tchetchênia no início dos anos 1990, devido ao conflito armado na região, e chegaram a viver por alguns anos no Cazaquistão, antes de se mudarem para os Estados Unidos. Segundo conta reportagem da revista Slate, Tamerlan dizia se sentir isolado por manter um estilo de vida diferente da maioria dos jovens norte-americanos, por não fumar nem consumir álcool. "Eu sou muito religioso. Deus diz 'não' ao álcool", disse ele. "Mas não há mais valores e as pessoas não se preocupam mais em se portar bem." Esse perfil condiciona as pessoas a pensar que ser diferente não é conveniente, é perigoso. De modo análogo, a mídia também mata a democracia com doses homeopáticas e condiciona o mundo a aceitar o autoritarismo ou alguma coisa em substituição à democracia das liberdades individuais e coletivas. De certa forma, Tamerlan tem o perfil de um "fundamentalista", e esses se tornam cada vez mais indesejáveis (assista isto).[MB]
Minha opinião: Como Tamerlan vai poder se defender se foi morto? O Obama exigiu que se encontrasse os responsáveis, pois bem, eles estão encontrando, ou quem sabe fabricando.

comentários[0]

18

abr
2013

Estudo no PI contesta teoria da chegada do homem às Américas

 

Vestígios humanos encontrados no estado datam de 22 mil anos atrás.


Pesquisa foi conduzida por equipe de franceses e brasileiros.

 

Os resultados do estudo de um sítio arqueológico no Piauípodem revolucionar a teoria sobre a chegada do homem ao continente americano. Segundo a pesquisa conduzida por especialistas do Brasil e da França, o ser humano já estava na região 22 mil anos atrás.

Segundo a teoria mais aceita, tribos pré-históricas chegaram à América depois de atravessar o Estreito de Bering, entre e a Rússia e o Alasca, quando o mar que separa os continentes estava congelado. Essa teoria é conhecida como "Clovis first" ("Clovis primeiro", em inglês), em referência ao povo Clovis, que, segundo a hipótese, teria sido o primeiro a chegar.

 

No entanto, os vestígios mais antigos do povo Clovis, encontrados no estado norte-americano do Novo México, são de cerca de 13 mil anos atrás. Por isso, o atual estudo, publicado pelo "Journal of Archaeological Science", desafia essa teoria.

 

No artigo, a equipe de Christielle Lahaye, da Universidade Michel de Montaigne, em Bordeaux, na França, diz que os estudos sobre a ocupação da América tiveram "interpretações parcialmente contraditórias nos últimos anos, frequentemente devido à falta de uma estrutura cronológica confiável".

 

Os autores acreditam ter criado essa estrutura com o uso de técnicas de luminescência para datar os vestígios encontrados na Toca da Tira Peia, no Piauí. "Todas as nossas observações e medições tendem a comprovar a boa integridade do sítio e a natureza antropológica dos artefatos, e estamos confiantes na precisão dos resultados de datação por luminescência", afirma o texto.

 

Fonte: G1

comentários[0]

Clima Tempo