Portal da Educao Adventista

*Professor Genivaldo *

31

mar
2013

Quais foram as maiores loucuras dos imperadores romanos?

 

Os imperadores romanos aprontaram de tudo: da nomeação de um cavalo para um alto cargo político ao assassinato de mães, pais, irmãos... Bem, pelo menos essas são as versões bizarras que, com o passar dos séculos, ganharam o status de verdade absoluta. O grande problema é que são loucuras difíceis de ser comprovadas pelos especialistas. O maior obstáculo é a credibilidade das pessoas que fizeram tais registros históricos. Muitos dos autores desses escritos eram inimigos de determinados imperadores, a quem procuravam retratar de maneira ridícula, exótica ou amalucada, usando, por exemplo, simples boatos como se fossem verdades. "A imagem negativa que temos de muitos imperadores vem do fato de que suas histórias foram redigidas, quase exclusivamente, por autores ligados ao Senado de Roma, que sempre foi hostil ao poder dos soberanos. Esses julgamentos representam uma visão preconceituosa e não uma avaliação objetiva das ações dos imperadores", afirma o historiador Norberto Guarinelo, da Universidade de São Paulo (USP). Outro ponto que precisa ser levado em conta é que as atitudes "malucas" dos imperadores romanos poderiam não ser consideradas tão loucas assim naquela época. Vale lembrar que essas histórias rolaram há quase 2 mil anos, quando os valores e costumes eram completamente diferentes dos de hoje. Por isso, dê um desconto - pequeno! - para algumas das doideiras que você vai ver aqui ao lado.

Um império muito louco Soberanos eram tão pirados que um chegou até a se castrar em público!

 

UMA DEMÊNCIA CAVALAR

IMPERADOR - Calígula

ÉPOCA - 37 a 41 d.C.

 

MAIOR ABSURDO - Provavelmente era só um boato, mas para todos os efeitos ficou para a história a versão de que Calígula teria nomeado seu cavalo Incitatus como cônsul, alto cargo de oficial público que tinha como principal função comandar exércitos.

 

OUTRAS LOUCURAS - Calígula ficou famoso por sua crueldade e pelas baixarias. Ele teria determinado que criminosos fossem servidos vivos como refeição para animais selvagens e foi acusado de ter transado com suas três irmãs.

 

GLADIADOR CAFÉ-COM-LEITE

IMPERADOR - Cômodo

ÉPOCA - 177 a 192

 

MAIOR ABSURDO - Cômodo costumava descer à arena para lutar como gladiador em violentos espetáculos públicos. Mas, ao contrário do que acontecia nos combates comuns, o imperador não corria grandes riscos: seus adversários sempre o deixavam vencer e depois tinham as vidas poupadas.

 

OUTRAS LOUCURAS - Além de se achar um gladiador invencível, Cômodo acreditava ser o semideus Hércules e exigia que o adorassem como tal.

 

ISSO NÃO ESTÁ CHEIRANDO BEM...

IMPERADOR - Cláudio

ÉPOCA - 41 a 54 d.C.

 

MAIOR ABSURDO - Desconfiado de que sua esposa promovia orgias com os amantes, ele teria ordenado que ela fosse executada, juntamente com 300 suspeitos de participar das festinhas.

 

OUTRAS LOUCURAS - Entre as "diversões" de Cláudio estaria o hábito de assistir às sessões onde criminosos eram torturados até a morte. Também tomava decisões folclóricas, como autorizar a livre flatulência durante os banquetes, ou seja, liberou geral o pum...

 

MATOU A FAMÍLIA E FOI AO SENADO

IMPERADOR - Nero

ÉPOCA - 54 a 68 d.C.

 

MAIOR ABSURDO - Nero jamais seria acusado de nepotismo, ou seja, de beneficiar os parentes. Ele foi responsabilizado pela morte de sua própria mãe, de sua primeira esposa e de ter mandado envenenar um meio-irmão.

 

OUTRAS LOUCURAS - Provavelmente não foi Nero quem provocou um incêndio arrasador em Roma. Mas isso não limpa seu "currículo" de outras bizarrices, como o suposto hábito macabro de lançar cristãos a cães ferozes e esfomeados, que os despedaçavam vivos.

 

CARACALA, O GRANDE... MALUCO

IMPERADOR - Caracala

ÉPOCA - 198 a 217

 

MAIOR ABSURDO - Mal saído da adolescência, a instabilidade mental de Caracala já preocupava aqueles que o cercavam. Em certa ocasião, quase esfaqueou o pai pelas costas, diante de todo o seu exército.

 

OUTRAS LOUCURAS - Detestava a esposa, que condenou ao exílio e mais tarde mandou matar. Admirador fanático de Alexandre, o Grande, passou a se vestir e a se comportar como o "ídolo".

 

IRMÃOS LITERALMENTE DE SANGUE

IMPERADOR - Domiciano

ÉPOCA - 81 a 96 d.C.

 

MAIOR ABSURDO - É acusado de ter causado a morte do próprio irmão e de ter executado um primo, além de esmagar com violência e crueldade qualquer tentativa de rebelião.

 

OUTRAS LOUCURAS - Paranóico e raivoso, Domiciano via suspeitos de conspiração por todos os lados, tratando-os como inimigos a serem exterminados. Implantou um regime de terror contra membros importantes do Senado e exigia ser tratado como um deus.

 

PRESENTE DE GREGO PARA O IMPÉRIO

IMPERADOR - Adriano

ÉPOCA - 117 a 138

 

MAIOR ABSURDO - Admirador da cultura de Aristóteles & Cia., Adriano decidiu reconstruir a cidade sagrada dos judeus, Jerusalém, adotando o estilo grego. Esse "capricho" teria agravado a insatisfação dos judeus, que iniciaram uma violenta revolta contra Roma.

 

OUTRAS LOUCURAS - Adriano chegou a ser chamado de "Nero bem-sucedido" pela megalomania de suas obras públicas - por onde passava, fazia grandes monumentos.

 

SEM SACO PARA O PODER

IMPERADOR - Heliogábalo

ÉPOCA - 218 a 222

 

MAIOR ABSURDO - Com um comportamento pra lá de excêntrico, esse maluco castrou-se publicamente em nome de um culto religioso!

 

OUTRAS LOUCURAS - Certa vez, tentou impor aos romanos a adoração de um deus estrangeiro. O povo também acreditava que Heliogábalo era travesti, crença reforçada por seu costume de indicar para altos cargos rapazes que se destacavam só pela beleza.

 

Fonte: Mundo Estranho

comentários[1]

29

mar
2013

Sexta feira Santa - As seis horas mais críticas da História

 

porAmilton Menezes

cruz_Jesus

Seis horas da tarde de uma sexta-feira. Deixe-me perguntar: O que você faz com aquele dia da história? O que faz com aqueles clamores?

 

Se aquilo realmente aconteceu, se de fato Deus ordenou a sua crucifixão, se Ele virou as costas ao próprio Filho, se realmente tomou as chaves do inferno, então as seis horas daquela sexta-feira estão abarrotadas de um trágico triunfo. Se foi Deus que esteve naquela cruz, então a colina chamada Gólgota é um granito cravado com estacas onde você pode ancorar.

 

Aquelas seis horas não foram seis horas normais. Foram as horas mais críticas da história. Pois, naquele período, Deus colocou na terra três âncoras suficientemente fortes para suportar qualquer furacão.

 

Âncora nº 1 - Minha vida não é fútil. Esse rochedo está segurando o casco do meu coração. Sua única função é oferecer algo em que possa segurar-me quando tiver de enfrentar as ondas da futilidade e do relativismo. Alguém está no controle e tenho um propósito.

 

Âncora nº 2 - Meus erros não são fatais. Não é que Ele ama o que você faz; Ele ama quem você é.

 

Âncora nº 3 - Minha morte não é o fim. Ainda existe mais uma pedra a que você se pode prender. Ela fechava a entrada de um túmulo. Não era muito grande, mas... Ele entrou apenas para provar que poderia sair. E, no caminho, levou a pedra consigo, e a transformou em um ponto de ancoragem... Amarre-se a este  rochedo e o tufão do túmulo se converterá em uma brisa de primavera de um domingo de Páscoa.

 

Lá estão eles. Três pontos de ancoragem. Os pontos de ancoragem da cruz. (Extraído da obra Six Hours One Friday, de Max Lucado)

 

Algumas pessoas prefeririam ver Jesus morto a vê-Lo controlando sua vida. Qual aposento do castelo da sua vida (carreira, família, igreja) precisa ser colocado sob o controle de Cristo? Não hesite nem por um dia. Ore agora. Entregue a sua vida totalmente a Ele.

 

Fonte: Novo Tempo

comentários[2]

28

mar
2013

Origens dos nomes dos estados brasileiros

 

RIO GRANDE DO SUL

Surgiu de um erro cartográfico. O nome vem de um vilarejo que demarcava a área da foz do rio Grande, que não era foz, mas a lagoa dos Patos.

 

RIO GRANDE DO NORTE

Originou do rio Potengi e ganhou o "Norte" em meados do século 18 - uma vez que já existia uma capitania de mesmo nome no sul do país.

 

RIO DE JANEIRO

O rio era a baía de Guanabara - confundida pelos portugueses. O "janeiro" se refere ao mês que eles chegaram às terras fluminenses, em 1502.

 

DANDO NOME AOS BOIS


Indígenas e homenagens influenciaram nome dos outros estados brasileiros.

 

ACRE

A origem é incerta, já que o estado foi muito visitado por colonizadores espanhóis, portugueses, franceses e ingleses.

 

ALAGOAS

Como eram terras repletas de lagoas (Mundaú, Manguaba, Tororó, Nova Lunga e Jacobina), os portugueses nomearam a região de "As Lagoas".

 

AMAPÁ

Árvore popular entre o povo arauque.

 

AMAZONAS

Colonizadores europeus apelidaram as índias guerreiras de amazonas, personagens da mitologia grega. O estado acabou herdando o nome.

 

BAHIA

Em referência à baía de Todos os Santos.

 

BRASÍLIA

Uma homenagem ao país.

 

CEARÁ

O estado herdou o nome da antiga capitania Siará, cuja origem é incerta.

 

ESPÍRITO SANTO

Refere-se à descida do Espírito Santo, no domingo de Pentecostes.

 

GOIÁS

Recebeu o nome de uma tribo indígena local e amigável, Goyaz.

 

MARANHÃO

O nome surgiu do rio Amazonas. Ele era chamado de "Marañon" pelos espanhóis, que queriam dizer que o rio não era um mar (mar/não).

 

MATO GROSSO E MATO GROSSO DO SUL

O nome é literal e se refere ao mato alto e extenso encontrado pelos bandeirantes. A divisão do estado ocorreu em 1977.

 

MINAS GERAIS

Veio da exploração mineral na região.

 

PARÁ

Era chamada de Feliz Luzitânia pelos europeus, mas predominou o nome indígena - pára (rio),que corresponde ao rio Amazonas.

 

PARAÍBA

O estado ganhou o nome do rio Paraíba - uma junção de pára (rio) aib (ruim),ou seja, rio impróprio para a navegação.

 

PARANÁ

Do tupi, parana, significa "rio como o mar".

 

PERNAMBUCO

Deriva do tupi-guarani - parana (rio grande) e pu'ka (que fura), em referência à fenda dos recifes, que afundavam os navios portugueses.

 

PIAUÍ

Do tupi, piau (piaba) e y (rio).

 

RONDÔNIA

Homenagem ao sertanista marechal Cândido Rondon.

 

RORAIMA

Vem de roro (verde) e imã (monte).

 

SANTA CATARINA

A primeira se refere a Sebastião Caboto, italiano a serviço da Espanha, que chegou à ilha por volta de 1526 e teria lhe dado esse nome em homenagem a sua mulher Catarina Medrano.

Alguns historiadores, entretanto, acreditam que se trata de um oferecimento a Santa Catarina de Alexandria, festejada pela Igreja no dia 25 de novembro.

SÃO PAULO

Vem da data cristã que comemora a conversão de Paulo.

 

SERGIPE

Vem do tupi seri îy pe, que significa rio dos siris.

 

TOCANTINS

Recebeu o nome do rio e da tribo que habitava o lugar. Na língua tupi-guarani, tukana quer dizer tucano ou papagaio, e tin, bico.

 

FONTES: Método de Tupi Antigo, de Eduardo de Almeida Navarro; scielo.br; Dicionário H 38 JULHO 2011 ouaiss (ed. 2001)

comentários[0]

28

mar
2013

Aponte um laser para um avião e vá para a cadeia

 

image

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Nos EUA, um jovem de 19 anos da Califórnia foi condenado a dois anos e meio de prisão por apontar um laser a dois aviões.

 

Em março de 2012, Adam Gardenhire apontou uma caneta laser verde a um jato executivo, em seguida direcionando-a a um helicóptero da polícia de Pasadena enviado para encontrar a fonte do laser.

 

 Gardenhire foi pego e declarou-se culpado do ato em outubro.

Segunda transgressão

 

Pode parecer incrível, mas Gardenhire sequer é a primeira pessoa a ser presa por tal atitude. Glenn Stephen Hansen, de Saint Cloud, na Flórida, foi condenado a seis meses de prisão por um crime semelhante em agosto de 2012.

 

Gardenhire foi o segundo ofensor a ser sentenciado por apontar um laser a uma aeronave nos EUA.

 

O ato é considerado um crime federal no país desde fevereiro de 2012. E com razão.

 

Ponteiros laser comerciais projetam feixes pequenos, mas seu diâmetro cresce conforme a distância aumenta, e pode resultar em cegueira se temporariamente apontado aos olhos de alguém.

 

De acordo com a Autoridade de Aviação Civil (CAA, na sigla em inglês) dos EUA, a luz de alta intensidade pode ofuscar os pilotos durante as fases cruciais de decolagem e pouso.

 

O piloto do avião Cessna que Gardenhire apontou o laser estava se preparando para pousar em um aeroporto em Burbank (EUA) e sofreu "problemas de visão que duraram horas" após o incidente, de acordo com um comunicado do Escritório da Procuradoria Distrital Central da Califórnia (EUA). O piloto do helicóptero da polícia, equipado com proteção ocular, não se machucou.

 

Ataques com laser a aeronaves parecem estar em alta em muitos lugares ao redor do mundo. Nos últimos três anos, houve mais de 4.500 relatos de pilotos que foram alvo de lasers.

 

No Brasil

 

Aqui, quem for flagrado apontando um laser contra um avião pode ser enquadrado por expor a perigo embarcação ou aeronave, crime que prevê pena de dois a cinco anos de prisão. Em caso de acidente aéreo, a pena sobe para 12 anos de reclusão.

 

Inclusive, ano passado, o senador Lobão Filho (PMDB-MA) apresentou o projeto de lei PLS 327/2012 que visa introduzir no Código Penal punição específica para quem expõe aeronaves a feixes de raio laser ou a qualquer outro tipo de luz amplificada, bem como punir o uso de laser em estádios para dificultar o desempenho dos esportistas.

 

Sem mudar as penas, o senador optou por sugerir um tipo penal específico para o enfrentamento do mau uso do laser contra aviões. Pelo texto, será crime utilizar equipamento ou objeto emissor de raio laser ou qualquer luz amplificada para causar riscos na segurança de transporte aéreo.

 

E o projeto não é exagero: em 2011, foram registrados no país 60 casos envolvendo o direcionamento de laser contra aeronaves em momentos de pouso ou decolagem, de acordo com o Centro de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos (Cenipa).

 

Quanto ao uso de laser nas arenas esportivas, o senador Lobão observa que é uma prática das mais comuns, especialmente em campos de futebol e tendo por alvo os goleiros. Para inibir a conduta, a lei ampliará as normas punitivas já previstas no Estatuto do Torcedor.[BBC, UOL] via Hypesciense

comentários[0]

25

mar
2013

Formigas sabem fazer contas

 

No um post anterior foi apresentado que Formigas são mais espertas que crianças da quinta série?.

 

Se até formigas fazem contas porque você reclama que matemática é difícil?

 

Neste vídeo o professor de matemática Rafael Procopio explica detalhadamente, usando um infográfico da Veja, como é que cientistas descobriram que as formigas da espécie Formica polyctena sabem fazer contas de soma e subtração.

 

A conclusão de que elas fazem contas é muito interessante, mas o que me chamou ainda mais a atenção é que não sabemos como esta formiga transmite as informações de onde está a comida para suas colegas já que ficou claro que não pode ser rastro de ferormônios, já que os pesquisadores trocaram o "corredor" por onde elas andavam.

 

comentários[0]

24

mar
2013

Formigas são mais espertas que crianças da quinta série?

Quando se trata de matemática, um novo estudo publicado na revista "Comportamento" sugere que as formigas são mais inteligentes do que muitas crianças de escola primária. Os testes mostram que os insetos têm propensão para a matemática e até podem realizar operações aritméticas simples.

"As formigas são mais inteligentes do que um aluno de quinta série, elas conseguem fazer cálculos!", empolga-se Els van Egmond do editor da revista.

 

Para o estudos, os cientistas Zhanna Reznikova e Boris Ryabko pesquisaram em uma grande variedade de espécies diferentes sua capacidade de contar e realizar tarefas matemáticas básicas. Os pesquisadores afirmam que espécies de formigas conseguem comunicar informações sobre números para membros da colônia e também realizar operações aritméticas simples.

 

Reznikova, da Univesidade Estadual de Novosibirsk, Rússia, e Ryabko, do Universidade Estadual de Telecomunicações e Ciência da Computação da Sibéria têm estudado as habilidades matemática da formiga já há algum tempo.

 

Para algumas de suas experiências anteriores sobre as formigas, os pesquisadores montaram várias estruturas em forma de labirinto e esconderam comida em lugares específicos. Aqui estão alguns esboços mostrando como os objetos pareciam (Crédito: Zhanna Reznikova e Boris Ryabko).

 

Os experimentos foram feitos com o objetivo de impossibilitar a comunicação entre as formigas, não abrindo margem para elas deixarem uma trilha de cheiro para trás. "A fim de alertar outras formigas sobre a localização do alimento, os insetos provavelmente enviam mensagens informando seus companheiros não sobre o lugar exato da comida, mas sobre a distância ou o número de passos e assim por diante", escrevem os cientistas.

 

"Mesmo que seja assim", acrescentam, "isso mostra que formigas são capazes de utilizar valores quantitativos e passar informações sobre eles". Outra pesquisa mostra que tanto formigas quanto abelhas executam tarefas de "abstração e extrapolação", além de outras habilidades matemática, afirmam os investigadores.

 

As formigas, elas continuam, conseguem realizar operações aritméticas simples com números pequenos. "Acreditamos que aplicar ideias de teoria da informação e usar sistemas de comunicação natural dos animais altamente sociais pode abrir novos horizontes no estudo da cognição numérica", defendem.

 

Os cientistas ainda destacam outros estudos que demonstraram as habilidades matemática de vários animais. Aves são normalmente áses na matemática. Pombos, corvos e os papagaios são particularmente bons em quebra-cabeças relacionados a números. Os primatas não-humanos, tais como os chimpanzés, são ok em matemática, mas perdem feio para as minúsculas formigas.

 

Fonte: [MSN] via Hyspeciense

comentários[0]

24

mar
2013

Por que as estrelas piscam?

Por que as estrelas piscam?

 
 
 

Por causa de uma ilusão de ótica. O que pisca, na verdade, não são as estrelas, mas sim as imagens que nós vemos delas. A luz brilhante desses corpos celestes atravessa mais de 100 quilômetros de atmosfera da Terra antes de chegar aos nossos olhos. Durante esse trecho da viagem, os raios são balançados pelo ar, dando a impressão de que as próprias estrelas têm sua luminosidade alterada o tempo todo. É como observar o ralo de uma piscina do lado de fora dela. O balanço da água não faz com que a imagem do objeto pareça sacudir? A atmosfera age na luz das estrelas da mesma maneira. Como esses astros parecem pontinhos pequeninos, a distorção de suas imagens cria o efeito pisca-pisca.

 

      image

Já com os planetas visíveis a olho nu - Mercúrio, Vênus, Marte e Júpiter - isso não ocorre. Como suas imagens no céu são maiores para nós do que as das estrelas, a distorção causada pelo ar não é suficiente para fazê-los piscar. Quer dizer, nem sempre: "Quando o ar está muito agitado, até mesmo os planetas parecem cintilar", afirma o astrônomo Enos Picazzio, da USP. No espaço sideral, sem a influência da atmosfera terrestre, o brilho de qualquer astro é sempre fixo.

 

 

 

Fonte: Mundo Estranho

comentários[1]

24

mar
2013

E agora? Não faça alongamento antes de malhar.

Pelo menos este é o conselho de especialistas para aqueles que querem realmente "malhar melhor".

 

Muitas pessoas acreditam que alongamentos antes do exercício "soltam" o corpo antes do exercício, mas agora pesquisadores acreditam que esses alongamentos são contra produtivos e, além disso, podem ser prejudiciais.

 

Alongamentos tradicionais (como tentar tocar os pés) acabam endurecendo ainda mais os músculos em vez de relaxá-los - exatamente o oposto do que você quer quando vai começar a fazer exercícios.

 

Os especialistas dizem que esse tipo de atividade é como puxar um pedaço de borracha. As chances de prejudicar um músculo são grandes.

 

Segundo Kieran O'Sullivan, professor de Educação Física da Universidade de Limerik, na Irlanda, o grande problema é que nós não fazemos os alongamentos na hora certa. Quando alongamos os músculos antes dos exercícios, eles são forçados e, por conseqüência, ficam contraídos. Isso causa uma grande dificuldade quando você quer se mover mais rápido ou fazer mais força. As chances de se machucar durante o exercício também aumentam.

 

O'Sullivan diz que alongamentos fazem bem, mas não devem ser feitos apenas antes do exercício e sim depois da malhação ou no fim do dia.

 

Ele compara os alongamentos com levantamento de peso. Você não deve levantar peso antes de fazer exercício, muito menos se alongar.


Nos últimos anos vários estudos mostraram que alongamentos antes do exercício fazem com que você fique mais fraco e mais lento. E analisando essas pesquisas, cientistas concluíram que pessoas que se alongam, ao contrário do que se achava, têm chances maiores de sofrer lesões durante o exercício.

 

Fonte: MSNBC via Hyspesciense

comentários[0]

23

mar
2013

Música ajuda você a malhar melhor?

Running-with-iPod-large

A resposta para esta pergunta é: com certeza. Muitos não precisam de provas científicas para saber que se exercitar sem música pode ser a pior coisa do mundo. A música distrai, estimula, enfim, torna todo o processo (chato e cansativo para alguns) mais tolerante.

 

No entanto, o papel da música no exercício físico vai muito além. Tanto que a USA Track & Field, órgão americano que regula corridas de longa distância, proibiu o uso de fones de ouvido em competições que envolvem prêmios e dinheiro, para "garantir a segurança e evitar que os corredores tenham qualquer vantagem competitiva".

É isso mesmo - nos últimos 10 anos, diversas pesquisas sobre música e exercício levaram os psicólogos a concluir que o som pode ser uma peça fundamental no estímulo a atividade física. Em uma revisão de estudos de 2012, Costas Karageorghis da Universidade Brunel, em Londres, um dos maiores especialistas do mundo em psicologia da música no exercício, escreveu que poderíamos pensar na música como "um tipo de droga para melhorar o desempenho físico".

 

A combinação é eficaz para muitas pessoas. A música muda o corpo e a mente durante o esforço físico: distrai as pessoas da dor e fadiga, eleva o humor, aumenta a resistência, reduz o esforço percebido e pode até promover a eficiência metabólica. Ao ouvir música, as pessoas correm mais longe, pedalam mais, nadam mais rápido do que o habitual - muitas vezes sem nem perceber.

 

E como a música ajuda? Com o ritmo, a cadência, as letras. Devemos considerar também as memórias, emoções e associações que canções diferentes evocam. Para algumas pessoas, o modo com que se identificam com o estado emocional e ponto de vista do cantor determina o quanto elas se sentem motivadas.

 

A literatura científica

 

A pesquisa sobre a interação da música com o exercício remonta pelo menos a 1911, quando o americano Leonard Ayres descobriu que os ciclistas pedalavam mais rápido enquanto uma banda tocava no fundo do que quando os arredores estavam silenciosos. Desde então, os psicólogos conduziram centenas estudos sobre a música e o desempenho das pessoas em uma variedade de atividades físicas.

 

Duas das qualidades mais importantes da música no exercício são tempo (ou velocidade da canção) e o que os psicólogos chamam de resposta ao ritmo, que é mais ou menos o quanto uma música te faz querer dançar.

 

A maioria das pessoas tem um instinto natural de sincronizar seus movimentos e expressões com a música que estão ouvindo, seja balançando a cabeça, mexendo os dedos dos pés ou dançando, etc.

 

Que tipo de música desperta este instinto varia de cultura para cultura e de pessoa para pessoa. Para fazer algumas generalizações, músicas rápidas com batidas fortes são particularmente estimulantes, por isso são frequentemente encontradas nas playlists de academia das pessoas.

 

Em uma pesquisa recente feita com 184 estudantes universitários, por exemplo, os tipos mais populares da música para exercício foram hip-hop (27,7%), rock (24%) e pop (20,3%).

 

Alguns psicólogos sugerem que as pessoas têm uma preferência inata por ritmos em uma frequência de dois hertz, o que é equivalente a 120 batidas por minuto (bpm), ou duas batidas por segundo. Quando pesquisadores pediram a participantes para bater seu pé no chão ou andar, muitos inconscientemente mantiveram um ritmo de 120 bpm. Uma análise de mais de 74 mil canções populares produzidas entre 1960 e 1990 também constatou que 120 bpm foi o ritmo mais prevalente.

 

Ao correr em uma esteira, no entanto, a maioria das pessoas parece favorecer música em torno de 160 bpm. Websites e aplicativos de smartphones como Songza ajudam as pessoas a coincidir o ritmo de sua música de treino com seu ritmo de corrida, recomendando canções tão rápidas quanto 180 bpm para uma corrida de 7 minutos, por exemplo.

 

Mas pesquisas mais recentes sugerem que um efeito limitante ocorre em torno de 145 bpm: nada além desse ritmo parece contribuir com motivação adicional. A partir desse ponto, a velocidade e o fluxo das letras substituem o ritmo subjacente: algumas pessoas se exercitam com canções de rap, por exemplo, com letras densas faladas rapidamente sobrepostas a uma melodia relativamente calma.
Embora muitas pessoas não sintam a necessidade de correr ou se mover no tempo exato da música que estão ouvindo, a sincronia pode ajudar o corpo a usar sua energia de forma mais eficiente. Ao mover ritmicamente a uma batida, o corpo não precisa fazer tantos ajustes aos movimentos coordenados como teria sem os estímulos externos regulares.

 

Em um estudo de 2012 da Universidade Sheffield Hallam (Reino Unido), os participantes que pedalaram no ritmo de uma música necessitaram de 7% menos oxigênio para fazer o mesmo treino que ciclistas que não sincronizaram seus movimentos com uma música de fundo. Música, ao que parece, pode funcionar como um metrônomo, ajudando as pessoas a manter um ritmo constante, reduzindo passos em falso e diminuindo o gasto energético.

 

Estendendo esta lógica, Shahriar Nirjon da Universidade de Virgínia (EUA) e seus colegas desenvolveram um leitor de música pessoal que tenta sincronizar canções com o ritmo e a frequência cardíaca de um corredor. Acelerômetros e um pequeno microfone embutido em um par de fones de ouvido avaliam o ritmo do corredor e gravam o pulsar dos seus vasos sanguíneos. O dispositivo sem fio transmite os dados coletados por meio de um smartphone a um computador remoto que escolhe a próxima música que o participante deve ouvir.

 

Seja como for, ou pelo que for, o fato é que a música pode ser extremamente agradável e útil quando se trata de praticar exercícios. Mas vale a pena destacar um alerta: ouvir música durante a execução de atividades físicas em áreas fortemente traficadas pode distrair demais as pessoas e colocá-las em perigo. Seja cauteloso.[ScientificAmerican]

comentários[0]

20

mar
2013

Médicos alertam para os perigos d consumo d fumo no narguile

 

Uma forma de tabagismo que tem atraído muitos jovens brasileiros por causa dos aromas e do ritual motivou um alerta dos médicos. Um estudo comprovou que os narguilés, ou narguíles, são mais perigosos para a saúde do que o cigarro comum.

 

A peça que parece um vaso recebe carvão em brasa pra queimar o fumo aromatizado. A fumaça passa pela água e sai por uma mangueirinha, direto para o pulmão do fumante.

 

Uma pesquisa mostrou que o uso do aparelho de origem oriental virou hábito para 37% dos jovens fumantes na cidade de São Paulo. Muitos são menores, como um menino de 15 anos que usa em casa.

 

"Minha mãe, às vezes, fuma comigo, meu pai fica falando para parar com isso, que faz mal", diz o adolescente.

 

"Assim, eu acho que não faz tão mal até porque você não traga", conta um rapaz.

 

O mal que cigarro provoca no organismo já é bem conhecido, mas pouca gente sabe que a fumaça produzida no aparelho é ainda mais perigosa. O tabaco colocado dentro dele, quando queimado, libera as mesmas substâncias tóxicas, mas numa concentração bem maior do que as que um fumante comum está habituado a inalar.

 

Um estudo da Organização Mundial de Saúde mostrou que uma rodada de narguilé, ou narguíle, como alguns costumam chamar, equivale a fumar até 100 cigarros. Essa espécie de cachimbo d'água tem 100 vezes mais alcatrão, 4 vezes mais nicotina e 11 vezes mais monóxido de carbono que um cigarro comum.

 

"Infelizmente, muitos adolescentes acreditam que a água vai purificar, vai tirar os metais pesados e isso não é verdade", explica a diretora do programa de apoio ao tabagista, a médica Stella Regina Martins.

 

E a médica ainda alerta para um perigo extra: o grupo quando fuma, costuma compartilhar a piteira: "E isso, para saúde pública, também é grave, porque os níveis de contaminação por tuberculose, por herpes labial e por hepatite aumentam", explica.

 

No estado de São Paulo, desde 2009, a venda do aparelho é proibida para menores de 18 anos. E a Anvisa quer impedir que fumos e cigarros aromatizados cheguem às mãos dos consumidores: uma maneira tornar o tabagismo menos atraente para os jovens.


Fonte: G1

 

image

comentários[3]

20

mar
2013

Conheça Samuel L. Dogson, o cão que é sósia de ator

 

Um cão cujo dono ainda não foi identificado virou estrela de Hollywood. Apelidado de Samuel L. Dogson, o pulguento sabe imitar como ninguém a cara de mau de Samuel L. Jackson, estrela de "Pulp Fiction" e "Django", entre outros filmes.

 

 

O ator ainda não se manifestou sobre o sósia peludo, mas quem não gostaria de ter um Droppelganger cachorro? Bom, se ficar com muita inveja, clique aqui!

 

Fonte: Mundo Estranho

comentários[0]

19

mar
2013

Redação do Enem me engana que eu gosto

Candidato inclui hino do Palmeiras na redação do Enem e tira nota 500

 

'Tentei enganar os avaliadores', afirmou Fernando Maioto Júnior ao G1.


Inep diz que aluno perdeu pontos por 'impertinência'. Nota vai de 0 a 1.000.

 
Trecho da redação do Enem de candidato que incluiu hino do Palmeiras ao falar sobre imigração (Foto: Reprodução)Trecho da redação do Enem de candidato que incluiu hino do Palmeiras ao falar sobre imigração
(Foto: Reprodução)

 

O estudante de medicina Fernando Cesar Maioto Júnior, de 21 anos, inseriu trechos do hino do Palmeiras no meio da prova de redação do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) de 2012, que teve como tema o "Movimento imigratório para o Brasil no século 21". A redação do estudante tem quatro parágrafos, e frases retiradas do hino oficial da Sociedade Esportiva Palmeiras aparecem em dois deles (veja o destaque na imagem acima).
 
O Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep) confirmou, em nota divulgada na noite desta terça-feira (19), a veracidade da prova, e afirmou que a nota foi de 500, de um máximo de 1.000 pontos. Segundo a autarquia, a "impertinência" foi notada pelos avaliadores e tirou pontos do estudante.
Ao G1, Fernando disse que fez o Enem só para tentar provar que a correção da redação não era confiável, aproveitando o fato de que, a partir da edição de 2012, os estudantes teriam acesso ao espelho da redação e poderiam provar possíveis falhas na correção. "Tentei enganar os avaliadores. A gente sempre escuta que o pessoal que corrige só lê o primeiro parágrafo e a conclusão, resolvi fazer no centro, no segundo e terceiro parágrafos", contou.
 
Em parte da redação, por exemplo, o estudante mesclou o tema da imigração e versos do hino em uma mesma frase: "As capitais, praias e as maiores cidades são os alvos mais frequentas dos imigrantes, porque quanto surge o alviverde imponente no gramado onde a luta o aguarda, sabe bem o que vem pela frente e que a dureza do prélio não tarda."
Fernando explicou que, meses antes do Enem, conseguiu a aprovação no vestibular de medicina da Faculdade Faceres, em São José do Rio Preto, no interior de São Paulo. "Preferia estudar aqui, já moro aqui, é mais fácil", disse. O estudante também já havia prometido aos colegas que, se conseguisse passar no vestibular antes do Enem, tentaria incluir o hino do seu time do coração no meio do texto.
 
Segundo a nota do Inep, os corretores encarregados de avaliar a prova "identificaram a impertinência do texto inserido, o que trouxe para a redação palavras e expressões sem sentido e em estilo inadequado ao tipo textual exigido na prova".
Isso garantiu que a nota do estudante fosse baixa "especialmente nas competências I e II". As duas competências incluem como exigências "demonstrar domínio da norma padrão da língua escrita" e "compreender a proposta de redação e aplicar conceitos das várias áreas de conhecimento para desenvolver o tema dentro dos limites estruturais do texto dissertativo-argumentativo".
 
A redação do Enem deve obedecer cinco competências previstas no edital. A realização da prova de redação deveria cumprir as exigências de cinco competências determinadas no edital do MEC:


1ª competência: Demonstrar domínio da norma padrão da língua escrita.
 
2ª competência: Compreender a proposta de redação e aplicar conceitos das várias áreas de conhecimento para desenvolver o tema dentro dos limites estruturais do texto dissertativo-argumentativo.


3ª competência: Selecionar, relacionar, organizar e interpretar informações, fatos, opiniões e argumentos em defesa de um ponto de vista.


4ª competência: Demonstrar conhecimento dos mecanismos linguísticos necessários à construção da argumentação.


5ª competência: Elaborar proposta de intervenção para o problema abordado, respeitando
 
Veja abaixo a íntegra da nota divulgada pelo Inep:
 
"A coordenação pedagógica do exame, a cargo das professoras da Universidade de Brasília e doutoras em Linguística, Profa. Dra. Vilma Reche Corrêa e Profa. Dra. Maria Luiz Monteiro Sales Coroa, esclarece que os avaliadores identificaram a impertinência do texto inserido, o que trouxe para a redação palavras e expressões sem sentido e em estilo inadequado ao tipo textual exigido na prova. Com isso, a redação obteve nota 500, tendo nota baixa especialmente nas competências I e II. Desconsiderada a inserção inadequada, o texto tratou do tema sugerido e apresentou ideias e argumentos compatíveis. O texto indica compreensão da proposta da redação, não fugiu ao tema por completo e não feriu os direitos humanos."
 
Fonte G1

comentários[2]

Clima Tempo