Portal da Educao Adventista

*Professor Genivaldo *

31

mar
2012

Origem da expressão "A porca vai torcer o rabo"

 

A expressão é usada para designar uma situação de extrema dificuldade, geralmente um momento de tomar uma decisão importante. De acordo com o professor Ari Riboldi, a frase provavelmente vem de um antigo modo de apartar porcos no chiqueiro.


A maneira mais prática de dominar o animal era pegá-lo pela cauda. Ele reagia, torcendo o traseiro de um lado para o outro. Se o homem resistisse e não largasse a cauda, após várias voltas, o porco acabava indo para o lugar desejado.
Por sua vez, a porca que usamos para enroscar parafusos deve seu nome à semelhança com a anatomia do órgão genital do porco - em forma de parafuso - e da vagina da fêmea que, internamente, tem forma rosqueada.

 

fonte: Terra

comentários[0]

31

mar
2012

Glúten: o patinho feio da alimentação

 

Proteína engorda e ainda causa intolerância no organismo.
 
Especialistas da área da saúde são unânimes em declarar que o estresse no qual somos submetidos pela vida moderna nos faz sentir mais compulsão por carboidratos, doces etc, bem como a ausência de atividade física regular colaboram para o desequilíbrio geral do corpo. E, por falar em carboidratos, quem já não amaldiçoou o glúten, componente químico presente nos cereais, como pães, massas etc? 
 
Além de engordar, 40% dos brasileiros têm intolerância à substância e não sabem. Com a adoção do trigo transgênico, a concentração de glúten aumento quase 400%, o que fez crescer o número de celíacos. 
 
Os celíacos vão descobrir que tem a doença muitas vezes, tarde, pois ela é silenciosa e suas manifestações mais comuns são, além de raciocínio lento e embotado, a obesidade. 
Fonte: LV
 

comentários[0]

31

mar
2012

Adolescente com distúrbio só come pizza há oito anos

 

Sophie Ray, uma adolescente de 19 anos de Wrexham, no País de Gales, é mais uma que sofre da Distúrbio Alimentar Seletivo, que não a deixa comer normalmente como todas as outras pessoas.

 

No caso dela, o único alimento é a pizza. Durante oito anos, desde os 11, ela não consegue comer mais nada.

 

O problema começou quando ela tinha apenas dois anos de idade e teve uma gastroenterite. Ela começou a ter medo de comida e comer apenas massas, salgadinho e sanduíche com limão, até que, aos 11 anos, foi para a pizza - e só pizza.

 

- Eu adoro pizza. Cada marca oferece um novo sabor, mas é tudo a mesma comida e eu não preciso comer comidas novas. Eu comecei com o distúrbio quando eu tinha dois anos. Minha mãe diz que eu estava doente, fiquei com medo de comer e achei que a comida causou minha doença.

 

Sophie disse que não consegue comer pizza fria e que não aceita muitos tipos de cobertura, mas revelou algo ainda mais assustador:

 

- Se eu não tiver chance de comer uma pizza antes de ir estudar, eu passo o dia todo sem comer, porque não há mais nada que eu possa comer, então eu espero chegar em casa e comer uma ou, às vezes, duas pizzas.

 

Quanto aos vegetais, ela dá o mesmo parecer que outras pessoas que sofrem do distúrbio: dá medo.

 

- A ideia de tentar outras comidas me deixa muito ansiosa, eu fico enjoada. O gosto e a textura, e até mesmo o cheiro de algumas comidas me fazem ter vontade de vomitar. Muitas pessoas acham que eu sou difícil para comer, mas o Distúrbio é uma fobia. Pedir-me para tentar novas comidas é igual pedir para alguém que tem medo de aranhas segurar uma.

 

Fonte: Tribuna

comentários[0]

31

mar
2012

Cães no trabalho diminuem stress d funcionários,diz pesquisa

 

A pesquisa foi realizada com 550 funcionários de uma empresa americana, aonde são levados diariamente entre 20 e 30 cachorros (Thinkstock)

Pesquisadores da Universidade Virginia Commonwealth, nos Estados Unidos, concluíram que cães no ambiente de trabalho podem reduzir o stress e fazer com que o emprego seja mais satisfatório aos funcionários. Segundo o estudo, publicado no periódico International Journal of Workplace Health Management, o stress é um fator que contribui para a ociosidade, o moral baixo e o cansaço dos funcionários, resultando em uma significativa perda de produtividade.



A pesquisa foi realizada na empresa Replacements, Ltd., localizada na cidade de Greensboro, na Carolina do Norte, que emprega cerca de 550 pessoas. Entre 20 e 30 cachorros convivem nas instalações da firma todos os dias. Durante uma semana, os cientistas compararam os empregados que levavam seus cães pra trabalhar, os que não levavam e os que não possuíam animais de estimação em casa. Todos os indivíduos responderam, ao longo do dia, a vários questionários que avaliavam o stress, satisfação com o emprego, comprometimento organizacional e apoio.



"Apesar de preliminar, este estudo é o primeiro quantitativo sobre como cães que convivem no ambiente profissional podem causar efeitos no stress, satisfação e compromisso dos funcionários", diz Randolph T. Barker, líder da pesquisa. "A diferença no stress observado nos dias em que o cachorro estava presente no local de trabalho e nos dias em que ele estava ausente foi significativa. Eles ficavam muito mais satisfeitos ao lado dos cães", conta.



Além de questionários solicitados aos participantes da pesquisa, os especialistas coletaram ainda amostras de suas salivas, todos os dias pela manhã. Medições nessas amostras, no entanto, não mostraram diferenças no nível de hormônio do stress dos três grupos de funcionários. No decorrer do dia de trabalho, porém, o stress que os empregados relataram ao responder as perguntas foi menor entre os que haviam levado seus cães e aumentou para os que não levaram e para os que não possuíam animais de estimação.



A equipe observou que os funcionários se mostraram muito mais estressados nos dias em que deixaram seus cães em casa do que nos dias em que os levaram. De acordo com Barker, há uma comunicação relacionada aos cachorros no local de trabalho que pode contribuir para o desempenho e satisfação dos empregados. Por exemplo, aqueles sem animais de estimação foram vistos pedindo pra passar um tempo com o cão do colega durante intervalos no trabalho.



"A presença do animal de estimação é uma intervenção de baixo custo e que causa bem estar, sendo facilmente disponível para muitas organizações que queiram aumentar a satisfação de seus funcionários. Claro que é importante a adoção de políticas que garantam que os animais sejam amigáveis, limpos e bem comportados, já que estarão presentes em ambientes profissionais", explica Barker. O pesquisador acrescenta que pesquisas de maior amostragem dentro de um ambiente organizacional podem ajudar a confirmar os resultados desse estudo inicial.

 

Fonte: Tribuna

comentários[0]

31

mar
2012

Estudo relaciona consumo de fast-food à depressão

 

 

Aquelas pessoas que consomem mais esses produtos são ainda mais propícias a serem solteiras, menos ativas e a terem hábitos de alimentação pobres.

O consumo de fast-food e de produtos de padarias, como bolos de farinha, croissants e rosquinhas, está relacionado à depressão. De acordo com um estudo das universidades de Las Palmas de Gran Canaria e de Granada, na Espanha, pessoas que ingerem esses tipos de alimentos são 51% mais suscetíveis à doença, frente àquelas que consomem muito pouco ou nada. O estudo foi publicado no periódico Public Health Nutrition.

 

A equipe de pesquisadores encontrou ainda uma relação de "dose-resposta" no consumo. Isso significa que quanto mais fast-food se come, maiores os riscos de depressão. Aquelas pessoas que consomem mais esses produtos são ainda mais propícias a serem solteiras, menos ativas e a terem hábitos de alimentação pobres - o que inclui comer menos frutas, castanhas, peixe, vegetais e azeite. Fumar e trabalhar mais de 45 horas por semana também são fatores que aumentam os riscos nesse grupo de pessoas.

 

No que diz respeito ao consumo de produtos de padaria, os resultados são similares. "Mesmo que a quantidade consumida seja pequena, ela ainda assim está relacionada a uma chance significativa de desenvolver a depressão", diz Almudena Sánchez-Villegas, coordenadora do estudo.

 

Dados - Para o levantamento, foram analisados 8.964 participantes que nunca haviam sido diagnosticados com depressão ou que tinham tomado antidepressivos. Todos foram acompanhados por seis meses, em média. Após esse período, 493 foram diagnosticados com depressão ou começaram a tomar as medicações. Um aumento de 51% nos riscos para a doença foram associados com a ingestão de fast-food.

 

"Embora mais estudos ainda sejam necessários, o consumo desse tipo de alimento deve ser controlado, em função de suas implicações para as saúdes física e mental", diz Sánchez-Village. Muito pouco ainda se sabe sobre a relação entre dieta e as desordens depressivas.

 

Fonte: Exame

comentários[0]

31

mar
2012

Nossa parte no processo da salvação

O Presente e a Exigência


Então o senhor chamou o servo e disse: "Servo mau, cancelei toda a sua dívida porque você me implorou. Você não devia ter tido misericórdia do seu conservo como eu tive de você?" Mateus 18:32, 33


Há uma discussão muito antiga entre os cristãos sobre a função divina e a função humana na salvação do homem. Alguns cristãos colocam todo o peso no lado divino, reduzindo a ação humana a nada. No outro extremo, encontra-se a teologia que torna a vontade humana tão forte que por si mesma pode levar a pessoa convertida a obedecer à lei de Deus.


Debates como esse geralmente trazem à tona os escritos do apóstolo Paulo. Paulo ensinou com muita clareza que a salvação ocorre unicamente pela graça por meio da fé (ver Ef 2:9). O julgamento, entretanto, será de acordo com as obras (ver Rm 14:10-12). Como essas ideias aparentemente contraditórias podem estar em harmonia? Para mim, a resposta não se encontra num argumento teológico, mas sim nas parábolas de Jesus. Dentre elas, a parábola do servo impiedoso (Mt 18:21-35) oferece a explicação mais clara de todas.


Lembra-se dessa parábola? Aqui está um homem que deve ao rei uma grande soma de dinheiro - dez mil talentos. Para compreendermos melhor o tamanho da dívida, dez mil é o maior número registrado no livro e um talento é a maior unidade monetária. Hoje poderíamos falar, quem sabe, em 50 milhões ou um bilhão para termos uma ideia. O homem implora para que o rei lhe conceda um prazo para pagar a dívida. Quanto tempo será que ele espera viver? Ele nunca será capaz de pagar. Mas, para sua surpresa, o rei perdoa tudo o que ele deve. Simples assim. "Você está livre. Cancelei a sua dívida", diz.


Agora, esse mesmo homem que teve uma dívida enorme perdoada se encontra com um conhecido que lhe deve 100 denários (alguns milhares de reais).


O devedor implora para que o homem lhe conceda um prazo a fim de que possa pagar a dívida. O homem, porém, o manda para a prisão. Finalmente, a notícia chega aos ouvidos do rei, que fica muito zangado. Ele manda chamar o homem que tinha recebido o perdão da enorme dívida e lhe diz que, por causa de suas ações, o perdão fora cancelado.


Essa é uma parábola do reino do céu, uma história sobre a graça. Poderíamos resumi-la em duas palavras: presente e exigência. A salvação é um presente, um presente maravilhoso, mas esse presente vem acompanhado de uma exigência. A graça que nos perdoa nos transforma à semelhança de Deus.

 

Leia a meidtação diariamente CPB

 

comentários[1]

30

mar
2012

Mark Inglis, um herói moderno

Heróis Modernos


Eles o venceram pelo sangue do Cordeiro e pela palavra corajosa de seu testemunho. Eles não amaram a si mesmos e se dispuseram a morrer por Cristo. Apocalipse 12:11, The Message


Uma das histórias mais impressionantes de 2006 foi a incrível façanha de Mark Inglis, que escalou o Monte Everest com pernas artificiais. Inglis, instrutor de alpinismo, foi apanhado por uma forte nevasca no Monte Cook na Nova Zelândia em 1982. Forçado a abrigar-se numa caverna de gelo por duas semanas, sofreu frio intenso e ambas as pernas tiveram que ser amputadas logo abaixo do joelho.


Mas Inglis não ficou sentado se lamentando por seu infortúnio. Em vez de sentir pena de si mesmo, voltou a estudar e se tornou bioquímico e pesquisador. Além disso, continuou praticando alpinismo e, em 2002, voltou a subir o Monte Cook com pernas artificiais. Mas foi em maio de 2006 que conquistou o impossível: o topo do Monte Everest!


Admiro Mark Inglis. Ele é um herói moderno. Admiro todos aqueles que superam os infortúnios da vida, que se recusam a desistir, cuja determinação e coragem os mantêm prosseguindo até realizarem aquilo que outros chamam de impossível.


A Bíblia é o livro dos heróis. Os homens e mulheres cuja vida ilumina as páginas desse livro sagrado - Moisés e Davi, Ester e Débora, Pedro e Paulo - fizeram coisas maravilhosas. Eram corajosos tanto em pensamento quanto em ação. Em seu dicionário não existia a palavra "impossível", pois Deus estava com eles, motivando-os, inspirando-os, concedendo-lhes poder. Eles continuaram até alcançar o topo que Deus havia designado.


Em pé no primeiro lugar da fila, acima de todos os outros, encontra-se o Líder. Jesus é o maior herói da Bíblia. "Por nunca ter perdido de vista para onde estava indo - o final feliz com Deus - Ele pôde suportar tudo ao longo do caminho: a cruz, a vergonha, qualquer coisa" (Hb 12:2, The Message).


Deus está em busca de heróis modernos. Em busca de jovens que, inspirados pelo sonho divino, façam coisas maravilhosas para a glória de Seu nome e para o bem da humanidade. Sim, atos heroicos que superam até mesmo a conquista do Everest.


Muitas pessoas sonham em se tornar heróis. Mas os heróis de Deus não amam a si mesmos; amam a Jesus, o Cordeiro cujo sangue os libertou para uma nova vida e um novo propósito.

 

comentários[0]

30

mar
2012

Origem das expressão "Elefante Branco"

 

Você completa mais um aniversário, recebe amigos e familiares para comemorar e não tem como escapar dos presentes sem utilidade - que algumas vezes são coisas volumosas, estranhas e que não podem ser dispensadas. Quando esta situação acontece, aquele amigo mais "consciente" diz que você ganhou um "elefante branco".


imageDe acordo com o professor Ari Riboldi, a expressão teve origem em um costume do antigo Reino de Sião, atual Tailândia. Lá, o elefante branco era raríssimo e considerado animal sagrado. Quando um exemplar era encontrado, deveria ser imediatamente dado ao rei. E, se um dos cortesãos, por alguma razão, caísse na desgraça do rei, este o presenteava com um desses raros animais.


O súdito não podia recusar o presente ou passá-lo adiante, afinal, era um animal sagrado e um presente real. A obrigação era cuidar, alimentar e manter o pelo do animal sempre impecável - o que representava grande custo e trabalho constante, sem nenhum retorno ou utilidade prática.

 

fonte: Terra

comentários[0]

30

mar
2012

Água de coco: o potássio contido nela atua como soro natural

 

 

Bebida é considerada um remédio para a saúde.

 
Geladinha ou in natura, a água de coco é um dos líquidos mais saudáveis que existem na natureza. Em sua composição há muito potássio, o que a torna um soro fisiológico completo. 
 
A água de coco também é rica em sódio e outros minerais que atuam no combate às infecções urinárias e problemas gástricos. A importância dos potássio se justifica pelo fato de seus sais abastecerem as células no organismo, ajudando a evitar cãibras e lesões. 
 
Misturada com frutas, a água de coco se torna ainda mais rica, pois ajuda a aumentar o valor nutricional dos alimentos. Muitos nutricionistas recomendam substituir a água dos sucos pela água de coco. 
Fonte: LV
 

comentários[0]

30

mar
2012

Impressora 3D cria carro de Fórmula 1 do tamº d grão d areia

 

Máquina consegue criar estruturas minúsculas em até quatro minutos.


Antes impressoras demoravam meses ou dias para obter mesmo resultado.

 

Uma foto retirada de um microscópio eletrônico mostra um modelo de carro de Fórmula 1 no tamanho de um grão de areia. Isso foi possível graças a uma técnica de impressão recém-desenvolvida em 3D para nano estruturas.

 

Pesquisadores da Vienna University of Technology estabeleceram um novo recorde de velocidade mundial para a criação de nano objetos em 3D. Eles criaram estruturas do tamanho de um grão de areia em apenas quatro minutos, o que corresponde a uma fração do tempo de outros itens que já foram impressos.

 

Carro de Fórmula 1 no tamanho de um grão de areia (Foto: Reuters)Carro de Fórmula 1 no tamanho de um grão de areia (Foto: Reuters)

 

Antes, fazer grandes estruturas complexas em 3D levaria horas ou mesmo dias, mas com a impressora a laser recentemente desenvolvida com essa tecnologia, os cientistas conseguiram acelerar o processo em 500 ou até 1.000 vezes.

 

O processo chamado de litografia de dois fótons envolve o uso de um feixe de laser focado para endurecer a resina líquida, a fim de criar objetos micros de polímero sólido. Os cientistas disseram que a técnica poderia ser desenvolvida para fazer pequenas peças biomédicas para serem usadas por médicos.

 

Fonte: G1

comentários[0]

28

mar
2012

Respostas dos exercícios de História- 1º ano do Ensino Médio

 

Exercícios páginas 32 e 33

 

8. A

9. A

 

De olho no vestibular - páginas 33 a 35

 

1. No antigo Egito, tinha funções administrativas e religiosas. Era fundamental para o domínio do governo faraônico sobre a sociedade. Em nossos dias, o analfabetismo é uma grande barreira para a efetiva paraticipação das pessoas nas discussões políticas e sociais. Por isso, o saber ler e escrever é fundamental para o exercício da cidadania e deve ser acessível a todos os brasileiros.


2. C
3. D
4. B
5. D
6. D
7. C
8. V V F V F
9. B
10.B

 

comentários[0]

27

mar
2012

Economize. Troque os ovos por bombons e chocolate em barra.

 

Pesquisa da Fundação Proteste mostra que a diferença de preço entre os ovos e os bombons tradicionais chega a 84%

 
                               Ovo de Páscoa (Foto: Reprodução)
                                          

Todo mundo sabe que os ovos de Páscoa costumam sem mais carros que as tradicionais barras de chocolate e bombons. Mas o que nem todo mundo sabe é que a diferença de preço pode chegar a 84%.

 

Uma pesquisa feita pela PROTESTE Associação de Consumidores mostra que considerando os preços médios por 100 g, a caixa de bombom é 84% mais barata do que os ovos nº 15, e o tablete, 44%.

A comparação foi feita entre o preço médio dos ovos tradicionais nº 15 e os preços de referência para caixa de bombom e para tablete da marca Garoto (marca líder nacional em bombons e tabletes).

 

Segundo a PROTESTE, até mesmo o preço dos tabletes costumam variar muito nesse período de Páscoa. Por isso, pesquisar é sempre importante. Difícil é convencer as crianças que o bombom ou a barra têm o mesmo efeito dos ovos.

 

Fonte: Época

comentários[0]

Clima Tempo