Portal da Educao Adventista

*Professor Genivaldo *

28

fev
2011

Motorista escapa de multa ao mostrar registro d GPS c prova


Policial parou americano alegando que ele estava em alta velocidade.
Aplicativo para Android grava rotas percorridas pelo GPS do veículo.

Do G1, em São Paulo

Americano conseguiu escapar de multa ao mostrar GPS como prova (Foto: Reprodução/CNET)
Americano conseguiu escapar de multa ao mostrar
GPS como prova (Foto: Reprodução/CNET)

Um motorista americano conseguiu escapar de uma multa ao apresentar como prova a velocidade registrada por um aplicativo de celular. Sahas Katta foi parado por um policial que o acusou de estar dirigindo a 65 km/h em uma rodovia em que a velocidade máxima permitida é 40 km/h.


Mesmo após receber a multa do policial, o americano conferiu o aplicativo Google MyTracks no seu celular Motorola Droid. O software grava as rotas percorridas pelo GPS do veículo e ainda permite conferir estatísticas em tempo real.


Os registros do aplicativo mostravam que a velocidade máxima de Katta foi de 41 km/h. Por isso, ele decidiu brigar pelo caso em um tribunal na Califórnia. Como defesa, ele mostrou os dados do seu GPS.


Segundo Katta, o juiz não parecia estar muito convencido com a tecnologia do GPS, mas os argumentos do policial também não ajudaram. Por isso, o juiz decidiu que Katta não deveria pagar a multa.


Fonte: G1

comentários[1]

28

fev
2011

Babaçu pode gerar energia para cidades da Amazônia

 

 Os pesquisadores Luiz Antônio de Oliveira (E) e Ires Paula Miranda seguram um exemplar de babaçu. Foto: Raphael Cortezão/Terra

Os pesquisadores Luiz Antônio de Oliveira (E) e Ires Paula Miranda seguram um exemplar de babaçu

Foto: Raphael Cortezão/Terra


Um estudo desenvolvido no Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia (Inpa) busca provar que é possível substituir o uso do petróleo e do diesel na geração de energia para pequenas cidades amazônicas por meio da fermentação de sobras de madeira e da queima do babaçu, fruto de palmeira de crescimento abundante na região que é pouco utilizado pela população local.


A ideia se baseou nas características das cidades amazônicas, como isolamento, dificuldades logísticas para o transporte de combustível e concentração populacional em comunidades de áreas rurais - e também na necessidade mundial de buscar fontes de energia mais limpas e menos poluentes, segundo explicou o pesquisador Luiz Antônio de Oliveira, doutor em microbiologia e coordenador de Pesquisas em Ciências Agronômicas do Inpa.


"Ao usar restos de madeira e frutos caídos do babaçu, a pesquisa quer mostrar que é possível reaproveitar matérias-primas hoje rejeitadas ou que não apresentam serventia aparente em sua forma natural", destacou o pesquisador.


Para se chegar ao resultado final esperado, segundo ele, as técnicas e estudos científicos já desenvolvidos pelo instituto em outras áreas de pesquisa serão fundamentais.


Álcool de madeira 


O produto final gerado pela fermentação dos restos de madeira é um tipo de álcool com propriedades ainda desconhecidas pelos pesquisadores. "Pegamos espécies diferentes de madeira, colocamos micro-organismos para fazer a fermentação e produzimos álcool", explicou.

A ideia é utilizar a substância para alimentar usinas termelétricas de pequenas cidades. Segundo Oliveira, os dejetos e a serragem chegam a representar até 70% do volume de madeira cortada em madeireiras da Amazônia.

O emprego do babaçu na produção de energia, conforme sugere a pesquisa, é ainda mais simples: o fruto seria recolhido do chão e jogado em caldeiras de termelétricas para a produção de energia, funcionando como lenha. A pesquisadora e especialista em palmeiras amazônicas, Ires Paula Miranda, está estudando o volume de árvores de babaçu disponíveis na região para medir a viabilidade econômica e ambiental da ideia em cada cidade, especialmente no Amazonas, onde está localizada a sede do Inpa.

Ires Paula Miranda explicou que a árvore do babaçu migrou do Maranhão para o Amazonas nas últimas décadas por pressão do desmatamento. Essa característica torna a espécie ainda mais viável para o uso com biocombustível, segundo a pesquisadora.


"O babaçu tem uma capacidade de germinação enorme, cresce até no asfalto, chegando a ser considerado uma praga por pecuaristas no sul do Pará", explicou ela, que é doutora em botânica e coordena o do Laboratório de Estudos em Palmeiras (Labpalm) do Inpa.


Potencial


O município amazonense de Barreirinha, distante 330 km de Manaus, é exemplo de potencialidade para o uso de babaçu em substituição ao petróleo e ao diesel na geração de energia. De acordo com estimativas da especialista em palmeiras da Amazônia, a cidade reúne mais de três milhões de árvores da espécie, com produção de 200 kg de fruto por planta. Além disso, a árvore do babaçu dá frutos durante todo o ano e pode ser encontrada em pelo menos 20 dos 64 municípios do Amazonas.


O valor calórico do fruto amazônico também está em fase inicial de testes, de acordo com o pesquisador Luiz Antônio de Oliveira, que espera concluir e publicar a pesquisa no prazo de dois anos. O estudo levantará ainda a viabilidade econômica e logística de modificar a matriz das termelétricas em pequenas cidades da Amazônia com base nos testes realizados com madeira e babaçu para apresentar às indústrias e ao governo.


Para o pesquisador do Inpa, o emprego do conhecimento científico na vida das populações da Amazônia ultrapassa os limites da proteção ambiental. "Essa cadeia fixaria o homem em sua cidade de origem, desafogando os centros urbanos, geraria emprego e renda para a população organizada em cooperativas e ainda baratearia o custo da energia elétrica", explicou Oliveira.


Fonte: Terra

comentários[0]

28

fev
2011

Mania em spas britânicos, 'pedicure do peixe' - infecção


Agência britânica está investigando se tratamento pode criar feridas nos pés dos usuários.

BBC


Peixe pedicure come pele morta dos pés das clientes (Foto: BBC)
Médicos alertam para a possibilidade de infecções
(Foto: BBC)


A última moda no mundo da pedicure, o uso de peixes para se livrar de pele morta nos pés, está sendo investigada por autoridades de saúde britânicas devido à suspeita de que a prática possa espalhar infecções.


Na chamada "pedicure do peixe", a cliente mergulha os pés em um tanque de água e se deixa mordiscar por um cardume de pequenas garras rufas - que em poucos minutos removem camadas de pele morta dos pés.


Os spas dizem que o tratamento é tradicional na Ásia. A moda chegou à Grã-Bretanha, onde diversas clínicas já oferecem o tratamento, e já começou a virar mania também nos EUA, onde clientes pagam cerca de R$ 80 por menos de meia hora com os pés no tanque.


Para a agência de proteção à saúde pública britânica, o procedimento pode acabar incentivando a transmissão de infecções de um usuário para outro, a partir de feridas abertas nos pés.


"Estamos investigando se existe algum risco potencial de infecção associado ao uso comercial de tratamentos de pedicure utilizando peixes", disse o órgão.

A agência frisou que está agindo em função de diversas consultas feitas por autoridades locais de saúde pública e ambiental, mas disse que ainda não tem registros de problemas.


"Atualmente, desconhecemos casos de infecção associados ao uso desses peixes na Grã-Gretanha".


Nos Estados Unidos, alguns estados proibiram o tratamento por causa da preocupação com o uso das mesmas carpas para limpar os pés de diferentes clientes.


Fonte: G1

comentários[0]

27

fev
2011

Como são escolhidos os ganhadores do Oscar?



Hoje é o dia da premiação do Oscar. todos os sites estão dando destaques. A TV vai transmitir ao vivo. Mas, como são escolhidos os vencedores?


Os vencedores do Oscar, o prêmio mais importante do cinema, são escolhidos pelos associados da Academia de Artes e Ciências Cinematográficas.


A maneira mais "simples" de se tornar membro dessa organização americana é ser indicado a um Oscar. Assim, quando o brasileiro Fernando Meirelles foi indicado ao prêmio de Melhor Diretor pelo filme Cidade de Deus, ele pode ser convidado para integrar a Academia e participar da votação no ano seguinte. O mesmo pode ocorrer com os outros profissionais do filme de Meirelles que receberam indicações - nas categorias Melhor Edição, Fotografia e Roteiro Adaptado. Também é possível entrar nesse restrito clube de eleitores somando um bom currículo de trabalho e um poderoso "QI" - no caso, um "Quem Indicou" mesmo.


É que profissionais que atuaram em vários filmes lançados no mercado americano e que recebam convites de pelo menos dois sócios da Academia também podem ter a porta aberta. A idéia de criar essa associação partiu de Louis B. Mayer, chefe de produção do estúdio Metro-Goldwyin-Mayer, em 1927. O cinema tinha então pouco mais de 30 anos de existência.


"O Oscar permanece como o prêmio mais importante da indústria cinematográfica graças a sua longevidade. Ele também significa dinheiro para os grandes estúdios", diz o crítico Rubens Ewald Filho.


Hoje a Academia possui 24 categorias competitivas. Mas na aguardada cerimônia também são entregues estatuetas comemorativas e especiais, como o Prêmio Irving G. Thalberg (destinado a produtores) e o Oscar Honorário, que homenageia o conjunto da obra de algum importante profissional do cinema. Outro prêmio menos conhecido é o Científico e Tecnológico, em reconhecimento a invenções e descobertas que ajudam a aprimorar a sétima arte.


Fonte: Mundo Estranho


comentários[0]

27

fev
2011

O sapo e a água morna. Mito ou verdade?

O que Será que é?

 

Ó Senhor, aqueles que Te conhecem confiam em Ti, pois não abandonas os que procuram a Tua ajuda. Salmo 9:10


Como podemos saber se tudo o que ouvimos ou vemos é verdade? Lembro-me daquela história do sapo que estava nadando em uma bacia com água fria. Aos poucos a água começou a ficar morna. O sapo não sabia que a bacia estava em cima do fogo. Ele achou que aquela água estava ficando muito gostosa. Preguiçosamente, começou a boiar sobre a água sem perceber que ela estava ficando cada vez mais quente. O sapo queria "curtir" e, acreditando ser muito esperto, ali ficou. Ele foi se acostumando à temperatura da água e, sem perceber, morreu cozido. Dizem que, se colocarmos um sapo numa panela com água muito quente, ele pula para fora. Mas, se a água estiver fria e for esquentando aos poucos, como na história, o sapo é enganado e acaba morrendo.


Acho que você já ouviu essa história antes. Eu, pelo menos, já a ouvi umas cem vezes. Mas tenho uma notícia para lhe dar. Essa história não é verdadeira. Sempre gostei dela e a achei interessante. Mas descobri que estudantes de biologia de Harvard, uma das mais importantes universidades do mundo, acharam essa história muito estranha. Quem colocaria um sapo em água fria e depois a ferveria? Bem, eles resolveram fazer uns testes, e em todos eles os resultados foram iguais: os sapos pularam. Tanto na água fervente, quanto na água fria que ia ficando quente. Quando a água estava ficando quente demais, o sapo pulava. Realmente, nesta vida, a gente tem que "ver para crer". Temos que ficar atentos para saber se o que nos dizem é mesmo verdade.


Não estou aqui promovendo a incredulidade. Mas é importante ficarmos atentos. Jesus disse que devemos ser "espertos como as cobras e sem maldade como as pombas" (Mateus 10:16). O único ser em quem você pode confiar de olhos fechados é Jesus! Se Ele disse, se está escrito na Bíblia, você pode crer. Mas, na sociedade em que vivemos, é muito difícil. Gostei de saber que os sapos não são tão ingênuos assim. Espero que você e eu também não sejamos! Fique esperto!


Fonte: CPB

comentários[0]

26

fev
2011

Mito ou verdade - chuchu e melancia


Imagem affarrabio.org


9. Chuchu e melancia só tem água.

Mito.

Esses alimentos têm elevado teor de água, mas também apresentam outros nutriente e compostos importantes para a boa saúde, como o licopeno na melancia (36 mg/100 g da fruta) e o potássio do chuchu (173 mg/100 g cozido.


                                                                                   
Imagem nutribrazil.com


Fonte: Revista Vida e Saúde - fevereiro 2011
                                                                                        



comentários[1]

26

fev
2011

Vestes de Salvação


É grande o meu prazer no Senhor! Regozija-se a minha alma em meu Deus! Pois Ele me vestiu com as vestes da salvação. Isaías 61:10


Você já se colocou alguma vez diante do seu guarda-roupa e, com toda a variedade de roupas para vestir, perguntou-se: "Que roupa vou usar?"


No tempo de Mao Tse-tung, todos os chineses andavam uniformizados usando uma boina e um casaco azul-esverdeado. Foi cair o líder, e houve uma explosão de cores. O povo vestiu aquilo que havia tempo queria usar.


Quando se usa um uniforme, não há estresse, nem escolha. Você precisa vesti-lo, goste ou não goste.


A roupa é mais do que uma proteção do clima ou artefato para conservar nossa modéstia. Vestimo-nos para nos sentir melhores e usamos roupas de que gostamos, para acentuar ou para dissimular aspectos de nosso físico.


Vestimo-nos também para melhorar nossa autoimagem. Na cor e no modelo que você quiser, a camisa, a calça, a blusa, saia ou vestido estão aí para você melhorar a aparência. Quando você põe essa roupa que lhe cai bem, surge um sorriso no rosto e parece haver leveza no andar.


Quando Adão e Eva, feitos à imagem de Deus, pecaram, aquela imagem foi afetada e a primeira coisa que fizeram foi costurar para si vestes de folhas de figueira - trabalho de suas próprias mãos. Isso fez com que se sentissem melhor, mas não reparou a imagem deles, porque a falha não estava no tecido, nem no corte, mas neles mesmos. Deus precisou sacrificar animais e Ele mesmo trabalhou as peles, modelou as vestimentas e vestiu Adão e Eva.


Estamos certos quando acreditamos que precisamos de novas vestimentas para melhorar nossa imagem. O problema é querer encontrar essa roupa em qualquer loja, porque não há tecido, corte nem modelo que cubra verdadeiramente nossas necessidades espirituais.


Em lugar de ficar procurando, empurrando cabides de um lado para outro na seção de roupas da melhor loja de departamentos do Céu, o linho fino branco é a única vestimenta apropriada para os convidados do Rei. E há somente um fornecedor, assim como foi para Adão e Eva: o próprio Deus.


"O homem nada pode idear para suprir as perdidas vestes de inocência. Nenhuma vestimenta de folhas de figueira, nenhum traje mundano, pode ser usado por quem se assentar com Cristo e os anjos na ceia das bodas do Cordeiro. Somente as vestes que Cristo proveu podem habilitar-nos a aparecer na presença de Deus" (Ellen G. White, Parábolas de Jesus, p. 311).


Leia a meditação diariamente. CPB

comentários[0]

25

fev
2011

Continuando a série mitos e verdades

8. Tomar água morna emagrece.

Para quem já tomou muita água morna para esse fim, saiba que é um Mito.

A água é por natureza isenta de enrgia, O fato de estar morna em nada altera esa ausência de calorias do produto. Adicionalmente, não é necessário que o organismo transfira calor à agua, uma vez qeu, sendo morna, sua tempertaura é similar à do organismo (36°C). Se a água estivesse fria, certamente alguma energia (caloria) seria transferida do organismo para ela, com a finalidade de igualá-la à temperatura do corpo.


Imagem portalgirassol.blogspot



Fonte: Revista Vida e Saúde de fevereiro 2011.

comentários[1]

25

fev
2011

Raro diamante amarelo será exposto em Londres


A pedra chamada 'Gota de Sol' pesa 110 quilates e foi emprestada por uma companhia ao Museu de História Natural da cidade.

BBC


Valor da "Gota de Sol" não foi revelado (Foto: BBC)
Valor da "Gota de Sol" não foi revelado (Foto: BBC)


"Gota de Sol", um raro diamante amarelo, ficará exposto em um museu de Londres pelos próximos seis meses.


A pedra, de 110 quilates e com o tamanho aproximado de um polegar de um adulto, foi emprestada ao Museu de História Natural por uma companhia que fabrica joias com diamantes.


A empresa dona de "Gota de Sol" prefere não revelar o valor da pedra.


Nem a empresa nem o museu revelaram uma estimativa sobre o seu valor.


Além do tamanho, a cor da pedra a torna extremamente rara e especial.


As cores nos diamantes são causadas pela presença de outras substâncias ou por defeitos estruturais. A cor amarela, por exemplo, é causada por traços de nitrogênio na pedra, que é de carbono.


Fonte: G1

comentários[1]

24

fev
2011

Um carro movido a vento

E pode chegar a 90 km por hora

Acabou em Sidney, na Austrália, um teste do primeiro carro do mundo movido a energia gerada pelo vento, numa jornada de 5000 km.


Os jornalistas de ciência alemães Dirk Gion e Stefan Simmerer, construíram o protótipo, Wind Explorer, e o dirigiram pelo país, partindo de Perth e passando por Adelaide e Melbourne, numa viagem de três semanas.


O carro é movido por baterias de lítio-ion, carregadas durante a noite por uma turbina eólica móvel. Quanto a suas credenciais verde, ele emite zero de carbono. É um veículo pequeno, que pesa apenas 200 quilos (um carro médio pesa cerca de uma tonelada). Mas nunca se pode julgar um carro pelo tamanho. O Wind Explorer pode chegar a velocidades de mais de 90 km por hora, segundo o Celsias.


Ao comentar a odisséia eólica para a imprensa australiana, Gion disse que se tratava de provar como a tecnologia era boa: "Há muita gente cética, e queríamos mostrar a elas como esta fonte pode ser eficiente". Ele afirmou esperar que algum dia o carro esteja disponível para o público.


Fonte: Planetasustentável

comentários[1]

24

fev
2011

Área do cérebro que processa leitura dispensa visão



A parte do cérebro considerada responsável pelo processamento visual de texto pode não precisar da visão, relatam pesquisadores na revista "Current Biology".


A região, onde se processa a formação de palavras, processa palavras quando pessoas com visão normal leem. Porém, pesquisadores descobriram que ela é igualmente ativada quando cegos leem em braile.


"Não importa se as pessoas estão lendo com os olhos ou os dedos", disse Amir Amedi, neurocientista da Universidade Hebraica de Jerusalém e um dos autores do estudo. "De um jeito ou de outro, elas estão processando palavras."


A pesquisa refuta a crença, amplamente divulgada em livros didáticos, de que o cérebro é um órgão sensorial onde várias regiões conduzem atividades de diferentes sentidos como visão, audição e tato.


Em vez disso, Amedi afirma que o cérebro é uma máquina de tarefas. "O que sugerimos é que esta área constrói o formato das palavras, mesmo que a chamemos de área da formação visual de palavras", disse ele.


Amedi e seus colegas realizaram exames funcionais de ressonância magnética em oito adultos com cegueira congênita, enquanto eles liam em braile.


Ele e seus colegas pertencem a uma pequena comunidade de neurocientistas que tentam demonstrar que as regiões do cérebro são multissensoriais. Embora a teoria ainda não seja amplamente reconhecida, ela começou a ganhar aceitação na última década.


"Esperamos que este artigo seja mais um passo para convencer as pessoas", disse Amedi. "Porém, nem mesmo dez artigos seriam o bastante para alterar os livros didáticos. Isso pode levar mais uma década, até que possamos provar que não deixamos passar nada."


Fonte: Folha.com


comentários[1]

24

fev
2011

Peru: achado túmulo de governante pré-inca de 1,2 mil anos

 
Arqueólogos peruanos encontraram o túmulo de um alto governante da cultura Wari de mais de 1,2 mil anos, em um centro cerimonial arqueológico de Cuzco (sul), informou nesta quarta-feira o Instituto Nacional de Cultura (INC).

"Encontramos o túmulo do Senhor de Wari coberto com duas lajes de pedra, e leva consigo um peitoral, braceletes e cetros de ouro e prata" disse à imprensa o diretor do INC em Cuzco, Juan García.


O túmulo do antigo dirigente foi encontrado na cidade arqueológica de Espíritu Pampa, na província de La Convención, em Cuzco (1,1 mil km a sudeste de Lima).


"Essa descoberta está à altura do senhor de Sipán (encontrado no norte peruano em 1987) e mudará parte da história Inca e da região", afirmou García.


Junto com o túmulo, em perfeito estado, também foram encontradas cerâmicas, joias de ouro, prata e fragmentos de tecidos com influência da cultura Wari. A cultura Wari foi uma civilização que floresceu no centro dos Andes entre os anos 600 e 1.200, antes do império Inca, que teve Cuzco como capital.


Fonte: Terra

comentários[0]

Clima Tempo