Portal da Educao Adventista

*Professor Genivaldo *

16

dez
2013

Pai do TDAH se declara um mentiroso

"TDAH é o principal exemplo de uma doença fictícia".


 

 

 

Essas foram as palavras de Leon Eisenberg, o "pai científico do TDAH (Transtorno de Déficit de Atenção com Hiperatividade)", em sua última entrevista antes de falecer.

 

 

Leon Eisenberg teve uma vida luxuosa com sua "doença fictícia", graças às vendas de medicamentos. Coincidentemente, ele recebeu o "Prêmio Ruane para Pesquisas Psiquiátricas com Crianças e Adolescentes" (Ruane Prize for Child and Adolescent Psychiatry Research). Ele foi um líder na psiquiatria infantil por mais de 40 anos com seu trabalho em experimentos, pesquisas, aulas e políticas sociais na área da farmacologia, e por suas teorias sobre autismo e medicina social", segundo o jornal Psychiatric News.

 

Pois é, até admitiram que são TEORIAS. A indústria médica está utilizando o pretexto de ajudar crianças para despersonalizar nossos filhos e desconectá-los de uma criação saudável e normal. Pais estão expondo seus filhos a essas drogas e sujeitando-os ao que o mundo tem a oferecer, quando na verdade tudo o que essas crianças buscam é seus pais, na esperança de ser a bênção que Deus quer que eles sejam.

 

 

Nos Estados Unidos, um em cada 10 meninos na faixa de 10 anos toma medicação para TDAH diariamente... e a tendência é de aumento. E com a ajuda das pesquisas do programa Teen Screen nas escolas públicas, estão tentando preparar o estudante para o fracasso.

 

 

A psicóloga americana Lisa Cosgrove e outros profissionais revelam os fatos em seu estudo Financial Ties between DSM-IV Panel Members and the Pharmaceutical Industry (Ligações Financeiras entre os Grupos de Trabalho do DSM-IV e a Indústria Farmacêutica) [DSM-IV é a 4º revisão do Manual Diagnóstico e Estatístico de Transtornos Mentais da Associação Americana de Psiquiatria]. Eles descobriram que "Dos 170 membros do comitê, 95 (56%) tinham uma ou mais ligações financeiras com empresas da indústria farmacêutica. Cem por cento dos membros dos grupos de trabalho para 'transtornos de humor' e 'esquizofrenia e outros distúrbios psicóticos' tinham ligações financeiras com empresas farmacêuticas".

 

 

E eles estão colhendo enormes benefícios dessa "doença fictícia". Por exemplo, o diretor assistente da Unidade de Psicofarmacologia Pediátrica do Hospital Geral de Massachusetts e professor associado de psiquiatria na Faculdade de Medicina de Harvard recebeu "um milhão de dólares em rendimentos de empresas farmacêuticas entre 2000 e 2007".

 

 

Marc-André Gagnon e Joel Lexchin, que há algum tempo pesquisam sobre publicidade farmacêutica, realizaram um estudo que mostra que a indústria farmacêutica americana gastou 24,4% das vendas em dólar em publicidade, contra 13,4% em pesquisa e desenvolvimento no ano de 2004. Isso é quase duas vezes mais dinheiro para empurrar suas drogas nas pessoas que para pesquisar e garantir que são seguras!

 

 

Isso levanta a seguinte questão: Será que essas drogas são seguras?

 

 

Veja você mesmo os alertas contidos nos remédios de tarja preta, e irá se impressionar com os efeitos colaterais listados na bula:

 

 

* Confusão
* Despersonalização
* Hostilidade
* Alucinações
* Reações maníacas
* Pensamentos suicidas
* Perda de consciência
* Delírios
* Sensação de embriaguez
* Abuso de álcool
* Pensamentos homicidas

 

 

Por que algum pai iria submeter seus filhos a drogas com efeitos colaterais tão perigosos?

 

 

O Dr. Edward C. Hamlyn, membro fundador do Colégio Real de Clínicos Gerais da Grã-Bretanha, afirmou em 1998 que "o TDAH é uma fraude cuja intenção é justificar a iniciação das crianças a uma vida de vício em drogas".

 

 

O "déficit de atenção" está na responsabilidade dos pais, não na criança. A Bíblia nos diz que o cabe aos pais ensinar "a criança no caminho em que deve andar, e mesmo quando for idosa não se desviará dele!" (Provérbios 22:6 KJA), e não o contrário.

 

Tradução: Luis Gustavo Gentil

Do WND: Father of ADHD calls himself a liar

comentários[2]

16

dez
2013

Alérgicos, atenção redobrada no Natal!

 

Dezembro é época de muito calor, muito sol e preparativos para o natal, período de muitos processos alérgicos alimentares por diversas comidas comuns às mesas de ceia, alergias que podem tornar uma festa de comemoração entre família em um verdadeiro problema para muitos. Além disso, o verão, estação de uma enorme prevalência de alergias dermatológicas pela picada de insetos, calor em excesso e o uso exagerado de cosméticos, pode ser ainda pior com as delícias natalinas.

 

São diversos os alimentos do natal que podem desencadear os processos alérgicos, como o pernil, os vinhos brancos e tintos, a cerveja, os frutos do mar entre outros, além dos pratos à base de leite de vaca como as rabanadas e alguns bolos. Embora muitos não saibam, o leite bovino é um dos alimentos que mais causa alergias, sobretudo entre as crianças. Segundo o Imunologista e Alergista, Coordenador Técnico do Projeto Social Brasil Sem Alergia, Dr. Marcello Bossois, cerca de 35% da população mundial sofre com algum tipo de alergia.

 

A carne de porco, muito consumida durante as comemorações natalinas é uma grande causadora de alergias alimentares, uma vez que estraga com mais facilidade, podendo ter uma grande concentração de toxinas. Além disso, a proteína da carne de porco é uma grande causa de alergia alimentar, assim como alguns frutos do mar, o que gera o surgimento de alergias naqueles que não conseguem digerir tal alimento. O leite de vaca, por sua vez, não provoca apenas as alergias alimentares, mas também pode provocar outro tipo de reação, a intolerância alimentar.

 

"No caso do leite bovino, ambos os processos podem ser bastante perigosos, sobre tudo a alergia, causada pelas proteínas presentes neste alimento, que pode levar ao óbito e pode se desenvolver em qualquer pessoa, independente de sua idade, sexo ou estilo de vida. No entanto, os recém nascidos são os mais afetados pelas doenças, e cerca de 6% das crianças até o 3º ano de vida sofrem com a alergia alimentar. Já a intolerância à Lactose, o açúcar encontrado no leite de vaca, assim como os demais compostos de diversos alimentos como o Glúten, os crustáceos, além de corantes e conservantes, chega a atingir 25% dos brasileiros", alerta o alergista.

 

O vinho branco e o vinho tinto, assim como as cervejas, são bebidas muito consumidas no natal, que produzem levedura e bactérias a partir do processo de fermentação, o que propicia a fabricação de Histamina pelo organismo. A Histamina, por sua vez, é um composto orgânico produzido pelo sistema imunológico, sendo um mediador inflamatório responsável pelos mais variados tipos de processos alérgicos.

 

Assim como o suco de uva, essas bebidas apresentam ainda altas concentrações de sulfitos, um grupo de compostos conhecido por causar inúmeros sintomas de alergias como espirros, coriza, tosses e asma. Presentes ainda em azeitonas, vegetais em conserva e frutos do mar como lulas e polvos, os sulfitos também podem causar reações cutâneas ou diarréia em pessoas com o suco gástrico pouco ácido.

 

Existem ainda outros processos semelhantes às alergias alimentares, como as intoxicações alimentares. Por conta de ser um período de intenso calor, é muito comum que o tempo de validade dos alimentos seja alterado, facilitando quadros de intoxicações por determinados produtos. Um alimento contaminado possui bactérias que liberam toxinas que causam pseudo-alergias, ou seja, reações alimentares adversas a tais componentes e que podem ser muito confundidas com alergias.

 

Além disso, outra doença que tem um aumento significativo durante o mês do natal é a herpes. As castanhas, as nozes e as avelãs, produtos que não podem faltar em uma mesa natalina, são alimentos ricos em argenina, aminoácido que gera uma multiplicação viral da doença, o que provoca um crescimento do herpes durante o verão. Embora muitos não saibam, a doença não é transmitida apenas por relação sexual, mas também pode se desenvolver no organismo em momentos de baixa do sistema imunológico ou pelo alto consumo deste aminoácido.

 

Veja a reportagem completa no Diário de Petrópolis

 

Nota: A Bíblia já diz isso a muito tempo. Confira em Levítico 11

comentários[0]

13

dez
2013

Por que a sexta-feira 13 é considerada um dia de má sorte?

 

Na América do Norte e na Europa, uma parcela significativa da população se comporta de maneira estranha em sextas-feiras 13. Nesse dia, essas pessoas não entram em aviões, não dão festas, não se candidatam a empregos, não se casam, nem iniciam um novo projeto. Algumas dessas pessoas nem vão trabalhar. Nos Estados Unidos, cerca de 8% da população tem medo da sexta-feira 13, uma condição conhecida como parasquavedequatriafobia. A "sexta-feira 13", como conhecemos, está enraizada em muitas tradições e culturas.

 

A superstição acerca da sexta-feira 13 é na verdade uma combinação de dois medos separados: o medo do número 13, chamado triskaidekafobia, e o medo de sextas-feiras. A fonte mais familiar de ambas as fobias é a teologia cristã. O treze é significativo para os cristãos porque é o número de pessoas que estavam presentes na última ceia (Jesus e seus 12 apóstolos).

 

Os cristãos, tradicionalmente, têm mais cautela com as sextas-feiras por Jesus ter sido crucificado nesse dia. Além disso, alguns teólogos dizem que Adão e Eva comeram o fruto proibido em uma sexta-feira, e que o grande dilúvio começou em uma sexta-feira. No passado, muitos cristãos não iniciavam nenhum novo projeto ou viagem em uma sexta-feira, por medo de que o esforço fosse condenado desde o princípio.

 

Os marinheiros eram particularmente supersticiosos nesse sentido e costumavam recusar-se a embarcar em sextas-feiras. De acordo com uma lenda, no século 18, a Marinha Britânica comissionou um navio chamado H.M.S. Friday (sexta-feira em inglês) com a intenção de suprimir a superstição. A marinha selecionou a tripulação em uma sexta-feira, lançou o navio em uma sexta-feira e até escolheu um homem chamado James Friday para ser o capitão do navio. E assim, em uma manhã de sexta-feira, o navio partiu em sua primeira viagem - e desapareceu para sempre.

 

Alguns historiadores culpam a desconfiança dos cristãos com as sextas-feiras em oposição geral às religiões pagãs. A sexta-feira recebeu seu nome em inglês em homenagem a Frigg, a deusa nórdica do amor e do sexo. Essa forte figura feminina, de acordo com os historiadores, representava uma ameaça ao cristianismo, que era dominado por homens. Para combater sua influência, a igreja cristã a caracterizou como uma bruxa, difamando o dia que a homenageava. Essa caracterização também pode ter tido um papel no medo do número 13. Foi dito que Frigg se uniria a uma convenção de bruxas, normalmente um grupo de 12, totalizando 13. Uma tradição cristã semelhante considera o 13 amaldiçoado por significar a reunião de 12 bruxas e o diabo.

 

Alguns ligam a infâmia do número 13 à cultura nórdica antiga. Na mitologia nórdica, o amado herói Balder foi morto em um banquete com o deus do mal Loki, que se infiltrou em uma festa de 12, totalizando um grupo de 13. Essa história, bem como a história da Santa Ceia, levam a uma das mais fortes conotações do número 13. Nunca se deve sentar-se à mesa em um grupo de 13.

 

Outra parte significativa da lenda da sexta-feira 13 é a sexta-feira 13 particularmente ruim ocorrida na idade média. Em uma sexta-feira 13 de 1306, o Rei Filipe da França queimou os reverenciados cavaleiros templários, marcando a ocasião como um dia do mal.

 

Algumas pessoas adquirem o medo da sexta-feira 13 por causa de má sorte que tiveram nesse dia no passado. Se você se envolver em um acidente de carro em uma sexta-feira 13, ou perder sua carteira, o dia ficará marcado para você. Mas se pensarmos bem, coisas ruins (como derramar o café ou problemas mais sérios) ocorrem todos os dias, portanto, se você procurar por má sorte em uma sexta-feira 13, você provavelmente encontrará.

 

Fonte: Adaptado de http://pessoas.hsw.uol.com.br/questao614.htm.

 

Nota: Quem tem Deus como seu protetor não tem o que temer.

"Por isso não tema, pois estou com você;
não tenha medo, pois sou o seu Deus.
Eu o fortalecerei e o ajudarei;
eu o segurarei
com a minha mão direita vitoriosa". Isaías 41:10

Por isso não tema, pois estou com você; não tenha medo, pois sou o seu Deus. Eu o fortalecerei e o ajudarei; Eu o segurarei com a minha mão direita vitoriosa.
Isaías 41:10
Por isso não tema, pois estou com você; não tenha medo, pois sou o seu Deus. Eu o fortalecerei e o ajudarei; Eu o segurarei com a minha mão direita vitoriosa.
Isaías 41:10
Por isso não tema, pois estou com você; não tenha medo, pois sou o seu Deus. Eu o fortalecerei e o ajudarei; Eu o segurarei com a minha mão direita vitoriosa.
Isaías 41:10

comentários[0]

6

dez
2013

Por que loiras e portugueses têm fama de burros nas piadas?

O mito da burrice das loiras começou com as personagens ingênuas interpretadas por Marylin Monroe - que nasceu morena, mas só ficou famosa após pintar os cabelos. No filme Os Homens Preferem as Loiras, de 1953, sua personagem, Lorelei Lee, era uma cantora que assassinava a gramática e seduzia ricaços, ajudando a construir o estereótipo que hoje vai da dançarina Carla Perez à música "Lôraburra", em que Gabriel O Pensador afirma que elas chamam a atenção "não pelas ideias, mas pelo burrão".

 

Já a fama da desinteligência dos portugueses vem da época da colonização. E não são só os brasileiros que tiram onda com os portugas - referirse a colonizadores de forma jocosa é algo típico em ex-colônias, e vice-versa, seguindo o ditado: quem ri por último ri melhor! Um exemplo milenar disso são as piadas do Egito antigo falando sobre a simplicidade e burrice dos habitantes da Núbia, país então sob domínio egípcio.

 

por Fred Linardi - Mundo Estranho

comentários[0]

5

dez
2013

Quais são as escolas mais linha-dura do mundo?

 

GUANTÁNAMO PARA CRIANÇAS


Onde: Doncaster, Inglaterra

Nível de rigidez: Pede pra sair!

 

Quem sai da linha na Ridgewood School, na cidade inglesa de Doncaster, vai direito para uma espécie de versão júnior da prisão de Guantánamo. Trata-se de um cubículo todo vedado e pintado de preto - desde o chão até o teto -, com iluminação típica de sala de interrogatório, bem em cima do sujeito. O aluno fica horas ali. Para a direção, a "sala de estudos" é um meio de fazer o cara pensar duas vezes antes de aprontar de novo...

 

CHEIA DE NÃO-ME-TOQUE


Onde: Mesa, EUA

Nível de rigidez: Pauleira

 

Sabe aquele namorico, no pátio ou no corredor? Pois na Shepherd Junior High School, na cidade de Mesa, nos EUA, isso é crime! Qualquer tipo de contato físico que dure mais de dois segundos, mesmo um abraço entre amigos, é uma falta grave passível não só de suspensão como de detenção! A galera ficou furiosa, mas o diretor não quis nem saber, dizendo que a "demonstração pública de afeto é algo embaraçoso"...

 

PRESENTE DE GREGO


Onde: Johanesburgo, África do Sul

Nível de rigidez: Casca-grossa

 

A apresentadora americana Oprah Winfrey gastou uma fortuna na construção de uma escola para meninas pobres na África do Sul, mas não deixou barato. Segundo reclamações de pais, o esquema por lá seria pior do que exército: só duas horas de visita por mês; guloseimas, nem em sonho; e as garotas não poderiam mandar e-mail ou falar ao celular. Para a bilionária, a Oprah Winfrey's Leadership Academy for Girls não é rigorosa, mas segura. Sei...

 

LEI SECA


Onde: North Bend, EUA

Nível de rigidez: Severa

 

A Oregon Coast Technology School, na cidade americana de North Bend, descobriu que alguns alunos tomavam umas biritas lá dentro. Para coibir a prática, proibiu a entrada de qualquer tipo de garrafinha, como as de água, alegando que o pessoal escondia o goró nos recipientes. A norma continuou valendo mesmo após um teste revelar que a água dos bebedouros tinha mais bactérias do que a das torneiras...

 

INVASÃO DE PRIVACIDADE


Onde: Cidade de Cingapura, Cingapura

Nível de rigidez: Pauleira

 

Muita gente reclama da caretice do uniforme escolar. Pois um colégio na Cidade de Cingapura, capital desse país asiático, adota uma medida nada discreta com as meninas: vistoriar o sutiã de cada uma delas para ver se a cor está de acordo com o regulamento - o sutiã só pode ser branco, bege ou cinza. A escola tem até um estoque de sutiãs brancos para emprestar para quem sair do tom com alguma peça "espalhafatosa", que poderia distrair os alunos.

 

HIGH SCHOOL MUSICAL

Onde: Evanston, EUA

Nível de rigidez: Casca-grossa

 

A Haven Middle School, em Evanston, nos EUA, adotou um programa barra-pesada para incentivar os alunos com necessidades especiais a ter bom comportamento. Na polêmica metodologia, as crianças viram integrantes de uma banda de rock. Quem fizer por merecer, acumula pontos na "gravadora", tendo direito a certas "regalias", como ir ao banheiro sozinho - desde, claro, que volte rápido para a sala: "Se você demorar mais de três minutos, é porque é doente", diz a norma.

 

ESCOLINHA DO TERROR

 

Onde: Países com núcleos da Al Qaeda

Nível de rigidez: Pede pra sair!

 

A rede terrorista Al Qaeda tem um sistema mundial de "ensino" para formar futuros suicidas. Nas aulas, rola tanto a parte teórica, com vídeos de Osama bin Laden, quanto a parte prática, que vai desde pilotagem de avião até como detonar um cinturão de explosivos. Esses centros de treinamento estariam espalhados por vários países. Só na Inglaterra, calcula-se que haja 2 mil jovens tendo lições de como matar um monte de gente de uma vez só.

 

ACALMANDO AS FERAS

 

Onde: Pequim, China

Nível de rigidez: Pede pra sair!

 

Os alunos de uma escola durona de Pequim, na China, vão sair de lá com "trauma de quarta". É que, toda quarta-feira eles têm que trocar os cadernos por um paninho úmido e se pendurar nas janelas para limpar os vidros do lugar. E qualquer passo em falso é meio caminho para se esborrachar no chão, pois são apenas 10 cm de parapeito para se equilibrar e nenhum equipamento de segurança. A direção alega que o medo deixa as feras bem mansinhas...

 

ISSO NÃO CHEIRA NADA BEM

 

Onde: Camden, EUA

Nível de rigidez: Severa

 

Justiça seja feita, a Camden-Rockport Middle School não é propriamente casca-grossa, mas virou notícia fora de Camden, nos EUA, depois de uma norma sem noção proibindo os alunos de - acredite! - soltar pum de propósito. A direção tomou essa atitude após descobrir que rolava uma disputa para ver quem soltava o traque mais fedorento. O "infrator" corre o risco de detenção. Mas fica a dúvida: como saber quem deu o pum em questão e se este foi ou não intencional?

 

E onde rola a maior vida mansa

 

Neste colégio português quem manda é o aluno

 

Se você já está apavorado com as palmatórias e castigos dos "quartéis" acima, saiba que - ufa! - nem tudo é dureza quando o assunto é estudo. Por exemplo, a Escola da Ponte, na cidade do Porto, em Portugal, é uma referência mundial no quesito ensino alternativo. Para ter uma ideia, no início de cada ano letivo, os alunos é que votam os deveres e direitos de todos para aquele período. Além disso, não há provas, salas de aula - todo mundo aprende junto, em grandes galpões - e cada um pode enfatizar aprender a matéria que mais gosta. Quem foi que disse que português é bobo?

 

Fonte: Mundo Estranho

comentários[3]

Clima Tempo