Portal da Educao Adventista

*Professor Genivaldo *

31

out
2010

Crianças com TV e PC no quarto dormem menos

Estudo analisou os hábitos de 444 estudantes com idade média de 14 anos e relevou que aparelhos eletrônicos no quarto reduzem sono em até meia hora.


Uma pesquisa realizada por cientistas israelenses reforçou o que muitos pais já desconfiavam: crianças que têm TV e computador nos seus quartos dormem menos do que as crianças que não têm.


O estudo, que analisou os hábitos de 444 estudantes com idade média de 14 anos, revelou que os que têm os aparelhos no mesmo ambiente de suas camas dormem em média meia hora mais tarde do que as outras, sendo obrigadas a se levantar no mesmo horário no dia seguinte.


Os cientistas da Universidade de Haifa e da Faculdade Jezreel Valley descobriram que na média, as crianças disseram ver televisão diariamente por 2h40 e usar o computador por 3h45.


Mas os adolescentes com os aparelhos perto da cama admitiram ver televisão uma hora a mais e também usar o computador o mesmo tempo adicional em comparação com as outras.


Alimentação


As crianças pesquisadas, estudantes do ensino médio, responderam a perguntas sobre seus hábitos de sono e também sobre seus hábitos alimentares quando também usavam os dois aparelhos.


Os pesquisadores descobriram que 20% deles comem em frente à televisão regularmente e apenas 10% disseram nunca fazer isso.


Os jovens disseram comer menos em frente ao computador - 50% afirmaram nunca fazer isso, e apenas 10% admitiram fazer isso com freqüência.

 
De acordo com os estudiosos, existe uma relação direta entre o hábito de ver televisão e usar o computador e o hábito de comer em frente aos aparelhos.


Quanto mais a criança usa os equipamentos, maior a chance de que desenvolva o costume de fazer suas refeições na companhia deles.

Fonte: Bondenews

comentários[4]

31

out
2010

Ai, ai, ai... está chegando a hora. O Enem já vem raindo...


Os estudantes que estão se preparando para fazer a prova do Enem no dia 6 e 7 de novembro precisam ficar atentos. Questões de atualidades, por exemplo, exigirão do candidato a compreensão e interpretação do tema. Por isso é fundamental o estudo quase religioso dos assuntos, para que cada matéria seja aprofundada da maneira mais precisa e objetiva deixando assim o lado superficial.


Temas relacionados ao maior vazamento de petróleo do mundo, ocorrido nos Estados Unidos no Golfo do México, são algumas das apostas para a prova. Assim como o terremoto que abalou o Haiti, revelando tamanha gravidade da falta de ajuda humanitária no mundo. E muito provavelmente o polêmico enriquecimento de urânio do Irã, em que o Brasil exerceu papel fundamental nas negociações diplomáticas. Questões que parecem ser simples e fáceis exigirão a compreensão e análise do candidato, então fique ligado.


Para você ficar ligado nesses e outros assuntos, use e abuse da internet. Faça uma busca e leia as reportagens sobre o assunto e assista aos vídeos dos noticiários.


Fique super ligado com o que aconteceu de julho para trás.


Bom estudo.


comentários[0]

30

out
2010

Jesus tinha de ser crucificado?


Desde esse tempo, começou Jesus Cristo a mostrar a Seus discípulos que Lhe era necessário seguir para Jerusalém e sofrer muitas coisas dos anciãos, dos principais sacerdotes e dos escribas, ser morto e ressuscitado no terceiro dia. Mateus 16:21


Martin Luther King, na noite que antecedeu seu assassinato em Mênfis, EUA, disse o seguinte: "Não sei o que vai acontecer agora. Teremos dias difíceis pela frente. Mas isso não me importa, pois já estive no topo do monte. Como qualquer pessoa, gostaria de ter vida longa. A longevidade tem o seu lugar. Mas não estou preocupado com isso agora. Quero apenas fazer a vontade de Deus. E Ele me permitiu subir ao monte. E de lá eu olhei, e vi a Terra Prometida. Pode ser que eu não chegue lá junto com vocês. Mas quero que saibam, nesta noite, que, como povo, estaremos na Terra Prometida. E hoje de noite estou feliz. Nada me preocupa. Não tenho medo do que me possa fazer o homem. Meus olhos viram a glória da vinda do Senhor."



Algumas pessoas estão convencidas de que Martin Luther sabia que ia ser morto. Em virtude da agitação que ele criara e a revolta geral que estava ocorrendo, não seria preciso muita imaginação para prever que ele seria baleado.



A mesma questão tem sido debatida com respeito à morte de Cristo. Alguns pensam que Ele morreu como vítima dos eventos e pressões que se avolumaram contra Ele. Ou seja: vítima das circunstâncias. Mas quando João Batista disse: "Eis o Cordeiro de Deus, que tira o pecado do mundo" (Jo 1:29), ficou claro que Sua morte era certa desde o início. Numa cultura que sacrificava cordeiros duas vezes ao dia no Templo, essas palavras eram indicativas de morte. Em outras palavras, João Batista estava dizendo: "Ei, olhem para este Homem. Ele vai ser sacrificado!"



Jesus é o Cordeiro morto desde a fundação do mundo. E Sua morte deveria ser sangrenta, pois "sem derramamento de sangue, não há remissão" (Hb 9:22). Mas seria necessária uma morte cruel como a crucifixão? Um acidente sangrento não teria sido suficiente para operar nossa salvação?



O Prof. Raoul Dederen opina a esse respeito: "Um acidente sangrento, como o ter sido atropelado por uma carruagem romana, não teria executado o plano. Ele deveria morrer inocentemente nas mãos dos homens. E não simplesmente por uma pessoa, por um líder fanático. Deveria ser morto por um grupo de pessoas representando os vários níveis da sociedade, que juntos decidiram ver-se livres de Deus."



Jesus veio ao mundo para morrer - por mim e por você.


Leia a meditação diariamente: CPB

comentários[1]

29

out
2010

Não entre nessa fria

Machucou? Atenção: gelo mais atrapalha do que ajuda



Quando o problema é muscular, o processo de cura pode demorar mais

Bolsa de gelo em lesão

(Spike Mafford)


Durante anos, acreditou-se que colocar gelo sobre o músculo lesionado ou com distensão ajudaria a reduzir o inchaço local. Entretanto, um estudo recente acaba de fazer um alerta: o gelo pode, na verdade, desacelerar o processo de cura. Isso ocorre porque ele impede a liberação do hormônio IGF-1 (fator de crescimento semelhante à insulina tipo 1), fundamental para a recuperação plena do ferimento.

Para os cientistas, a inflamação que acontece após uma lesão é característica natural do corpo, já que, durante esse período, as células machucadas produzem altas quantidades de IGF-1 para dar início à recuperação. "Esperamos que os resultados estimulem novas pesquisas sobre os papéis desempenhados pela inflamação nos tecidos lesionados. Assim, poderemos utilizar os efeitos positivos para controlar os negativos dessa inflamação", diz Lan Zhou, médica do Centro Clínico de Pesquisa em Neuroinflamação de Cleveland, nos Estados Unidos, e coautora do estudo.


A descoberta pode alterar o tratamento e a monitoração de pacientes que fazem uso de medicamentos muito fortes e por períodos prolongados. "Já se sabe há muito tempo que o excesso de medicação anti-inflamatória, como a cortisona, diminui a cicatrização de uma ferida", disse Gerald Weissmann, editor do periódico Federation of American Societies for Experimental Biology, que publicou o estudo.


Confira: Veja

comentários[1]

29

out
2010

Saúde: Pular o café da manhã pode ser fatal para o coração


Sair de casa em jejum aumenta os riscos de obesidade e o nível de colesterol

Casal toma café da manhã

A primeira refeição importante do dia precisa ser feita (Jupiterimages).


Quem sai de casa sem tomar café da manhã tem um risco maior de desenvolver doenças cardíacas graves, aponta um estudo publicado no American Jounal of Clinical Nutrition. A chance é grande porque, sair de casa logo cedo de estômago vazio aumenta os riscos de obesidade, causa um acúmulo de gordura ao redor do estômago e eleva os níveis de colesterol ruins - fatores que podem levar a futuros problemas no coração.


Além disso, pular a primeira refeição importante do dia pode aumentar as taxas de insulina no sangue, o que pode resultar em diabetes. De acordo com os cientistas, o grupo de risco é formado por adultos que mantêm o hábito de não tomar café da manhã desde a infância - o que significa que, aos 20 anos, a pessoa já começaria a trilhar o perigoso caminho rumo a futuras doenças.


Os pesquisadores traçaram um perfil dessas pessoas mais vulneráveis e constataram que, o fato de sair de casa sem se alimentar faz com que elas se tornem mais propícias a comer petiscos e doces ao longo do dia e menos adeptas à prática de exercícios físicos e ao consumo de fibras, vitaminas e minerais. "Pular o café da manhã é a marca de um estilo de vida nada saudável e caótico", enfatiza a nutricionista Catherine Collins, que fez parte do estudo.


Fonte:Veja

comentários[2]

29

out
2010

Educação dos filhos: Crescendo entre duas religiões


Como pais de crenças diferentes enfrentam o desafio de educar seus filhos com valores religiosos distintos


Quando Anne, 10 anos, e Felipe, 8, nasceram, os pais, Maria Angélica, criada no catolicismo, e Marcelo Dimantas, que é judeu, tiveram de conversar bastante sobre como seria a educação religiosa dos filhos. A mãe não abriu mão do batismo, sacramento que significa tornar a criança um filho de Deus para os católicos. E o pai quis que o menino fosse circuncidado, aos 8 meses, em uma cerimônia que igualmente simboliza a aliança com Deus no judaísmo. Além dos questionamentos habituais da infância, é comum na família do casal de médicos ter de responder a perguntas também sobre religião, como "por que o papai não acredita em Jesus?" ou "por que a mamãe comemora o Ano-Novo em uma data e o papai em outra?". A saída, conforme o casal, é sempre esclarecer tudo com o máximo de transparência. "Eu digo que, apesar de o pai ir à sinagoga e eu à igreja, nós dois acreditamos em Deus", conta Angélica.


Veja a reportagem na íntegra: IstoÉ

comentários[0]

29

out
2010

Enem: Revolução Inglesa

A Revolução Inglesa do século XVII representou a primeira manifestação de crise do sistema da época moderna, identificado com o absolutismo. O poder monárquico, severamente limitado, cedeu a maior parte de suas prerrogativas ao Parlamento e instaurou-se o regime parlamentarista que permanece até hoje. O processo que começou com a Revolução Puritana de 1640 e terminou com a Revolução Gloriosa de 1688.


As duas fazem parte de um mesmo processo revolucionário, daí a denominação de Revolução Inglesa do século XVII e não Revoluções Inglesas. Esse movimento revolucionário criou as condições indispensáveis para a Revolução Industrial do século XVIII, abrindo espaço para o avanço do capitalismo. Deve ser considerada a primeira revolução burguesa da história da Europa no qual antecipou em 150 anos a Revolução Francesa.


A Vida Social Antes da Revolução Inglesa


Com a Dinastia Tudor, a Inglaterra teve muitas conquistas, que serviram de base para o desenvolvimento econômico do país. Os governos de Henrique VIII e de sua filha Elisabeth I trouxeram à unificação do país, o afastamento do Papa além de confiscar os bens da Igreja Católica, e ao mesmo tempo criar o anglicanismo,  e entrar na disputa por colônias  com os espanhóis.
Foram com esses monarcas que também ocorreu à formação de monopólios comerciais, como a Companhia das Índias Orientais e dos Mercadores Aventureiros. Isto serviu para impedir a livre concorrência, embora essa ação tenha sufocado alguns setores da burguesia. Então, resultou na divisão da burguesia de um lado, os grandes comerciantes que gostaram da política de monopólio, e de outro a pequena burguesia que queria a livre concorrência.


Outro problema era a detenção de privilégios nas mãos das corporações de ofício. Uma outra situação problemática era na zona rural, com a alta dos produtos agrícolas as terras foram valorizadas. Isso gerou os cercamentos, isto é, os grandes proprietários rurais queriam aumentar suas terras expropriando as terras coletivas, transformando-as em particulares. O resultado foi à expulsão de camponeses do campo e a criação de grandes propriedades para a criação de ovelhas e para a produção de lã, condições imprescindíveis para a Revolução Industrial. 

Para não deixar o conflito entre camponeses e grandes proprietários aumentar o governo tentou impedir os cercamentos. Claro que com essa ação a nobreza rural, Gentry (a nobreza progressista rural), e a burguesia mercantil foram fortes oponentes.

Para Entender a Revolução Inglesa

Dinastia Stuart


Esta dinastia iniciou-se após a morte da rainha Elisabeth I, em 1603 que ao morrer sem deixar herdeiros, promoveu o início da Dinastia Stuart.
JAIME I, rei da Escócia (1603-1625). Dissolveu o parlamento várias vezes e quis implantar uma monarquia absolutista baseada no direito divino, perseguiu os católicos e seitas menores, sob o pretexto que os mesmos estavam organizando a Conspiração da Pólvora (eliminar o Rei), em 1605. Muitos  que ficaram descontentes começaram a ir para a América do Norte. Os atritos entre o Rei e  o Parlamento ficaram fortes e intensos, principalmente depois de 1610. Em 1625, houve a morte de Jaime I e seu filho Carlos I, assumiu o poder.


CARLOS I, sucessor de Jaime I (1625- 1648). Tentou continuar uma política absolutista, e estabelecer novos impostos no qual foi impedido pelo parlamento. Em 1628, com tantas guerras, o rei viu-se obrigado a convocar o parlamento, este sujeitou o rei ao juramento da "Petição dos Direitos" (2º Carta Magna inglesa) garantia a população contra os tributos e detenções ilegais. O parlamento queria o controle da política financeira e do exército, além de regularizar a convocação do parlamento. A resposta real foi bem clara, a dissolução do parlamento que voltaria a ser convocado em 1640. O rei Carlos I governou sem parlamento, mas ele buscou o apoio da Câmara Estrelada, uma espécie de tribunal ligado
ao Conselho Privado do Rei. Também tentou impor a religião anglicana  aos calvinistas escoceses (presbiterianos).  Isso gerou rebeliões por parte dos escoceses que invadiram o norte da Inglaterra. Com isso o rei  viu-se obrigado a reabrir o parlamento em abril de 1640 para obter ajuda da burguesia e da Gentry. Mas o parlamento tinha mais interesse no combate ao absolutismo. Por isso, foi fechado novamente. Em novembro do mesmo ano foi convocado de novo. Desta vez ficou como o longo parlamento, que se manteve até 1653.

A Guerra Civil (1641-1649)


A guerra civil inglesa estendeu-se de 1641 a 1649, dividiu o país e foi um marco importante na Revolução Inglesa. De um lado havia os cavaleiros, o exército fiel ao rei e apoiado pelos senhores feudais. Do outro, os cabeças-redondas, visto que não usavam perucas e estavam ligados a gentry, eram forças que apoiavam o parlamento. Em 1641, começava a guerra civil o rei teve o apoio dos aristocratas do oeste e do norte, juntamente com uma parte dos ricos burgueses, que estavam preocupados com as agitações sociais.


Em contra partida o exército do parlamento foi comandado por Oliver Cromwell, formado por camponeses, burgueses de Londres e a gentry. Os Cabeças Redondas derrotaram os Cavaleiros na Batalha de Naseby em 1645. Carlos I perdeu a guerra e fugiu para a Escócia, lá ele foi preso e vendido para o parlamento inglês, este mandou executar o rei. Ao tomar esta decisão a sociedade representada pelo parlamento rompia com a idéia da origem divina do rei e de sua incontestável autoridade. Assim, a guerra civil fomentou novas idéias lançando as bases políticas do mundo contemporâneo.

A Revolução Puritana (1649-1658)


O governo de Oliver Cromwell atendia os interesses burgueses. Quando começou a haver rebeliões na Escócia e na Irlanda, ele as reprimiu com brutalidade. Oliver procurou eliminar a reação monarquista. Fez uma "limpeza" no exército. Executou os líderes escavadores (estes eram trabalhadores rurais que queriam tomar terras do estado, nobreza e clero). Com tantas execuções os menos favorecidos ficaram a "mercê da sorte" e acabaram por entrar em movimentos religiosos radicais.


Uma medida para combater os holandeses e fortalecer o comércio foi os Atos de Navegação. Essa lei resumia-se no seguinte: o comércio com a Inglaterra só poderia ser feito por navios ingleses ou dos países que faziam negócios com a Inglaterra.


 Em 1653, Oliver autonomeou-se Lorde Protetor da República, seus poderes eram tão absolutos quanto de um rei. Mas ele recusou-se a usar uma coroa. Embora na prática agisse como um soberano. Com apoio dos militares e burgueses, impôs a ditadura puritana, governando com rigidez e intolerância, e com idéias puritanas. Ele morreu em 1658 e seu filho Richard Cromwell assumiu o poder. Mas este logo foi deposto em 1659.


A Volta dos Stuart e a Revolução Gloriosa (1660 -1688)


Carlos II, (1660 - 1685) da família Stuart, é proclamado rei da Inglaterra com poderes limitados. Por isso ele estreitou ligações com o rei francês Luis XIV, isto logo manchou sua reputação com o parlamento. Carlos II baixou novos Atos de Navegação favoráveis ao comércio inglês. Envolveu-se na guerra contra a Holanda. Em 1673, o parlamento aprovou a lei do teste: todo o funcionário público deveria professar o anticatolicismo. Com essas atitudes o parlamento ficou dividido em dois grupos: os whigs, que eram contra o rei e favoráveis às mudanças revolucionárias além de serem ligados a burguesia, e os tories que eram defensores feudais e ligados à antiga aristocracia feudal.


Jaime II (1685 - 1688) com a morte de Carlos II, seu irmão Jaime II assume o governo. Este tomou medidas drásticas, quis restaurar o absolutismo, o catolicismo, também punia os revoltosos  com a negação do hábeas corpus, proteção a prisão sem motivo legal, o parlamento não tolerou esse comportamento e convocou Maria Stuart, filha de Jaime II e esposa de  Guilherme de Orange, para ser a rainha, com isso o rei foge para a França e Maria Stuart e seu esposo tornaram-se monarcas ingleses. Este assinou a Declaração dos Direitos (o rei não podia cancelar as leis parlamentares; o reino poderia ser entregue a quem o parlamento quisesse, após a morte do rei; inspetores controlariam as contas reais; e  o rei não deveria manter um exército em épocas de paz), o qual concedia amplos poderes ao Parlamento. Esta foi à Revolução Gloriosa.

comentários[0]

28

out
2010

Planeta bizarro - bocão

Angolano conseguiu esticar a mandíbula até 17 centímetros.
Recordista de 20 anos encaixou uma lata de refrigerante na boca.

Do G1, em São Paulo


Homem com boca 'elástica'

Um angolano de 20 anos ganhou um registro no livro de recordes Guinness após
 ter a boca esticada até 17 centímetros de comprimento.

Francisco Domingo Joaquim conseguiu encaixar, inclusive, uma lata de
refrigerante  na boca. Segundo juízes do livro, esse é o maior registro
do mundo.

O recordista diz que ficou famoso depois de ter mostrado o seu feito para
 o mundo.
 Joaquim, também conhecido como "Mandíbula do Terror", apareceu
recentemente em um programa de TV italiano.
(Foto: Divulgação/Guinness World Records)

comentários[1]

28

out
2010

Enem: Relevo Brasileiro

Brasil em relevo

Antes de conhecer o relevo brasileiro, é preciso saber primeiro o que é relevo.
Relevo são irregularidades na superfície terrestre.


O relevo brasileiro possui uma grande variedade morfológica que podem ser classificadas em: planaltos, planícies, chapadas, depressões, que foram formados por fatores internos e externos.


Os fatores internos (endógenos) são forças do interior da Terra como vulcanismo e tectonismo, atuam como agentes modeladores do relevo. Os fatores externos (exógenos) são agentes modeladores do relevo que advém dos fenômenos climáticos, ou naturais, ventos, rios e chuva.


No Brasil há predomínio de pequenas elevações, o ponto mais alto é o Pico da Neblina (3.014 m).


Classificação do relevo brasileiro


A primeira tentativa de classificação do relevo brasileiro ocorreu em meados do século XIX, mas as classificações eram confusas e sem definições concretas.


Em 1949, foi criada uma classificação do relevo brasileiro segundo Aroldo de Azevedo, que teve uma boa aceitação no país. Aroldo então classificou o relevo da seguinte forma: quatro planaltos (das Guianas, Central, Atlântico, e Meridional), três planícies (Amazônica, Costeira e do Pantanal).


Aziz N. Ab'Saber conceituado geógrafo realizou uma nova classificação do relevo brasileiro, utilizando aerofotogrametria (foto aérea), e classificou o relevo brasileiro em planaltos, planície e depressões.


Observe as características do relevo brasileiro segundo o geógrafo Jurandyr L.S Ross.


Planalto: È uma superfície irregular com altitude acima de 200m.


Planície: Superfície mais ou menos plana de formação sedimentar.


Depressão: È uma superfície que sofreu processo erosivo e possui altitudes abaixo das áreas ao redor.


Fonte: http://www.mundoeducacao.com.br

comentários[0]

27

out
2010

Montanha russa mais veloz do mundo. Vai encarar?


Brinquedo de parque temático da Ferrari chega a 239 km/h em apenas 4,9 segundos

 

AFP
Parque temático da Ferrari em Abu Dhabi


Os entusiastas de automobilismo e adrenalina devem adorar a nova montanha-russa do parque temático da Ferrari que será aberto ao público na próxima semana em Abu Dhabi. As composições do brinquedo, que simulam um carro de Fórmula 1, atingem até 239 km/h em 4,9 segundos, a velocidade mais alta para uma montanha-russa no mundo inteiro.


A montanha-russa tem 52 metros de altura e simula as forças da gravidade (Força G) sentidas pelos pilotos de corrida. Para evitar acidentes e a entrada de areia nos olhos durante o percurso, todos os passageiros devem usar óculos de proteção no brinquedo.


Veja a reportagem completa: Revista Galileu

comentários[1]

27

out
2010

O terror através dos tempos

chamada.jpg
RACISMO
Grupo australiano adepto da seita
Ku Klux Klan: violência política

 

A palavra "terrorismo" ganhou acepção política na Revolução Francesa, que teve início em 1789. Mas, bem antes de a cabeça do rei Luís XVI ser guilhotinada, muita gente morreu vítima do terror com objetivos de dominação. Foi assim com o imperador romano Júlio César, assassinado em 44 a.C. a golpes de adagas. O homem que conseguiu a proeza de ampliar os domínios do Império Romano foi atraído para o Senado por conspiradores. Logo que entrou no recinto, percebeu a aproximação de um deles, que puxou a sua toga. Era a senha para que os adversários sacassem suas armas. A primeira lâmina afundou em seu ombro esquerdo, pouco acima da clavícula. Morreu com 35 ferimentos. Quatro anos antes, Pompeu, o Grande (um ex-aliado de César), foi decapitado. Ele era um general que, entre outras façanhas, limpou o Mar Mediterrâneo de piratas. Ao ser derrotado em batalha ferrenha, fugiu para o Egito. Enquanto descansava em uma pequena embarcação, à espera da conciliação, foi esfaqueado pelas costas por dois antigos companheiros.


Leia a reporagem completa: IstoÉ

comentários[0]

26

out
2010

Enem: Climas Brasileiros

Já está disponível em downloads (terceirão) a aula de revisão sobre os Climas Brasileiros.
Baixe e estude.

O Enem adora cobrar pelo menos uma questão sobre esse assunto.

comentários[0]

Clima Tempo