Portal da Educao Adventista

*Professor Genivaldo *

9

ago
2011

Veja como funciona o Canal do Panamá

Excelente infográfico narrado explicando o funcionamento do Canal do Panamá.




comentários[3]

24

mai
2011

Revisão para prova: Iluminismo

Assista a teleaula e reforce o seu estudo para a prova.

comentários[2]

14

mar
2011

Instituto procura patrocínio p acervo raro d Brasil holandês


 O Instituto Arqueológico, Histórico e Geográfico Pernambucano quer transformar em livro um de seus acervos mais raros: o conjunto de mapas feitos pelo holandês Johan Vingboons.


Os mapas foram produzidos por volta de 1660 e, no final do ano passado, receberam o título de Memória do Mundo da Unesco.


São 33 pranchas aquareladas, algumas com mais de um metro de largura. Elas mostram o litoral brasileiro, o interior do continente em capitanias como a da Bahia e de Pernambuco, além dos arredores do Recife, do Rio de Janeiro e de São Vicente.


Os mapas chamam a atenção pela precisão e pelos detalhes do território, como a malha hidrográfica, as estradas que levavam aos engenhos e até os currais de gado.


Vingboons trabalhava numa das principais empresas cartográficas da Holanda, o ateliê de Johan Blaeu, responsável pela produção dos mapas da Companhia das Índias Ocidentais, empresa que coordenava as atividades holandesas na América.


O ateliê era um centro privilegiado de informação. Regularmente, cartógrafos ou comandantes de navios voltavam com novos detalhes. "Com esses relatórios, eles iam produzindo mapas de três continentes, com ênfase em onde havia interesse comercial da Companhia das Índias", diz o historiador Marcos Galindo.


A capitania de Pernambuco, ocupada pela companhia, era um de seus principais produtores de açúcar. Por ser uma empresa de capital aberto, havia interesse em divulgar suas possessões aos acionistas, o que fomentou a criação das cartas.


Vingboons era responsável pela produção de edições de luxo. Ele compilava as informações que vinham de diversas fontes e produzia grandes mapas feitos à mão, com acabamento artístico.


Fonte: Folha 


Nota: alunos do 8º ano, estudamos esse assunto recentemente, Viu só,  a História está sempre viva.

comentários[0]

9

abr
2009

Deuses Egípcios

As pessoas no Antigo Egito acreditavam na existência de seres superiores e eram politeístas, ou seja, acreditavam em vários deuses. Esses normalmente possuíam características de animais e também uma junção entre características animais e humanas. Os faraós egípcios criam na idéia de que também eram deuses e que possuíam poderes mágicos.

Os egípcios também acreditavam na existência da vida após a morte, onde ao morrer todos passariam pelo Tribunal de Osíris (rei egípcio) para obter seu julgamento. Alguns conseguiam voltar à vida de acordo com o veredito de Osíris, mas outros não. Tal fato mostra a origem da mumificação dos corpos quando as pessoas morriam, pois buscavam impedir que o corpo entrasse em processo de decomposição para que após o veredito de Osíris a pessoa pudesse voltar ao seu corpo mortal e tomar posse de todos os seus pertences novamente.

Como havia inúmeros deuses cultuados no Egito, segue abaixo os mais importantes:

Osíris: Foi o primeiro faraó e o deus que representa a vida após a morte.

Ísis: Esposa de Osíris representa o amor e a mágica, já que utilizou tais sentimentos para ressuscitar Osíris quando ele foi morto por seu irmão.

Anúbis: Foi a primeira múmia do Egito. Representa a morte conduzindo as almas até Osíris para que fossem julgadas.

Hathor: Deusa das mulheres, do amor, da alegria e da dança.

Ptah: Considerado o deus guardião da capital do Egito Antigo e das artes em pedra.

Maat: Deusa da justiça, equilíbrio e verdade, é considerada a guardiã dos tribunais.

Existem vários outros deuses egípcios, porém esses são os que mais se destacam.

Por Gabriela Cabral
Equipe Brasil Escola

Fonte: www.brasilescola.com/historiag/os-deuses-egipcios.htm

comentários[8]

Clima Tempo