Portal da Educao Adventista

*Profª Ritíssima *

25

ago
2011

Estudar não é fácil

                                                 

Amigos, aulas, cadernos, perguntas, canetas, horários, quadro, giz, mochila, enfim, tudo isso resume a vida de quem estuda.

Estudar é conhecer um novo mundo, com oportunidades para uma existência melhor, para estar sempre ligado no presente ( e no passado) percebendo o quanto este tempo é importante para o futuro.

Por outro lado, nem tudo são flores. O estudo acaba utilizando muito do tempo e  a diversão fica de lado, quase sempre. Existem estudantes que são vítimas por não saberem se passarão no vestibular e a pressão sobre todos é muito grande, mas há aqueles que não "esquentam" muito com isso.

Assim, ser estudante é um misto de desejos, sonhos, frustrações, alegrias e decepções. Estudar é compreender o valor das coisas e não apenas seu preço. É preparar-se para melhores oportunidades, amizades e motivos para ser muito mais feliz!

 

Iara Godofredo

7ª série , Colégio Adventista Guarapuava

Oficina de Redação

 

comentários[3]

22

ago
2011

Uma visão sobre Liderança - Coordenação Pedagógica

Para todas as coordenadoras, em especial Morgana e Keila do Colégio Adventista Guarapuava!

 

comentários[0]

22

ago
2011

22/08 Dia da Coordenadora Pedagógica

Ser feliz...

É não ter medo dos próprios sentimentos...

É saber falar de si mesmo...

É ter coragem para ouvir um "não"...

É ter segurança para receber uma crítica, mesmo que injusta...

É beijar os filhos, curtir os pais e ter momentos poéticos com os amigos, mesmo que eles nos magoem...

Ser feliz é deixar viver a criança livre, alegre e simples que mora dentro de cada um de nós...

É ter maturidade para falar "eu errei"...

É ter ousadia para dizer "me perdoe"...

É ter sensibilidade para expressar "eu preciso de você"...

É ter capacidade de dizer "eu te amo"...

Desejo que a vida se torne um canteiro de oportunidades para você ser feliz...

E, quando você errar o caminho, recomece tudo de novo...

Pois assim você será cada vez mais apaixonado pela vida. E descobrirá que...

Ser feliz não é ter uma vida perfeita...

Mas usar as lágrimas para irrigar a tolerância...

Usar as perdas para refinar a paciência...

Usar as falhas para esculpir a serenidade...

Usar os obstáculos para abrir as janelas da inteligência...

Jamais desista de si mesmo...

Jamais desista das pessoas que você ama...

Jamais desista de ser feliz!

                                                      Parabéns pelo seu dia!

comentários[1]

18

ago
2011

Atividades com discurso direto e indireto

O texto a seguir deve ser transcrito em " discurso indireto"

 

Diálogo entre um Cão e um Gato

Em uma avenida bastante movimentada, vemos um gato correndo de forma alucinante, pois atrás dele está o seu pior inimigo, o cão. O gato tenta fugir de todas as formas possíveis, porém acaba encurralado em um beco sem saída.

Gato - Mas que droga! Você não tem mais o que fazer não?

Cão - Na verdade, não!

Gato - Pois bem, então me morda, ou me mate , sei lá... Mas acabe com isso!

Cão - Assim no mole? Deste modo não tem graça!

Gato - É sádico?

Cão - Sim, eu costumo antes de pegar alguns gatos como você, brincar com eles!

Gato - Brincar de quê?

Cão - Brincar de pega-pega, eu vou atrás de você e você foge tentando salvar sua vida!

Gato - Eu posso correr sete vezes, pois tenho sete vidas.



Eis que como um raio, o cão resolve pressionar o gato mais ainda na parede, deixando ele assim mais encurralado do que já estava.


Cão - Tem medo de mim? Porque está ficando cada vez mais pálido?

Gato - É lógico que sim, olha o seu tamanho e olha o meu!

Cão - Mas você nem sabe por que eu estou de perseguindo!

Gato - Por lazer? Por esporte? Por aventura? Por sadismo? Por questões rotineiras?

Cão - Não, nenhuma destas opções!

Gato - Então porque está correndo atrás de mim?

Cão - Para dizer que acabou o leite da sua tigela!

Gato - Você correu um quarteirão inteiro só para me dizer isto? Eu poderia ter morrido de um ataque do coração! Não sei se você sabe, mas na minha última visita ao veterinário, colocaram um marcapasso no meu coração felino.

Cão - Bem, eu só quis ajudá-lo!

Gato - E porque você teve este ato de humildade de vim me ajudar?

Cão - Porque eu tomei o leite da sua tigela! Tem algum problema nisto? Se tiver eu estou disposto a correr atrás de você novamente!

Gato - Você tomou qual leite, o desnatado ou o integral?

Cão - Desnatado!

Gato - Então pode começar a correr atrás de mim novamente! Não vou perdoar nunca por isso! Você poderia ter feito tudo, menos tomar o meu leite desnatado!!!


"O cão e o gato, sempre encontram motivos para brigarem, assim como o político e o eleitor sempre encontram motivos de desavenças. Agora neste caso basta saber, quem é o cão, e quem é o gato"


Igor Chiesse Alves de Oliveira

Disponível em: http://www.overmundo.com.br/banco/dialogo-entre-um-cao-e-um-gato 18/08/2011

 

comentários[0]

18

ago
2011

Pais Tigres e Pais Pandas

 

Os limites são necessários e cabe aos pais estabelecer quais faixas devem ser mais estreitas, quais mais largas, de acordo com suas convicções e modelos, respeitando as características individuais da personalidade do filho e as suas inteligências múltiplas (Gardner).

O livro Grito de Guerra da Mãe Tigre relata a saga da autora Amy Chua ao educar as duas filhas, hoje com 15 e 18 anos. Amy é descendente de chineses e professora na prestigiada Universidade de Yale, EUA. Foi contumaz em seu objetivo: criar filhas bem-sucedidas na escola, para que o sejam na carreira profissional. Suas exigências eram contundentes: qualquer nota inferior a dez é porque não se esforçou o suficiente; nada de tevê ou games no computador; só participar de atividades esportivas ou recreativas com chance de medalha, de ouro, é claro; não brincar e muito menos dormir na casa das amigas; atividades extracurriculares, somente as escolhidas pela mãe; tocar obrigatoriamente dois instrumentos, desde que seja violino e piano; etc.

 

Aos pais tigres, rudes, severos e opressores contrapõem-se os pais pandas, desmedidos no elogio, ternura, conforto. Mínimas exigências, muitos presentes em vez de uma presença com ensinamentos e dedicam horas relatando os prodígios do filho. Acima de tudo o afeto e exacerbam nos encômios para manter elevada a autoestima. Geram expectativas irreais e certamente, quando adulto, o seu rebento será acometido de desmesuradas frustrações, pois as pessoas e as empresas pouco ou nada valorizam a autoestima sem o complemento do esforço, trabalho, disciplina e determinação.

O livro de Amy, já traduzido em mais de 30 países, polemizou ao extremo, e os debates emanaram calor, mas também fachos de luz sobre a mais difícil das artes: educar filhos. A tiger-mon, uma típica representante do amor exigente, acredita em suas convicções e assevera que, para a cultura chinesa, os filhos são fortes, aguentam uma rotina espartana de estudos, enquanto os ocidentais (os americanos, em particular) os pressupõem frágeis, e qualquer gesto duro pode traumatizá-los.

Até onde a vista alcança, ter sido igualmente exigente com as duas filhas, sem se importar com suas individualidades, talvez tenha sido o maior dos erros. A mais velha, Sophia, reconhece no New York Post que "agora, com 18 anos, (...) quase deixando a caverna do tigre, sou grata pela maneira que meus pais me educaram e não sofri com todas as pedras e flechas da mãe-SINEPE Online

tigre. Você nos ensinou que precisamos de esforços em tudo, até para sermos criativos. Desejo viver uma vida significativa e viver plenamente é saber que tentei atingir com o corpo e a mente, os limites do meu potencial. Se eu morresse amanhã, morreria com o sentimento que vivi a minha vida em 110%."

No entanto, os rigores com um mínimo de liberdade promoveram intensa revolta na filha mais nova, Louisa, a partir dos 13 anos. Forçada pela mãe a comer uma iguaria que não lhe apetecia, em um bistrô de Moscou, arremeteu furiosamente um copo no chão, sob os gritos "eu te odeio". Este e outros episódios de confronto fizeram com que a mãe-tigre fosse mais concessiva.

Ser exigente sem ser extremado. Quando exercida com equilíbrio, a autoridade é uma manifestação de afeto. E é relevante que nós pais tenhamos no intelecto e no coração um preceito consensual entre os educadores: foi-se o tempo das exigências padronizadas. A suprema sabedoria é cobrar resultados, respeitando a individualidade e promovendo as potencialidades e limitações dos filhos. Reconheço o quão difícil é a prática e, em tom de gracejo, costumo dizer aos pais da escola, com dois ou mais filhos: antes de nascerem, eles já combinaram de um ser diferente do outro, para aborrecer pai e mãe.

Jacir J. Venturi, vice-presidente do Sinepe/PR, professor,

diretor de escola e autor de livros

comentários[0]

calendário


Assinar RSS