Portal da Educao Adventista

*Profª Ritíssima *

28

abr
2011

O dia da escola e a guerra

 

A maioria das pessoas nem sabe, mas a escola tem o seu dia. E nesse dia precisamos comemorar, pois ainda temos uma trincheira para enfrentar a guerra urbana, uma guerra que o inimigo não é visível, não tem cara, cor ou religião. Os inimigos são o consumismo, o egoísmo, o individualismo, a falta de ética, a desonestidade, a falta de solidariedade, o respeito às diferenças e ao outro.

A escola é a ultima trincheira da sociedade, é praticamente o único lugar que precisa ter regras sociais, de convivência e de respeito. Na escola existe horário para cumprir, tarefas de casa, provas. É lá que a criança e o jovem têm que conviver socialmente e aprender as diferenças do certo e do errado.

Os combatentes dessa guerra por coincidência se reúnem na escola, usam a estrutura das instituições de ensino como comitê e front: são os professores, diretores e educadores. Eles escolheram essa profissão para salvar os humanos, em geral os mais jovens. Segundo a Organização Mundial da Saúde, a adolescência vai até os 20 anos e até essa idade estamos desenvolvendo a personalidade, e nesse caso a escola que citamos atua do berçário à faculdade.

A escola representada com seus soldados: professores, diretores, coordenadores e educadores, na maioria das vezes não pode contar com a ajuda da aviação ou da cavalaria. Fazendo a análise de uma guerra a escola precisava contar com a família, que seria a força aérea da guerra, porém na maioria das vezes a família terceiriza para a escola o ataque a esses inimigos.

O poder público, representado pelos políticos, poderia ser a cavalaria, mas que exemplo eles oferecem a todo o momento para a escola? Que ajuda dão para a última trincheira? Ainda, o poder público, poderia ser representado pelo judiciário, com apoio as causas da escola, porém o que vemos é a judicialização da educação, onde a escola torna-se ré nos assuntos que deveria ser tratados apenas no âmbito da escola.

Ou seja, a escola como única trincheira nessa guerra, está sozinha, e em muitos casos, o professor está sozinho para enfrentar todos esses inimigos. Afinal a escola ainda precisa se aparelhar melhor com bons diretores, pedagogos, e profissionais de apoio, senão corremos o risco de perder essa guerra.

Ademar Batista Pereira - Presidente do Sinepe/PR

comentários[0]

26

abr
2011

Datas de apresentações de obras

 

10/05/2011 - O Primo Basílio ( Manu Calixto e Cícero)

12/05/2011 - O Crime do Padre Amaro ( Fernanda e Rafaela)

17/05/2011 -  A cidade e as serras ( Manu Burak)

19/05/2011  - O Mulato ( Sabrina e Osmar)

24/05/2011 - O Cortiço ( Lucas e Dafiny)

26/05/2011 - Memórias Póstumas de Brás Cubas ( Jéssica e Rafael)

31/05/2011 - Quincas Borba ( Neoraldo)

02/06/2011 - Dom Casmurro ( Caroline e Valquiria)

Boa Leitura!

 

 

comentários[0]

25

abr
2011

Sopa de Lentilhas

 
1 xícara de lentilhas 
1/2 xícara de nabo cortado 
1/2 xícara de cebola cortada 
2 colheres de sopa de óleo 
2 dentes de alho 
Sal a gosto 

 

Cozinhe a lentilha e o nabo cortado até ficarem bem macios. Passe então na peneira ou no liquidificador. Em separado, doure a cebola no óleo, acrescente o alho socado ou picado e junte isso à mistura anterior. Acrescente mais água, se for necessário. Salgue a gosto

comentários[0]

25

abr
2011

Sopa creme de couve-flor

 
3 colheres (sopa) de molho de tomate
2 colheres (sopa) de farinha de trigo
2 colheres (sopa) de margarina
Salsa e cebolinha verde picadas para polvilhar
2 dentes de alho amassados
1 e ½ litros de água fervendo
3 tabletes de caldo de legumes
Sal e molho de pimenta
1 lata de creme de leite
1 cebola picada
3 batatas picadas
1 copo de leite
1 couve flor
 

 

Fritar a cebola e o alho na margarina, polvilhar a farinha de trigo e deixar dourar. Acrescentar a água, as batatas e a couve flor já picadas. Quando estiverem cozidas bater no liquidificador, juntando o leite e o creme de leite. Voltar ao fogo até aquecer. Quando servir polvilhar o cheiro verde e acompanhar com torradas.

 

comentários[0]

25

abr
2011

Sopa creme de abóbora

 
½ xícara (chá) de creme de leite fresco
2 colheres (sopa) de manteiga
Creme de leite fresco, o quanto baste para decorar
1 litro de caldo de frango ou água
1 quilo de abóbora descascada
1 dente de alho picado
½ cebola picada

 

 

Separar e picar todos os ingredientes conforme foi pedido na receita. Descascar a abóbora e cortar em cubos de 3 cm. Reservar. Picar a cebola e o alho. Colocar a manteiga numa panela média e levar ao fogo baixo para derreter. Acrescentar a cebola picada e mexer por 2 minutos ou até ficar transparente. Juntar o alho picado e mexer por mais 1 minuto. Juntar os cubinhos de abóbora e refogar por 1 minuto, mexer com uma colher. Acrescentar o caldo de frango e tampar a panela. Quando começar a ferver, cozinhar por mais 20 minutos, ou até as abóboras ficarem macias. Retirar do fogo e bater no liquidificador por 1 minuto. Voltar o creme de abóbora para a panela e levar ao fogo baixo. Acrescentar o creme de leite fresco e esperar ferver novamente. Colocar numa sopeira e decorar com um pouco de creme de leite. Servir imediatamente.

 

 

comentários[0]

calendário


Assinar RSS