Portal da Educao Adventista

*Profª Ritíssima *

4

mai
2014

Lista de Exercicios 8 Ano 2Bim 2014

Queridos,

Aqui está nossa lista para estes dias.  Por favor, prestem atenção à data de entrega: 20 de maio de 2014.

 

 

 
 

Visto do prof°.

_______________________

 


 


                       LISTA DE EXERCÍCIOS 2° BIMESTRE

                                      

NOME:                                                                                            Nº:

DATA:                                                                                             SÉRIE: 8°ano

­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­DISCIPLINA: Português                                                                 PROFª.:Rita Ramos    

 

  1. Em cada uma das frases abaixo, identifique a voz em que se encontra o verbo e classifique o sujeito em agente, paciente ou agente e paciente.

 

a) Só escrevi alguma coisa sobre o tema uma década mais tarde.

_____________________________________________________________________________________

b) Nessa época a violência contra as minorias foi praticada pelos nazistas

_____________________________________________________________________________________

c) Os participantes da festa cumprimentaram-se afetivamente.

_____________________________________________________________________________________

 

2. Passe estas orações para a voz passiva, conforme o exemplo.

 

Inauguraram a loja. (voz ativa)             A loja foi inaugurada. (voz passiva)

 

a) Fecharam o cinema.

____________________________________________________________________________________

b) Interditaram a estrada.

_____________________________________________________________________________________

c) Prepararam uma festa para os campeões.

_____________________________________________________________________________________

 

3. Passe estas orações para a voz passiva, conforme o exemplo.

 

                        Inauguraram a loja. (voz ativa)               A loja foi inaugurada. (voz passiva)

 

a) Vão asfaltar essa avenida.

_____________________________________________________________________________________

b) Vão construir um posto de saúde naquele bairro.

_____________________________________________________________________________________

c) Entregarão hoje à tarde os livros que comprei pela internet. (*o verbo entregar é um verbo abundante e, por isso, seu particípio tem duas formas possíveis).

_____________________________________________________________________________________

 

4. Identifique os verbos das frases a seguir e a voz (ativa, passiva ou medial reflexiva) em que eles se encontram.

 

a) O vento agitava as águas do lago. 

_____________________________________________________________________________________

b) Os votos foram dados pelos deputados.

_____________________________________________________________________________________

c) Eliana não se sentia bem.

_____________________________________________________________________________________

d) Após uma longa disputa, abraçaram-se comovidos.

_____________________________________________________________________________________

5. Leia.



 

 

a) No 1º e 2º quadrinho, retire os verbos.

_____________________________________________________________________________________

b) Agora, indique a voz verbal de cada um.

__________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________

 

c) Retire o sujeito desses verbos e classifique-o em agente ou paciente

__________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________

 

6. Leia.

 

 

 

  • De acordo com tira, escreva:

 

a) Duas frases em que o sujeito seja agente..

_______________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________

b) Uma frase em que o sujeito seja paciente.

__________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________

 

7. O verbo de ligação é aquele que, sendo praticamente vazio de conteúdo significativo, tem a função de ligar o sujeito a um atributo dele. Com base nessa informação, assinale as frases que apresentam verbos de ligação.

 

a) Os pedestres andavam pelo calçadão.                                b) Os pedestres andavam preocupados.

c) Hoje em dia, as pessoas vivem preocupadas.                      d) Aqueles alunos vivem no mundo da lua.

e) Aquela moça virou freira.                                                    f) O vento virou a canoa.

 

8. Circule o verbo das orações e classifique-os em: transitivo direto, transitivo indireto, transitivo direto e indireto ou intransitivo.

 

a) O presidente ofereceu um banquete aos convidados.

_____________________________________________________________________________________

b) Chegou ontem a São Paulo um jumbo da Américan Airlines.

_____________________________________________________________________________________

c) Paulinho arma o jogo.

_____________________________________________________________________________________

d) Rita gosta de samba.

_____________________________________________________________________________________

 

9. Retire das orações da questão 8 os complementos verbais (objeto direto e indireto).

 

a)

b)

c)

d)

 

 

10. Agente da passiva
É o elemento que pratica a ação verbal quando o verbo está na voz passiva.
O juiz foi vaiado pela torcida.
Agente da passiva

É o termo da oração , na voz passiva , que indica o elemento que pratica a ação expressa pelo verbo.Vem sempre precedido de preposição por, per, de.
As ruas foram lavadas pela chuva.
Os exercícios foram feitos por Carlos .
O que caracteriza a voz passiva é o sujeito paciente, isto é, o sujeito que recebe a ação expressa pelo verbo.

5)  Passe as orações abaixo para a voz passiva e identifique o agente da passiva:

a- O exército cercou a cidade.
____________________________________
b- O goleiro desviou a bola.
____________________________________
c- O menino quebrou a vidraça.
____________________________________
d- Os alunos entregaram o prêmio.
____________________________________

 

comentários[0]

19

nov
2013

8 Ano Atividades com Figuras de Linguagem

Pessoal, estas atividades estão disponíveis na biblioteca! Bom trabalho!

Atividades  com Figuras de Linguagem - 8º ano - Profª Rita Ramos

 

 

 

TEXTO PARA A PRÓXIMA QUESTÃO:

A Felicidade

 

Tristeza não tem fim felicidade sim.

A felicidade é como a pluma

que o vento vai levando pelo ar,

voa tão leve, mas tem a vida breve

precisa que haja vento sem parar.

A felicidade do pobre

parece a grande ilusão do carnaval

a gente trabalha o ano inteiro

por um momento de sonho

pra fazer a fantasia

de rei ou de pirata ou jardineira

pra tudo se acabar na quarta-feira.

 

A felicidade é como a gota de orvalho

numa pétala de flor,

brilha tranquila

depois de leve oscila

e cai como uma lágrima de amor.

 

A minha felicidade

está sonhando nos olhos

da minha namorada

É como esta noite, passando,

passando em busca da madrugada

Fale baixo por favor

pra que ela acorde

alegre com o dia

oferecendo beijos de amor.

 

MORAES, Vinicius e JOBIM, Tom. As mais belas serestas brasileiras. 9ª ed. Belo Horizonte: Barvalle Indústria Gráfica Ltda, 1989.

 

 

1.   Nas duas primeiras estrofes, há uma tentativa de se definir a felicidade, para isso o eu lírico vale-se de

a) comparações.   

b) metáforas.   

c) metonímias.   

d) hipérboles.   

 

TEXTO PARA A PRÓXIMA QUESTÃO:

Esse texto do século XVI reflete um momento de expansão portuguesa por vias marítimas, o que demandava a apropriação de alguns gêneros discursivos, dentre os quais a carta. Um exemplo dessa produção é a Carta de Caminha a D. Manuel. Considere a seguinte parte dessa carta:

 

Nela [na terra] até agora não pudemos saber que haja ouro nem prata... porém a terra em si é de muito bons ares assim frios e temperados como os de Entre-Doiro-e-Minho. Águas são muitas e infindas. E em tal maneira é graciosa que querendo-a aproveitar, dar-se-á nela tudo por bem das águas que tem, porém o melhor fruto que nela se pode fazer me parece que será salvar esta gente e esta deve ser a principal semente que vossa alteza em ela deve lançar.  

 

 

2.   Assinale a alternativa em que as palavras grifadas estão empregadas em sentido conotativo.

a) ...porém a terra em si é de muito bons ares...   

b) Águas são muitas e infindas. E em tal maneira é graciosa que querendo-a aproveitar...   

c) ...querendo-a aproveitar, dar-se-á nela tudo por bem das águas que tem...   

d) ...o melhor fruto que nela se pode fazer me parece que será salvar esta gente...   

e) ...esta deve ser a principal semente que vossa alteza em ela deve lançar.   

 

TEXTO PARA A PRÓXIMA QUESTÃO:

Tanto de meu estado me acho incerto,

Que em vivo ardor tremendo estou de frio;

Sem causa, juntamente choro e rio;

O mundo todo abarco e nada aperto.

 

É tudo quanto sinto um desconcerto;

Da alma um fogo me sai, da vista um rio;

Agora espero, agora desconfio,

Agora desvario, agora certo.

 

Estando em terra, chego ao Céu voando;

Numa hora acho mil anos, e é de jeito

Que em mil anos não posso achar uma hora.

 

Se me pergunta alguém por que assim ando,

Respondo que não sei; porém suspeito

Que só porque vos vi, minha Senhora.

 

(www.fredb.sites.uol.com.br/lusdecam.htm)

 

 

3.   Considere:

 

%u2022 ardor x frio

%u2022 choro x rio

%u2022 abarco x nada aperto

 

Esses jogos de palavras, exemplos do pré-Barroco na poesia de Camões, constituem

a) eufemismos que revelam o sofrimento do eu lírico.   

b) antíteses que confirmam o desconcerto do eu lírico.   

c) sinestesias que marcam as contradições do eu lírico.   

d) hipérboles que exageram o sofrimento do eu lírico.   

e) metáforas que comparam a dor com a vida do eu lírico.   

 

TEXTO PARA AS PRÓXIMAS 2 QUESTÕES:

RELAMPIANO

 

Tá relampiano, cadê neném?

Tá vendendo drops no sinal pra alguém

Tá relampiano, cadê neném

Tá vendendo drops no sinal pra alguém

Tá vendendo drops no sinal...

 

Todo dia é dia, toda hora é hora,

Neném não demora pra se levantar

Mãe lavando roupa, pai já foi embora,

E o caçula chora pra se acostumar

Com a vida lá de fora do barraco,

Hay que endurecer um coração tão fraco,

Pra vencer o medo do trovão,

Sua vida aponta a contramão.

................................................

LENINE & MOSCA. Na Pressão. Rio de Janeiro: BMG, 1999. 1CD, digital, estéreo.

 

 

 

4.   NÃO é correto afirmar que o texto

a) apresenta estrangeirismos.   

b) utiliza, denotativamente, a palavra "contramão".   

c) tem, no título, um exemplo do registro coloquial da língua.   

d) faz uma denúncia social sobre a situação dos meninos de rua.   

  

5.   Sobre o gênero literário desse texto, é correto afirmar que há

a) traços do épico, como personagens e narrador.   

b) elementos do lírico, como rimas e figuras de linguagem.   

c) mistura entre o épico e o lírico, com a valorização de ambos.   

d) características do drama, com apontamentos para a representação.   

  

6.   "O vento varria as folhas,

O vento varria os frutos,

O vento varria as flores...

                        E a minha vida ficava

                        Cada vez mais cheia

                        De frutos, de flores, de folhas."

            (BANDEIRA, Manuel. "Canção do vento e da minha vida". In: CEREJA, William R. e MAGALHÃES, Thereza C. "Gramática reflexiva." São Paulo: Atual, 1999. p. 359)

 

NÃO é possível identificar, no fragmento acima, a figura de linguagem:

a) ironia.   

b) anáfora.   

c) metáfora.   

d) gradação.   

  

7.   Identifique as figuras de linguagem que ocorrem nas frases a seguir:

a) "O mito é o nada que é tudo..."

b) Fitei-a longamente, fixando meu olhar na menina dos olhos dela.

c) "O povo estourava de rir." (Monteiro Lobato)

  

8.   Em "As árvores pareciam enlouquecer com o forte vento.", temos uma figura de linguagem chamada ______________ .

  

9.   Em "Tristeza não tem fim/Felicidade sim" (Vinícius de Moraes), temos uma figura de linguagem chamada ______________ .

  

10.   Em "Aquele político faltou com a verdade.", temos uma figura de linguagem chamada _____________.

  

11.   Assinale as frases em que há metáfora:

a) (     ) Seu olhar era frio.   

b) (     ) O sol nos dá luz e calor.   

c) (     ) O amor amolece os corações.   

d) (     ) O presidente foi bombardeado com perguntas.   

e) (     ) Está chegando a Copa do Mundo.   

  

12.   Em "Aquelas crianças quebrando tudo pareciam uns anjinhos.", temos uma figura de linguagem chamada _____________ .

  

13.   Identifique as figuras de linguagem marcando:

 

(1) Metáfora

(2) Metonímia

(3) Catacrese

(4) Comparação

(5) Prosopopeia

a) (     ) Gosto de ouvir Titãs.   

b) (     ) A doçura do teu olhar é minha vida.   

c) (     ) O rio engasgou num barraco.   

d) (     ) Usarei no tempero um dente de alho.   

e) (     ) Você é venenosa como uma cobra.   

  

14.   Em "Sino de Belém bate bém - bém - bém" e "Sino da paixão bate bão - bão - bão" (Manuel Bandeira), temos uma figura de linguagem chamada _____________ .

  

15.   Em "As crianças estavam mortas de sede.", temos uma figura de linguagem chamada _____________ .

 

TEXTO PARA AS PRÓXIMAS 2 QUESTÕES:

A FUGA

 

            Mal colocou o papel na máquina, o menino começou a empurrar uma cadeira pela sala, fazendo um barulho infernal.

            - Para com esse barulho, meu filho - falou, sem se voltar.

            Com três anos, já sabia reagir como homem ao impacto das grandes injustiças paternas: não estava fazendo barulho, só estava empurrando uma cadeira.

            - Pois então para de empurrar a cadeira.

            - Eu vou embora - foi a resposta.

            Distraído, o pai não reparou que ele juntava ação às palavras, no ato de juntar do chão suas coisinhas, enrolando-as num pedaço de pano, era sua bagagem: um caminhão de plástico com apenas três rodas, um resto de biscoito, uma chave (onde diabo meteram a chave da despensa? a mãe mais tarde irá saber), metade de uma tesourinha enferrujada, sua única arma para a grande aventura, um botão amarrado num barbante.

            A calma que baixou então na sala era vagamente inquietante. De repente o pai olhou ao redor e não viu o menino. Deu com a porta da rua aberta, correu até o portão:

            - Viu um menino saindo desta casa? - gritou para o operário que descansava diante da obra, do outro lado da rua, sentado no meio-fio.

            - Saiu agora mesmo com uma trouxinha - informou ele.

            Correu até a esquina e teve tempo de vê-lo ao longe, caminhando cabisbaixo ao longo do muro.

            A trouxa, arrastada no chão, ia deixando pelo caminho alguns de seus pertences: o botão, o pedaço de biscoito e - saíra de casa prevenido - uma moeda de um cruzeiro. Chamou-o mas ele apertou o passinho e abriu a correr em direção à avenida, como disposto a atirar-se diante do ônibus que surgia à distância.

            - Meu filho, cuidado!

            O ônibus deu uma freada brusca, uma guinada para a esquerda, os pneus cantaram no asfalto.

            O menino, assustado arrepiou carreira. O pai precipitou-se e o arrebanhou com o braço como um animalzinho:

            - Que susto você me passou, meu filho - e apertava-o contra o peito comovido.

            - Deixa eu descer, papai. Você está me machucando.

            Irresoluto, o pai pensava agora se não seria o caso de lhe dar umas palmadas:

            - Machucando, é? Fazer uma coisa dessas com seu pai.

            - Me larga. Eu quero ir embora.

            Trouxe-o para casa e o largou novamente na sala - tendo antes o cuidado de fechar a porta da rua e retirar a chave, como ele fizera com a da despensa.

            - Fique aí quietinho, está ouvindo? Papai está trabalhando.

            - Fico, mas vou empurrar esta cadeira.

            E o barulho recomeçou.

 

FERNANDO SABINO

 

 

 

16.   As expressões "infernal" e "diabo", no texto, fazem parte da linguagem baseada na:

a) objetividade.   

b) gramática.   

c) emoção.   

d) denotação.   

e) n.d.a.   

  

17.   Nas frases "A trouxa... ia deixando pelo caminho alguns pertences", "O ônibus deu uma freada brusca", "os pneus cantaram" encontra-se uma figura de linguagem. Qual das alternativas traz a classificação da figura?

a) Metáfora.   

b) metonímia.   

c) Prosopopeia ou personificação.   

d) Alegoria.   

e) Hipérbole.   

 

18. Construindo o conceito

Leia este poema, de Sérgio Capparelli:

Menina na janela

A lua é uma gata branca,

mansa,
Que descansa entre as nuvens.

O sol é um leão sedento, 

mulambento, 
que ruge na minha rua.

Eu sou uma menina bela, 

na janela, 
de um olhar sempre à procura.

1. O eu lírico diz ser "uma menina bela, na janela":
a)    Quanto tempo a menina fica à janela?

 


b)    Na sua opinião, o que o olhar do eu lírico procura?

 



2. Se dizemos "A lua é branca" ou "a gata é mansa", estamos utilizando uma linguagem normal, em que as palavras são empregadas em seu sentido cotidiano. Contudo, se dizemos "A lua é uma gata branca, mansa", estamos utilizando uma linguagem nova, poética, em que as palavras compõem imagens e ganham sentidos novos.
a)    O que permitiu ao poeta, na primeira estrofe, aproximar lua e gata?

 


b)    O que permitiu na segunda estrofe, aproximar sol e leão sedento?

 



3. Há, no poema, imagens que evocam impressões sensoriais.  A qual dos nossos sentidos se relaciona a impressão sugerida em cada um dos versos seguintes?
a)    "A lua é uma gata branca, mansa"


b)    "O sol é um leão sedento"


c)    "Que ruge na minha rua"

4. Imagens como "A lua é uma gata branca" ou "O sol é um leão sedento" são exemplos da figura de linguagem chamada metáfora. O que o uso dessa figura de linguagem acrescenta ao texto?

 

 

 

 

 



(Fonte: "Português: Linguagens. CEREJA e MAGALHÃES)

 

 

comentários[0]

26

jun
2013

Atividades 8º Ano. Vozes Verbais e verbos irregulares

Atendendo a pedidos, alguns exercícios para quem quer ter um bom desempenho na próxima prova! Vozes verbais e Verbos irregulares.

1. Preencha as lacunas corretamente, usando os verbos irregulares no tempo pedido:

a. Ainda que eu ____________ o torcedor mais fanático, meu time ainda perde. (Ser/Presente do Subjuntivo)

 b. Eles _____________ muitos amigos, mas todos eles ___________ embora. (Ter/ Ir/ Pretérito Imperfeito do Indicativo)

c. Eu _____________ uma linda canção para você (Compor/ Pretérito Perfeito do Indicativo)

d. Se ele _____________ mais esperto, ___________ o que está acontecendo (Ser/ Ver/ Futuro do Pretérito do Indicativo)

e. João e Maria ________ até a floresta em busca de ouro. (Ir/ Futuro do Presente do Indicativo)

f. Eu ______ o que ________. (Ser/ Presente do Indicativo)

g. Tu ____________ muito dinheiro na poupança antes de falir (Reter/ Pretérito Imperfeito do Indicativo)

h. Vós __________ doentes nestes últimos dias? (Estar/ Pretérito Perfeito do Indicativo)

i. Filipe e eu ____________ para a festa. (Vir/ Presente do Indicativo)

 j. Quando tu __________ o José, me avise. (Ver/ Futuro do Subjuntivo)

 

2. Identifique as Vozes Verbais usando para Voz Ativa (VA), Passiva Analítica (VPA), Passiva Sintética (VPS) e Reflexiva (VR):

O1. Alugaram-se todas as casas da vila.

02. O garoto feriu-se com o canivete.

03. O homem é corrompido pela sociedade.

04. Consertam-se aparelhos eletrônicos.

05. Felipe plantou uma rosa.

06. Os meninos admiravam a locomotiva.

07. João foi ferido por Paulo.

08. A moça admirava-se no espelho.

09. Não se vê viva alma na praça.

10. Os pais educam os filhos.

11. Os dois pretendentes insultaram-se.

12. O cachorro ficou esmagado pelas rodas do carro.

13. Eu machuquei o rapaz.

14. Todos comeram uma fatia do bolo.

15. Nunca se ouviram queixa dele.

16. A casa foi vendida pelo corretor.

17. Abraçaram-se com alegria e emoção.

18. Ele fez todo o trabalho em apenas um dia.

19. Os dois falaram-se rapidamente.

20. Cortaram o cabelo da criança.

21. Carla foi correr no parque.

22. O cabelo da criança foi cortado.

23. Praticam-se ações humanitárias.

24. O Detento havia sido libertado pelo juiz.

25. A apresentação agradou ao público.

 

Mais um pouquinho...

 

3. Continuem classificando as vozes verbais...

 

1. Eu machuquei o rapaz.

2.  Todos comeram uma fatia do bolo.

3. Nunca se ouviram queixa dele.

4. A casa foi vendida pelo corretor.

5. Abraçaram-se com alegria e emoção.

6. Ele fez todo o trabalho em apenas um dia.

7. Os dois falaram-se rapidamente.

8. Cortaram o cabelo da criança.

9. Carla foi correr no parque.

10. O cabelo da criança foi cortado.

11. Praticam-se ações humanitárias.

12. O Detento havia sido libertado pelo juiz.

 

Aqui umas questões objetivas para vocês "treinarem"... Concentração, pessoal!

 

1. A locução verbal que constitui voz passiva analítica é:


a) fazer essa operação?
b) Você teria realizado tal cirurgia?
c) Realizou-se logo a intervenção.
d) A operação foi realizada logo.

2. O seguinte período apresenta uma forma verbal na voz passiva: "as pessoas comprometidas com a corrupção deveriam ser punidas de forma mais rigorosa". Qual a alternativa que apresenta a forma verbal ativa correspondente?

a) deveria punir
b) puniria
c) puniriam
d) deveriam punir

3. A oração "o alarma tinha sido disparado pelo guarda" está na voz passiva. Assinale a alternativa que apresenta a forma verbal ativa correspondente.

a) disparara
b) fora disparado
c) tinham disparado
d) tinha disparado

4. A oração "o engenheiro podia controlar todos os empregados da estação ferroviária" está na voz ativa. Assinale a forma verbal passiva correspondente.

a) podiam ser controlados
b) seriam controlados
c) podia ser controlado
d) controlavam-se

5. Assinale a oração que não tem condições de ser transformada em passiva.

a) As novelas substituíram os folhetins do passado
b) O diretor reuniu para esta novela um elenco especial
c) Alguns episódios estão mexendo com as emoções do público
d) O autor extrai alguns detalhes do personagem de pessoas conhecidas

Instruções para as questões subsequentes: Passe a frase dada, se for ativa, para a voz passiva, e vice-versa. Assinale a alternativa que, feita a transformação, substitui corretamente a forma verbal grifada, sem que haja mudança de tempo e modo verbais.

6. Não se faz mais nada como antigamente.

a) é feito
b) têm feito
c) foi feito
d) fazem


7. Saí de lá com a certeza de que os livros me seriam enviados por ele, sem falta, na data marcada.

a) iria enviar
b) foram enviados
c) enviará
d) enviaria

8. Em meio àquele tumulto, ele ia terminando o complicado trabalho.

a) foi terminando
b) foi sendo terminado

c) foi terminado
d) ia sendo terminado

9. Seria bom que o projeto fosse submetido à apreciação da equipe, para que se retificassem possíveis falhas.

a) submeteram - retifiquem
b) submeter - retificar
c) submetessem - retificassem
d) se submetesse - retifiquem

10. Se fôssemos ouvidos, muitos aborrecimentos seriam evitados.

a) ouvíssemos - estaríamos
b) formos ouvidos - serão evitados
c) nos ouvissem - se evitariam
d) nos ouvissem - evitariam



Gabarito nas aulas de aprimoramento.

 

 

 

comentários[0]

27

fev
2013

Atividades e tarefas

Querido alunos do 8º ano!

Essas atividades são uma forma de revisão. Aproveitem e façam com muito capricho! Corrigiremos em sala.

 

Exercícios 8º Ano

 

Leia:

 

As peras

[...]

O relógio

não mede. Trabalha

no vazio: sua voz desliza

fora dos corpos.

 

Tudo é cansaço

de si. As peras se consomem

no seu doirado

sossego. As flores, no canteiro

diário, ardem,

ardem, em vermelho e azuis. Tudo

desliza e está só.

[...]

 

(Ferreira Hullar. Toda poesia, 6 ed. p. 16. RJ, José Olympio, 1997)

 

1)      Observe as orações do poema e complete a análise sintática.

" [....] sua voz desliza fora dos corpos."

 

Sujeito:

Núcleo do sujeito:

Predicado verbal:

Adjunto adverbial de lugar:

Verbo intransitivo:

 

" Tudo é o cansaço de si."

 

Sujeito:

Núcleo do sujeito:

Predicado nominal:

Verbo de ligação:

Predicativo do sujeito:

 

2)      Indique  a classe gramatical a que pertencem os núcleos dos sujeitos da orações anteriores.

 

 

3)       

 

a.  Em " [...] sua voz desliza para fora dos corpos.", o predicado destacado é

   (   ) nominal    (   ) verbal

 

b. Em "Tudo é o cansaço de si." , o predicado destacado é:

(    ) nominal   (   ) verbal

 

4)      Observe as orações e preencha o que se pede.

 

a)      As crianças dormem no sofá da sala.

b)      Minha mãe assiste à missa naquela igreja.

c)       Meu pai construiu um a churrasqueira no quintal.

d)      As crianças deram os brinquedos aos moradores da favela.

Classificação dos verbos:

 

(    ) VTD

(    ) VTI

(    ) VTDI

 

Classificação dos objetos

(    ) à missa

(     ) _________

(    ) os brinquedos aos moradores da favela

(    ) uma churrasqueira

 

Leia:

 

Todas as cartas de amor são

Ridículas.

Não seriam cartas de amos se não fossem

Ridículas.

Também escrevi em meu tempo cartas de amor,

Como outras, ridículas.

 

As cartas de amor, se há amor,

Têm de ser

Ridículas.

[...]

(Fernando Pessoa. Obra Poética, p. 399-400. RJ. José Aguilar, 1972)

 

Observe a oração:

"Todas as cartas de amor são ridículas."

a)      Sublinhe o verbo

b)      Que é que são ridículas?

c)       Copie sobre o que se diz sobre esse termo da oração.

d)      Portanto, nessa oração, "todas as cartas de amor" é o _______________ da oração.

 

Arte de ser feliz

 

Houve um tempo em que a minha janela se abria para o chalé. Na ponta do chalé brilhava um grande ovo de louça azul. Nesse ovo costumava pousar um pombo branco. Ora, nos dias límpidos, quando o céu ficava da mesma cor do ovo de louça, o pombo parecia pousado no ar. Eu era criança, achava essa ilusão maravilhosa, e sentia-me completamente feliz. [...]

(Cecília Meireles. Quadrante I, p. 10 RJ. Ed. do Autor, 1968)

 

a)      Sublinhe os verbos e locuções verbais do texto.

b)      Quantas orações há nesse texto?

c)       Classifique os sujeitos, conforme as legendas:

 

SS - sujeito simples;

SC - Sujeito Composto;

OSS - Oração sem Sujeito;

SO 0 Sujeito oculto;

SI - Sujeito Indeterminado;

 

  1. (     ) " Houve um tempo[...]"
  2. (     ) "Eu era uma criança [...]"
  3. (     ) "  [... ]a minha janela se abria para um chalé."
  4. (     ) " [...] Sentia-me completamente feliz."

 

Agora sublinhe o predicado dessas orações.

 

Nas orações abaixo, circule o sujeito, sublinhe o predicado e coloque OD para ordem direta e OI para ordem Indireta ou Inversa.

 

  1. (     ) " Na ponta do chalé brilhava um grande ovo de louça."
  2. (     ) ' Nesse ovo costumava pousar um pombo branco."
  3. (     ) "[...] nos dias límpidos, [...] o pombo parecia pousado no ar."
  4. (     ) " [...] o céu ficava da mesma cor do ovo de louça [...]"  

 

Disponível em: Descobrindo a gramática. FTD. Língua Portuguesa. Gilio Giacomozzi, Gildete Valério e Cláudia Molinari Reda.

 

 

 

 

 

 

 

comentários[0]

17

fev
2013

Crônica Coisas & Pessoas

Meus queridos alunos do 8º ano!

 

Essa crônica deverá ser impressa e fará parte de nossa aula do dia 25/02. Teremos uma deliciosa interpretação desse texto de Mário Quintana.

 

Coisas & pessoas

Mário Quintana

Desde pequeno, tive tendência para personificar as coisas. Tia Tula, que achava que mormaço fazia mal, sempre gritava: "Vem pra dentro, menino, olhar o mormaço!" Mas eu ouvia o mormaço com M maiúsculo. E ainda hoje, quando leio que alguém se viu perseguido pelo clamor público, vejo com estes olhos o Sr. Clamor Público, magro, arquejante, de preto, brandindo um guarda-chuva, com um gogó protuberante que se abaixa e levanta no excitamento da perseguição. E já estava devidamente grandezinho, pois devia contar uns trinta anos, quando me fui, com um grupo de colegas, a ver o lançamento da pedra fundamental da ponte Uruguaiana-Libres, ocasião de grandes solenidades, com os presidentes Justo e Getúlio, e gente muita, tanto assim que fomos alojados os do meu grupo num casarão que creio fosse a Prefeitura, com os demais jornalistas do Brasil e Argentina. Era como um alojamento de quartel, com breve espaço entre as camas e todas as portas e janelas abertas, tudo com os alegres incômodos e duvidosos encantos de uma coletividade democrática. Pois lá pelas tantas da noite, como eu pressentisse, em meu entredormir, um vulto junto à minha cama, como eu pressentisse, em meu entredormir, um vulto junto à minha cama, sentei-me estremunhado e olhei atônito para um tipo de chiru, ali parado, de bigodes caídos, pela pendente e chapéu descido sobre os olhos. Diante da muda interrogação, ele resolveu explicar-se, com a devida calma:

%u2014 Pois é! Não vê que eu sou o sereno...

E eis que, por um milésimo de segundo, ou talvez mais, julquei que se tratasse do silêncio noturno em pessoa. Coisas do sono? Além disso, o vulto, aquele penumbroso e todo em linhas descendentes, ajudava a ilusão. Mas por que desculpar-me? Quase imediatamente compreendi que o "sereno" era um vigia noturno, uma espécie de anjo da guarda crioulo e municipal.

Por que desculpar-me, se os poetas criaram os deuses e semideuses para personificar as coisas, visíveis e invisíveis... E o sereno da Fronteira deve andar mesmo de chapéu desabado, bigode, pala e de pé no chão... sim, ele estava mesmo de pés descalços, decerto para não nos perturbar o sono mais ou menos inocente.

 

QUINTANA, Mário. In; Santos, Joaquim Ferreira dos (Sel.). As cem melhores crônicas brasileiras. Rio de Janeiro; Objetiva, 2007.

comentários[2]

calendário


Assinar RSS