Portal da Educao Adventista

*Profª Ritíssima *

10

nov
2014

Apreciem...

comentários[0]

2

set
2014

Literatura Enem e Vestibulares

Em se tratando da prova relacionada a essa área do conhecimento - a Literatura -, você primeiramente precisa se conscientizar de que ela, assim como toda arte, é uma transfiguração do real, isto é, a realidade recriada por meio do espírito do artista vivendo em seu tempo.

Sendo assim, o artista, de acordo com sua ideologia, submetido a um contexto histórico, político e social, realiza um trabalho especial, cuja matéria-prima é a própria palavra. Dessa forma, torna-se evidente que em todo esse "manejo" predomina tão somente a função poética da linguagem, na qual a intenção do emissor, no caso o artista, é voltada para a própria mensagem, seja na estrutura ou na seleção e combinação das palavras, de forma a atingir plenamente seu objetivo "artístico".

Com base nesses pressupostos, você terá condições de entender alguns dos objetivos referentes ao processo pelo qual irá passar, uma vez que é esperado que o aluno demonstre seus conhecimentos relacionados ao campo da Literatura, tendo em vista a capacidade de:

- Analisar, interpretar e aplicar recursos expressivos das linguagens, relacionando textos com seus contextos, mediante a natureza, função, organização, estrutura das manifestações, de acordo com as condições de produção e recepção.

- Estabelecer relações entre o texto literário e o momento de sua produção, situando aspectos do contexto histórico, social e político.

- Relacionar informações sobre concepções artísticas e procedimentos de construção do texto literário.

- Reconhecer a presença de valores sociais e humanos atualizáveis e permanentes no patrimônio literário nacional.

Torna-se importante ressaltar que tais objetivos estão intrinsecamente relacionados ao objetivo maior do Exame Nacional do Ensino Médio, que é - em vez de conduzi-lo a memorizações mecanicistas de conceitos - fazer com que você entenda acerca da aplicação dos termos e suas funções na língua. Vejamos, pois, como na prática isso funciona, partindo do exemplo de uma questão referente ao exame realizado no ano de 2012:

 

 

O quadro Les Demoiselles d'Avignon (1907), de Pablo Picasso, representa o rompimento com a estética clássica e a revolução da arte no início do século XX. Essa nova tendência se caracteriza pela

a) pintura de modelos em planos irregulares.

b) mulher como temática central da obra.

c) cena representada por vários modelos.

d) oposição entre tons claros e escuros.

e) nudez explorada como objeto de arte.       

Confira a resolução comentada do Brasil Escola acerca da questão em evidência:

A questão em evidência tem como verdadeira a alternativa "a", para respondê-la, é preciso associar a figura de Picasso ao cubismo, movimento nascido a partir das experiências deste artista. A proposta cubista centrava-se na liberdade que o artista possuía para criar e recriar, ou compor e recompor a realidade. A obra cubista é repleta de formas geométricas e através destas, o objeto é revelado, em seus múltiplos ângulos, logo, não existe regularidade nos planos da arte cubista. 

 (disponível em: http://vestibular.brasilescola.com/enem/literatura-no-enem.htm) 

 

 

 

 

comentários[0]

14

ago
2014

"Não desistam do Brasil" Eduardo Campos

Aos 49 anos, Eduardo Campos era considerado um dos políticos mais promissores de sua geração

Candidato à presidência da República pelo PSB, o pernambucano ganhou força após dois mandatos como governador

Ex-governador de Pernambuco e candidato à presidência da República pelo PSB, aos 49 anos o economista Eduardo Henrique Accioly Campos mirava no Palácio do Planalto o ápice de uma carreira política de mais de duas décadas.

Natural do Recife, nascido em 10 de agosto de 1965, Campos era considerado um dos políticos mais promissores da nova geração, em especial após sua gestão em Pernambuco, marcada por avanços na educação, saúde e geração de emprego. Foi ao longo dos seus mandatos que o Estado teve uma retomada econômica, com a consolidação do porto de Suape.

Campos deixou a viúva Renata e cinco filhos, Maria Eduarda, João, Pedro, José Henrique e Miguel. O nascimento de Miguel, em janeiro de 2014, veio junto com a notícia de que o menino é portador da síndrome de down.

- Eu e Renata queremos agradecer aos milhares de votos de felicidades, enviados com carinho de todas as partes do Brasil - afirmou Campos na oportunidade.

"A morte de Eduardo Campos é a maior tragédia envolvendo políticos na história recente do Brasil", diz Rosane de Oliveira.

 

Filho da ministra do Tribunal de Contas da União (TCU) Ana Arraes e do escritor Maximiano Campos, Eduardo Campos trazia a política do berço. Neto do ex-governador de Pernambuco Miguel Arraes, era próximo do avô e foi seu principal herdeiro político.

Campos iniciou sua militância ainda na Universidade Federal de Pernambuco, como presidente do diretório acadêmico da Faculdade de Economia. Participou da campanha que elegeu o avô governador, em 1986, e foi chefe de gabinete de Miguel Arraes. Em 1990, filiou-se ao Partido Socialista Brasileiro (PSB) e foi eleito deputado estadual. Em 2005, Campos assumiu a presidência do PSB, em virtude da morte do avô, também ocorrida em um 13 de agosto.

Ao longo da carreira política, Campos manteve relação próxima ao PT, que lhe deu apoio nas duas campanhas para o governo de Pernambuco. Em 2006, venceu a eleição com 65% dos votos. Quatro anos depois, obteve a reeleição em primeiro turno, com mais de 82% dos votos.

Com altos índices de aprovação e taxas de crescimento elevada em Pernambuco, Campos ganhou envergadura e capital político para pavimentar a candidatura à presidência. Em 2013, o PSB formalizou a ruptura com o PT e a saída do governo Dilma Rousseff. Em outubro, o socialista conseguiu o grande fato da pré-campanha até o momento, ao filiar ao PSB a ex-ministra Marina Silva, que não conseguiu o registro junto à Justiça Eleitoral do seu novo partido, a Rede.

Para oficializar a candidatura ao Palácio do Planalto, Campos renunciou ao governo de seu Estado em abril e passou a adotar o discurso de mudança e melhora na gestão pública e da economia.

- Vamos concorrer para oferecer ao Brasil uma chance de mudar, mas mudar para o futuro, não para o passado. Unir o Brasil é fundamental para melhorar a política. Precisamos de uma renovação que aposente as velhas raposas ou que as coloque na oposição - afirmou    a Zero  Hora.

 

Em campanha e confiante que Marina Silva o ajudaria a romper a barreira dos dois dígitos nas pesquisas. Afirmou que não se constrangia por ter auxiliado na articulação que levou sua mãe, Ana Arraes, ao TCU.

Campos ainda destacou a necessidade de acabar com os cargos vitalícios no Judiciário e distribuiu críticas ao governo Dilma. O socialista acusou a petista de permitir o retorno da inflação, com uma má condução da economia.

A morte de Eduardo Campos provocou comoção   no meio político  nacional. Em Brasília, aliados e adversários políticos renderam elogios ao socialista.

- Apesar de vir de uma família de políticos, o Eduardo trazia ideias novas. Não agora, pela conjuntura, mas seria um forte nome para ocupar a presidência do país - afirmou o ex-presidente da Câmara, Marco Maia (PT-RS).

 

 

Disponível em:  http://zh.clicrbs.com.br/rs/noticias/eleicoes-2014/noticia/2014/08/aos-49-anos-eduardo-campos-era-considerado-um-dos-politicos-mais-promissores-de-sua-geracao-4574233.html

 

comentários[0]

5

mar
2014

Nós lutamos contra o bullying

Queridos!

Vamos juntos apoiar essa campanha maravilhosa! Todos sabemos que com união, educação e conhecimento, faremos uma escola melhor! 

 

image

Visite a página "Nós, Poéticos e Literários" e saiba mais!

Eu apoio essa ideia! Façamos nossa parte!

 

 

 

 

 

 

 

 

 

http://nospoeticos.blogspot.com.br/2014/03/peco-licenca-para-respeitar.html

comentários[1]

23

jan
2014

Lindo!

Amooo!image

comentários[0]

calendário


Assinar RSS